Mirante da Pedra Grande em Atibaia (SP)

Guia de viagens a dois: Atibaia – a grande pedra

por Maicon Ribeiro

Mirante da Pedra Grande em Atibaia (SP)

Mirante da Pedra Grande em Atibaia (SP)

Sábado ensolarado, um convite para cair na estrada. O destino desta vez foi a principal atração turística da cidade de Atibaia (SP), a Pedra Grande. Com 1450 metros de altitude e uma área de 200.000m² o local é ideal para a prática de esportes radicais e atrai muitas pessoas pela bela paisagem. Estava empolgado pois seria a primeira aventura off-road junto com minha noiva. Assim que comprei a Ténéré 250 fiz um passeio em uma pequena estrada de terra, afinal, este é o habitat natural da motoca, mas para chegar a Pedra Grande são 11 km em uma estrada com trechos íngremes e esburacados.

A Pedra Grande atrai praticantes de esportes radicais e pessoas que querem apenas contemplar a natureza

A Pedra Grande atrai praticantes de esportes radicais e pessoas que querem apenas contemplar a natureza

A aventura começou na rodovia Fernão Dias, que possui muitas curvas, ótimo para motociclistas. Pilotar muito tempo em linha reta é bem entediante. Falando em tédio não podemos esquecer do pedágio. É preciso parar e pagar R$ 0,70. A fila na cabine de motos estava grande, afinal ter que parar, colocar no neutro, contar as moedas, engatar a primeira e acelerar. É um ritual que se multiplicado por umas 10 motos já se torna uma tortura. Para escapar disto optei pela cabine comum. Minha noiva fica responsável pelo pagamento. Eu só aguardo o sinal dela e acelero. A Pedra Grande atrai praticantes de esportes radicais e pessoas que querem apenas contemplar a natureza.

Chegando em Atibaia é possível avistar a Pedra Grande da rodovia. A sua formação impressiona. Uma enorme rocha que surge na Serra da Cantareira. Após entrar na rodovia Dom Pedro I é preciso pegar a saída para Bom Jesus dos Perdões, acessando a via local até a estrada de terra. Placas indicam a direção. Antes de me aventurar procurei por informações na internet e muitas diziam que a estrada é bem esburacada. Não foi o que encontrei. Não chovia há muito tempo, isto certamente colaborou.

A estrada é bem conservada. O problema está em alguns trechos que são muito inclinados e têm muitas pedras, em outros o solo estava muito arenoso e prendia a roda. Apenas ingredientes que aumentam a diversão. É preciso tomar cuidado com os ciclistas. Encontramos vários pelo caminho. Por isso mantive uma velocidade entre 30 e 45 km/h. Após várias curvas e poeira chegamos ao topo.

Finalmente no topo

Finalmente no topo

A paisagem compensa o trajeto demorado. O lugar é lindíssimo e pode-se ter uma vista privilegiada de toda a região. Sentar e sentir a brisa é sensacional. Fiquei imaginando como seria acompanhar o por do sol na Pedra Grande, mas isso fica para uma próxima vez pois ainda eram 12 horas.

Tudo que sobe desce. Hora de voltar. O mais difícil foi enfrentar o calor intenso. Antes de chegar à rodovia Dom Pedro I paramos em uma lanchonete para tomarmos água. A fome já apertava. O próximo destino era o Parque Edmundo Zanoni, para visitar a Festa das Flores e Morangos de Atibaia. Estivemos na festa no ano passado, foi quando surgiu o desejo de ir até a Pedra Grande.

Os motoaventureiros

Os motoaventureiros

Almoçamos e degustamos algumas sobremesas de morango. O evento tem influência da cultura japonesa, graças ao grande número de imigrantes nipônicos que vivem na cidade. Vale a pena conferir. Ocorre anualmente no mês de setembro e recebe excursões de várias regiões do país. Há um pavilhão de exposições decorado com flores e esculturas, praça de alimentação com culinária diversificada e um ótimo ambiente para curtir o final da tarde. O parque é muito bem cuidado.

Após descansar e curtir a tarde quente de Atibaia, subimos na “Teneroca” para voltar ao lar e recarregar as baterias para a próxima aventura.

O mapa da aventura

O mapa da aventura

O mapa da aventura

 

Distância total: 94 Km.
Pedágio: R$ 0,70

Até a próxima!

Se você conhece algum lugar bacana para indicar ou se quiser contar alguma aventura, faça como o Maicon e escreva para o Portal Motonline através do “Você no Motonline“.

Compartilhe suas aventuras e inspire outro motociclistas que também curtem uma viagem a dois.