dakar2

Gregorio Caselani esta fora do Rally Dakar 2017

Um dos três pilotos na categoria Motos que representam o Brasil no Rally Dakar infelizmente deixou a competição. Como se não bastasse a notícia ruim, o fato aconteceu de forma, digamos, inusitada. O motivo da saída de Caselani  do maior rally do mundo fora uma inflamação na região lombar causada por espinhos de cactos.

Gregorio Caselani (Honda South America Rally Team, #158), gaúcho de Caxias do Sul, caiu sobre cactos na terceira etapa da competição e muitos espinhos se alojaram em seu corpo, dos joelhos até as costas. Como os médicos não conseguiram retirá-los todos, formou-se um processo inflamatório e desde então o piloto gaúcho vinha com muitas dificuldades para pilotar. Caselani aproveitou a parada do descanso para buscar ajuda médica, mas recebeu a recomendação para deixar a competição.

Gregorio Caselani deve de abandonar o Rally Dakar seguindo orientações médicas (Foto: José Maria Dias / Fotop / Vipcomm)

Gregorio Caselani deve de abandonar o Rally Dakar seguindo orientações médicas (Foto: José Maria Dias / Fotop / Vipcomm)

Piloto caiu sobre cactos na terceira etapa da competição e muitos espinhos se alojaram em seu corpo, causando inflamações (Foto: Gustavo Epifanio / photosdakar.com)

Piloto caiu sobre cactos na terceira etapa da competição e muitos espinhos se alojaram em seu corpo, causando inflamações (Foto: Gustavo Epifanio / photosdakar.com)

Desta forma, Caselani optou por acatar às recomendações médicas e deixou o Dakar, após decisão tomada no início da madrugada desta segunda-feira, dia 9, em La Paz, na capital da Bolívia. “A minha lombar está travada. Nem consigo calçar o tênis”, disse o piloto da Honda. Gregorio embarcou ainda pela manhã em avião que aterrissou no início da tarde no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, acompanhado pelo chefe de equipe, Dário Júlio. Em La Paz, os médicos do Dakar recomendaram repouso de pelo menos cinco dias, além de medicamentos.

O piloto fizera sua estreia no Rally Dakar nesta temporada, concluindo as cinco primeiras etapas. Seu melhor resultado foi o louvável 62º lugar, obtido na segunda etapa. Na primeira, ficou com a 65ª colocação; na terceira, quando caiu no cacto, foi apenas o 123º lugar; na seguinte, o 102º; e na quinta ficou com a 110ª posição.

 Fonte: Vipcomm

 

 



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.