Guerra dos pneus- Ferrari reclama e ameaça deixar a F1

O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, lan‡ou uma alerta aos dirigentes da FIA, a Federa‡Æo Internacional de Automobilismo.

Mesmo que de maneira velada, deixou no ar a possibilidade de a escuderia abandonar a F¢rmula 1 em conseqˆncia da chamada “guerra dos pneus” – deflagrada depois das acusa‡äes de irregularidades nos pneus fornecidos pela Michelin. “NÆo pensamos em deixar a F¢rmula 1, mas tampouco somos obrigados a continuar”, disse Montezemolo em entevista publicada nesta quinta-feira pelo jornal italiano “La Gazzetta dello Sport”. “Isso (permanecer ou nÆo) depende do futuro”, acrescentou ele,
A Ferrari, que usa pneus fornecidos pela Bridgestone, reclama dos concorrentes, em especial da Williams. Diz que a largura dos pneus Michelin ultrapassam a medida definida pela FIA e que por conta disso, estariam em clara vantagem sobre os demais. Pelo regulamento, a largura m xima seria de 270 mil¡metros, mas a Ferrari sustenta ter provas de que os pneus Michelin usados pela Williams no GP da Hungria tinham 16 mil¡metros a mais.

Nas £ltimas etapas do Mundial, em especial depois da prova de M“naco, dia 1§ de junho, a Williams dominou quase todas as corridas, algumas de forma assustadora. E o pensamento geral na F¢rmula 1 ‚ que os pneus Michelin sÆo os principais respons veis por essa virada de perspectiva no campeonato, a ponto de fazer de Juan Pablo Montoya o favorito para conquistar o t¡tulo.

A Ferrari alega que depois da corrida, quando os carros param no parque fechado para a verifica‡Æo t‚cnica, os pneus da Williams e tamb‚m da McLaren, ambas marca francesa, assumem largura maior. Diante do protesto a FIA resolveu mudar. A verifica‡Æo ser  feita ap¢s a corrida e nÆo antes dela, como vinha sendo feito at‚ agora. A mudan‡a come‡a j  em Monza, a pr¢xima etapa do campeonato, dia 14 de setembro.

Depois do GP da It lia, restarÆo apenas o GP dos EUA, dia 28, e do JapÆo, 12 de outubro, em Suzuka. Montoya tem apenas um ponto a menos que o l¡der Michael Schumacher – 72 a 71 – enquanto Kimi Raikkonen, McLaren, 70.