Fat Bob

Harley-Davidson Softail 2018: as filhas da revolução

A palavra revolução é geralmente utilizada para exprimir uma ideia de mudança radical, seja numa situação qualquer ou mesmo num produto ou objeto. E a palavra é muito adequada para definir as mudanças que as Harley-Davidson Softail sofreram para 2018, afinal elas ganharam novos chassi, motor e suspensões, além de absorver motos da linha Dyna para ficar tudo bem melhor do que antes.

Frota para o test-ride incluiu apenas 4 modelos da família: Fat Bob, Street Bob, Heritage Classic e Breakout

Frota para o test-ride incluiu apenas 4 modelos da família: Fat Bob, Street Bob, Heritage Classic e Breakout

Estas mudanças já foram divulgadas no final de agosto com a chegada da nova plataforma “All for Freedom, Freedom for All” – Todos pela Liberdade, Liberdade para todos – anunciada pela Harley-Davidson, que falava de um novo momento na empresa. Mas tratava-se apenas da divulgação oficial e era necessário comprovar que as mudanças anunciadas surtiram efeito realmente positivo sobre as motos, como fora anunciado.

E a Harley-Davidson resolveu submeter suas novidades ao teste da imprensa especializada e convidou para experimentar essa “revolução” jornalistas de todo o mundo, inclusive Motonline, que puderam experimentar a revolução e confirmar que nas motos da família Softail, a revolução trouxe ótimos resultados, como pudemos constatar. O test-ride aconteceu durante dois dias nos arredores da cidade de Seva, no norte da Espanha, uma região montanhosa e com lindas paisagens, pela qual percorremos mais de 300 km por ótimas e sinuosas estradas.

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

Fat Bob

É importante pontuar que a empresa vem seguindo um caminho de mudanças há alguns anos, com modificações importantes em várias motocicletas, para atrair novos públicos, sobretudo compradores mais jovens para suas motos. Além de mudanças, esse processo passa também pela diminuição na quantidade de modelos e de motores, na introdução de novos equipamentos e funcionalidades com mais tecnologia em cada modelo de moto e uma mensagem mais clara para o público sobre qual é a motocicleta Harley-Davidson mais adequada a cada tipo de consumidor.

Essas mudanças tem sido o que se pode chamar de uma revolução silenciosa e, segundo Paul James, o diretor da área de desenvolvimento de produtos da Harley-Davidson, a chegada das novas Softail representa a mais profunda mudança na linha H-D de toda sua história de 115 anos. “Milhares de horas de conversas formais e informais com clientes, pesquisas em vários mercados – inclusive o Brasil -, testes e avaliações foram realizados para que pudéssemos chegar a este resultado”, explica James.

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

Breakout

A verdade é que os mais puristas seguidores da marca esboçam críticas, mas a maioria dos consumidores gosta das mudanças. E isso é fácil de perceber por causa do vigoroso crescimento que a marca exibe no mundo e no Brasil, onde a Harley-Davidson é a única marca fabricante que vai crescer em 2017 acima dos 2 dígitos, exibindo até setembro 15% de crescimento em relação a 2016 (Fenabrave). As outras duas são a Yamaha e a Triumph, com crescimentos de 4% e 2% respectivamente. Todas as outras fecharão 2017 com vendas menores em relação a 2016.

Harley-Davidson Softail, o que mudou?

Para muitos pode até parecer que não mudou muito, mas é preciso pilotar a moto para perceber que as mudanças são realmente profundas. Na prática mudou tudo: chassi, motor, suspensões e design, além da linha Softail ter incorporado modelos da extinta família Dyna. Confira a seguir um resumo do que mudou tecnicamente e quais funcionalidade foram introduzidas nas motos:

  • Novo conjunto de chassi e motor para todas as motos da família Softail: Breakout, Fat Boy, De Luxe e Heritage;
  • Família Dyna extinta – Fat Bob, Street Bob e Low Rider usam este mesmo conjunto e integram a família Softail;
  • O chassi ganhou 34% de rigidez e ficou 15% mais leve;
  • Todas as Softail utilizam o motor Milwaukee-Eight 107 (1.746 cc) ou 114 (1.868 cc) como opção em alguns modelos;
  • Suspensão dianteira Showa (SDBV – Showa Dual Bending Valve) que atua de forma progressiva;
  • Suspensão traseira com amortecedor único com 5 posições de regulagem na pré-carga da mola;
  • Braço oscilante com monoshock escondido sob o assento, mantendo as linhas clássicas;
  • Faróis LED exclusivos “Daymaker” em todos os modelos;
  • Ajuste da posição do assento na Deluxe e Heritage Classic;
  • Novos painéis digitais e com mais informações;
  • Sistema de partida sem chave com alarme;
  • Entrada USB junto ao painel.

    chassis_imagem_comparativo

    Mais leve, com menos peças, menos soldas, com o pequeno amortecedor monochoque escondido e o motor ajudando a dar rigidez ao chassi: revolução completa

O test-ride promovido pela Harley-Davidson nos permitiu pilotar as 4 motos principais desta nova família Softail: Fat Bob, Street Bob, Heritage Classic e Breakout. A melhora é excepcional em todos os aspectos, sobretudo na agilidade, com reações mais rápidas e menor esforço para fazê-las contornar com segurança todos os tipos de curvas em estradas sinuosas, e também no conforto, traduzido em menor vibração do motor e numa posição de pilotagem menos sacrificada, sobretudo na Breakout e na Street Bob.

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Heritage Classic

Note que estamos falando de motos diferentes com propostas direcionadas a distintos tipos de motociclistas, mas todas compartilham chassi, motor e suspensões. E estas primeiras boas impressões com as 4 motocicletas comprovam o acerto da engenharia da Harley-Davidson nas modificações, que conseguiram com a mudança de chassi e suspensões um enorme ganho em desempenho para motos tão diferentes. Claro, pilotar em estradas sinuosas ficou muito melhor, mas as pedaleiras em todas elas seguem raspando no asfalto, o que no começo assusta um pouco, mas logo se acostuma.

Test-ride pelas estradas do norte da Espanha: muitas curvas para comprovar as muitas melhorias na nova linha Harley-Davidson Softail

Test-ride pelas estradas do norte da Espanha: muitas curvas para comprovar as muitas melhorias na nova linha Harley-Davidson Softail

Motores: fim do 103, entra o 107

Todos os modelos 2018 da família Softail vem equipadas com o novo motor V-Twin a 45º Milwaukee-Eight ™ 107 (polegadas cúbicas), o que dá exatos 1.745 cc de capacidade cúbica. A H-D não divulga potência, mas divulga o torque, que é de 14,9 kgf.m a 3.000 rpm no motor 107. Esse motor tem sistema de balanceiros para amenizar o balanço e as vibrações, mas o som que sai dos escapamentos se mantém característico e bem compassado – “potato-potato-potato”. Não há dúvida de que você está pilotando uma Harley-Davidson.

Quatro modelos da família tem a opção do motor 114 (1.868 cc), que oferece torque maior, de 15,9 kgf.m a 3.000 rpm:  Fat Bob, Fat Boy, Breakout e Heritage Classic. Confira na tabela as principais características de desempenho dos dois motores disponíveis para a família Softail:

Motor

Milwaukee-Eight ™ 107

Milwaukee-Eight ™ 114

Tipo V-Twin a 45 graus, 4 tempos, DOHC, arrefecimento a ar V-Twin a 45 graus, 4 tempos, DOHC, arrefecimento a ar
Taxa de compressão 10,0: 1 10,5: 1
Diâmetro x curso 100 mm X 111,1 mm 102 mm X 114,3 mm
Capacidade Cúbica 1.745 cc 1.868 cc
Torque 14,9 kgf.m a 3.000 rpm 15,9 kgf.m a 3.000 rpm
Consumo médio 5,4 litros / 100 km 5,6 litros / 100 km

Mesmo que você não seja um fã da marca Harley-Davidson ou acredite que não há na linha uma moto que sirva para você ou que caiba no seu bolso, é importante perceber que a empresa segue um caminho que procura agradar o gosto dos consumidores. Comparar uma H-D 2018 com uma de 6 anos, por exemplo, mostra bem o enorme salto que a Harley-Davidson deu para melhorar suas motos e atrair mais consumidores. Menos barulhentas, mais leves, com mais tecnologia, maior conforto, melhor desempenho na estrada e mais fáceis de pilotar são algumas das características percebidas facilmente nesta nova série Softail 2018.

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Street Bob

Veja a seguir um resumo das novidades em cada modelo da nova família Softail:

Fat Bob

h-d_fatbob_1Seu design lembra um pouco as “muscle bikes”, sobretudo pelos enormes pneus e agora o pequeno farol retangular, mas que ilumina muito bem. A Fat Bob foi a moto que mais mudou, sem dúvida.

  • Escapamento 2-1-2
  • Farol retangular com LED, esquisito para uma moto clássica, mas melhor que os antigos dois faróis redondos
  • Lanterna traseira em LEDs
  • Freio dianteiro com disco duplo (antes era simples)
  • Novo banco mais confortável
  • Ajuste da pré-carga da mola da suspensão traseira por manopla externa
  • Suspensão dianteira com garfo invertido e tubos de 43 mm de diâmetro
  • Pneus de 150 mm na frente e 180 mm atrás
  • Tanque de combustível com 13,2 litros de capacidade
  • A moto está 15 kg mais leve em relação ao modelo anterior

Street Bob

h-d_streetbob_9Muito parecida com a Softail Slim, essa Street Bob tem um design mais tradicional, com rodas raiadas (aro 19″ na dianteira), guidão mais alto – muitos compradores ainda o trocam pelo tipo “seca-sovaco”, e as pedaleiras bem adiantadas, ao contrário das plataformas. O farolzinho redondo e o painel minimalista completam seu caráter básico, sem nenhum excesso.

  • Tanque de combustível de 13,2 litros
  • Rodas, escapamentos e guidão preto
  • Painel digital montado verticalmente no suporte que prende o guidão
  • 7 kg de redução de peso em relação ao modelo anterior

Breakout

h-d_breakout_1A Breakout é uma moto construída para ser exibida. Seu compromisso não é com o conforto tampouco com longos períodos de pilotagem, sobretudo em trechos sinuosos. Seu estilo dragster a diferencia de tudo que está por aí, tornando-a um modelo único.

  • Rodas de liga leve de 10 raios duplos – black and silver
  • Escapamentos combinando com as rodas – black and silver
  • Emagrecimento de 15,8 kg em relação à versão anterior
  • Painel digital montado verticalmente no suporte que prende o guidão
  • Farol de LED tipo “Daymaker”, com excelente nível de iluminação
  • Tanque de combustível de 13,2 litros
  • Roda traseira de 18 polegadas (pneu de 240 mm) e dianteira de 21 polegadas (pneu de 130 mm)

Heritage Classic

h-d_heritageclassic_1Essa é uma das mais tradicionais motocicletas da Harley-Davidson que invoca a primeira parte dos anos 1950. Para diferenciar-se da sua irmã DeLuxe, recebeu grande cuidado no acabamento “dark” em quase toda a moto. Com suas características de moto para turismo, ela deveria ter o sissy bar, mas ele virou peça opcional. Mas a moto segue sendo uma das mais confortáveis da linha e agora, com a ciclística mais aprimorada, ficou agradável para todos os usos, seja na cidade ou na estrada.

  • Rodas com aros escurecidos
  • Novo conjunto óptico dianteiro com faróis auxiliares, farol principal e piscas em LED
  • Novo pára-brisas destacável
  • Novos alforjes rígidos, bloqueáveis, selados e resistentes à água
  • Suspensão mais alta com maior capacidade de carga útil
  • A Heritage perdeu 17 kg em relação ao modelo anterior

Softail Slim

Essa é uma moto que só traz o que é fundamental e presta uma homenagem às bobbers personalizadas do pós-guerra, com seus pára-lamas cortados, assento único, pouco cromado e rodas raiadas.

  • Acabamentos em preto fosco nos aros das rodas e no guidão
  • Assento baixo e plataformas avançadas para os pés
  • Frente totalmente nova, com farol em LED
  • A moto emagreceu 17 kg em relação ao modelo anterior

Low Rider

A Low Rider é uma moto que traz um pouco mais de “conteúdo”, saindo do conceito básico de algumas de suas irmãs. Esta moto já segue um conceito que procura imitar um pouco do que trazem as motos do segmento custom das marcas concorrentes, com muito brilho e itens de maior sofisticação.

  • Rodas de liga leve aro 19″ na dianteira e 16″ na traseira
  • Painel com dois instrumentos – velocímetro e contagiros
  • Duas tampas no tanque: uma para abastecimento e outra com medidor de nível
  • Gráficos no tanque de combustível
  • Escapamentos cromados

Fat Boy

Talvez a mais famosa Harley-Davidson, a Fat Boy teve poucas mudanças, a não ser as já descritas relativas ao chassi, motor e suspensões. Duas características novas chamam a atenção e podem causar controvérsias: a carenagem do farol de forma quadrada em metal acompanhando o garfo da suspensão e o fim da lanterna traseira, incorporada aos piscas.

  • Pneu dianteiro de 160 mm e de 240 mm na traseira
  • Rodas Lakester sólidas
  • Redução de peso de 16 kg em relação ao modelo anterior

Deluxe

É a versão “naked” da Heritage, sem os alforges e o pára-brisa. Sua característica principal é o requinte, como as faixas brancas nos pneus, a fartura de elementos cromados e o conjunto óptico dianteiro com faróis auxiliares e os piscas em LEDs.

  • Esta perdeu 14 kg em relação ao modelo anterior
  • Novo assento individual, anatômico e muito confortável
  • Lanterna traseira “tombstone” em LEDs
  • Painel clássico emoldurado sobre o tanque de combustível

Ficha Técnica Harley-Davidson Softail 2018

Item Fat Bob Street Bob Breakout Heritage Classic Softail Slim Low Rider Fat Boy DeLuxe
Comprimento (mm) 2.430 2.320 2.370 2.415 2.310 2.355 2.370 2.415
Largura (mm) 960 865 950 930 970 965 985 955
Altura do assento (mm) 710 680 665 680 660 690 675 680
Distância livre do solo (mm) 120 125 115 120 120 130 115 115
Inclinação (D/E, em graus) 31/32 28,5 26,8 27,3/28,5 27,4 29,6 25,6 28
Entreeixos (mm) 1.615 1.630 1.695 1.630 1.630 1.630 1.665 1.630
Roda dianteira (polegadas) 16 19 21 16 16 19 18 16
Roda traseira (polegadas) 16 17 18 16 16 16 18 16
Tanque de combustível (litros) 13,6 13,2 13,2 18,9 18,9 18,9 18,9 18,9
Peso em marcha (kg) 306 297 305 330 304 300 317 316
Capacidade de carga (kg) 526 526 533 526 526 526 533 526
Transmissão Por correia
Câmbio 6 velocidades

separador_h-d_softail



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.