Habilitação em Brasília(DF), Guarulhos(SP) e Curitiba(PR)

Motonliners discutindo a qualidade de ensino para a condu‡Æo de moto.
Uma enquete realizada em abril d  um panorama do que est  ocorrendo pelo nosso pa¡s. Como solucionar?
Temos leitores nos perguntando se abaixo de 125cc podem dirigir sem habilita‡Æo. A forma‡Æo deveria come‡ar na escola prim ria, sobre a forma correta de atravessar uma rua ou avenida. NÆo seria nenhuma novidade pois isto j  ocorre em v rios pa¡ses, mas como Tite diz, estamos no Brasil.(Harada)

Desabafo
Prezado Tite. Dirijo h  dez anos, e resolvi tirar minha habilita‡Æo para motocicletas, e confesso que eu nunca havia subido em uma moto na vida, nem mesmo como garupa. Hoje, segunda-feira, completei as 15 aulas exigidas por lei (como j  estava prevendo uma certa dificuldade pelo fato de nunca ter andado de moto na vida, achei por bem nÆo casar as 15 aulas certinho com o exame – isso provou-se desnecess rio, mas ainda assim valeu … pena). Aprendi o b sico sobre andar de moto como fazer ela sair do lugar e como fazer ziguezague em cone, fazer 8, andar em caixa de brita e costela de vaca e s¢. Fiquei com uma m  impressÆo, nÆo da auto-escola em si (j  que o trabalho dela ‚ de acordo com o que a lei exige e o instrutor foi muito atencioso e paciente com o motociclista “moto-virgem” que aqui vos escreve), mas das exigˆncias da lei brasileira. Como todos n¢s aqui sabemos, motos sÆo ve¡culos muito mais perigosos que autom¢veis: o condutor est  o tempo todo exposto e o p ra-choques ‚ a cara do piloto. Al‚m disso, existe a questÆo do desrespeito dos motoristas aos motociclistas (nÆo estou generalizando, at‚ mesmo porque estou ciente que o inverso tamb‚m acontece, e muito), que tornam o motociclista um ser muito mais vulner vel do que se imagina ao trafegar com sua motocicleta em vias p£blicas. Ainda assim, itens triviais que sÆo sempre cobrados em exames de dire‡Æo para autom¢veis sÆo relegados a segundo plano nas moto-escolas (na verdade nem sÆo cobrados no exame). O exame, ridiculamente, ‚ feito apenas em primeira marcha. A £nica coisa que o pretendente a motociclista precisa saber ‚ como engatar a primeira marcha. Nem precisa saber como colocar a moto de volta no neutro, pois isso nÆo ‚ cobrado que dir  mudan‡as de marcha em movimento, passando para segunda e terceira? Outro item de seguran‡a negligenciado pela legisla‡Æo ‚ a regulagem dos retrovisores. Ora, at‚ pra quem anda de carro ‚ obrigat¢rio no exame a primeira coisa que o candidato deve fazer antes de dar a partida no carro ‚ ajustar os bancos (nÆo se aplica na moto) e os retrovisores. No exame de moto, sabe-se l  por quˆ, isso nÆo ‚ cobrado. Detalhe que, pelo fato de dirigir j  h  10 anos, percebi por conta pr¢pria que, devido …s menores dimensäes (tanto do ve¡culo como dos espelhos), ‚ bem mais dif¡cil achar um ƒngulo certo de espelho na moto, minimizando os pontos cegos, do que em um carro sem contar que em um carro, embora nÆo seja pr tica recomend vel, um motorista pode em alguns casos dar uma viradinha na cabe‡a (e um pouco do tronco) pra olhar pra tr s se o cara faz isso numa moto, ‚ tombo quase na certa, pois desequilibra a moto. Por fim, um item b sico de seguran‡a tamb‚m negligenciado no exame: uso do freio dianteiro. Os instrutores de moto-escolas falam pra usar s¢ o freio traseiro, sempre. Ora, no dia-a-dia, o motociclista vai passar por situa‡äes em que o freio traseiro sozinho nÆo ‚ suficiente e nem recomend vel por‚m, nÆo sÆo passadas no‡äes sobre o uso do freio dianteiro da moto, em que situa‡äes us -lo e como dosar a for‡a entre os dois freios. As exigˆncias do DETRAN apenas sÆo: engate a primeira, ande em marcha lenta, fa‡a oito, zigue-zague, dˆ uma passada na caixa de brita, na costela de vaca e na rampa, e pronto, vocˆ ‚ um motociclista exemplar! Se parar a moto depois do final do percurso e deixar ela morrer porque nÆo colocou no neutro, nÆo tem problema! VOCÒ Jµ PASSOU! Deve ser por isso que tem tanto acidente com “motoqueiro” por a¡ as moto-escolas formam motoqueiros, e nÆo motociclistas. Se nÆo precisa passar marcha no exame nem fazer nada, melhor aplic -lo com scooters autom tifcas logo de uma vez.
UbiratÆ Muniz da Silva
Bras¡lia/DF
Em Bras¡lia pode ser assim, mas conhe‡o cidades nas quais o exame ‚ bem rigoroso. Infelizmente o padrÆo ‚ isso que o sr. narrou. Lisarb, meu caro UbiratÆ, estamos em um pa¡s onde tudo funciona ao contr rio.

Habilita‡Æo
Primo Tite Simäes, em rela‡Æo a carta do UbiratÆ Muniz da Silva – Bras¡lia/DF, sobre os testes de auto escola, e tb em rela‡Æo aos coment rios que vc fez, eu digo: UbiratÆ, saiba que o exame a¡ em Bras¡lia ‚ extremamente rigoroso viu! Sim, pq aqui em Guarulhos, nÆo tem nada de rampa, ou caixa de brita, ou costela de vaca. Basta APENAS fazer o 8 e o zig-zag em 4 cones. E Sà. E isso quem tira na ra‡a n‚, pq quem paga o quebra, ‚ s¢ fazer o 8. E em rela‡Æo a marca‡Æo da QUILOMETRAGEM (viu, vc tirou minha d£vida), agora que vc explicou a carta de um outro leitor a¡ que tentou me explicar ficou tudo mais claro.
Rodolfo – Guarulhos, SP

Tite, tava lendo os coment rios sobre a qualidade dos exames de moto pelo pa¡s. Aqui no Detran-PR a gente faz o oito, o labirinto, o zigue-zague nos cones, a rampa e a troca de marchas. Isso mesmo, aqui se troca marchas no exame de moto. Mas o que me deixa indignado ‚ o fato de o exame ser em ambiente fechado. Acho, realmente que deveria ser dificultado o exame para o candidato, com o intuito de forma‡Æo com mais qualidade. Talvez um exame de rua, como ocorre na Espanha, e sempre com motos de maior cilindrada. Meu exame foi rid¡culo, fiz com uma 125, acho que deveria ser com pelo menos uma 350. Isso a¡, t  dado o recado, abra‡os!
Junior Mayer – Curitiba,PR