Heliar recomenda cuidados ao substituir a bateria do veículo

Ao trocar uma bateria, consumidor deve exigir marca de qualidade e mesmas características elétricas do produto original

Projetada para garantir partida imediata do motor e fazer funcionar todo o conjunto de dispositivos elétricos e eletrônicos do veículo, a bateria exige cuidados e precauções quando precisar ser substituída. O alerta é de Marcos Randazzo, engenheiro de aplicações da Heliar, que reforça a necessidade de o consumidor adotar alguns cuidados quando trocar a bateria, entre os quais, conferir as características do modelo oferecido.

“Como qualquer produto, as baterias disponíveis no mercado têm diferentes níveis de qualidade e de especificações técnicas que precisam ser avaliados antes da compra”, salienta Randazzo. E acrescenta que se a escolha for incorreta, poderá comprometer o funcionamento dos diferentes sistemas do veículo, principalmente no momento da partida.

De acordo com Randazzo, as baterias são desenvolvidas com base no desempenho que elas terão para fazer funcionar o motor e todo o conjunto de dispositivos elétricos e eletrônicos, mesmo quando o veículo estiver desligado.

Por esse motivo, ao adquirir uma nova bateria o consumidor deve optar por um modelo que tenha a mesma capacidade de armazenagem de energia da original. Dessa forma, se a bateria instalada no veículo tem capacidade igual a 60 amperes/hora, deverá ser substituída por um produto com as mesmas especificações.

Outro cuidado importante é comparar o potencial de partida dos produtos disponíveis. Mesmo em baterias que apresentem capacidade de 60 amperes, o potencial de partida a frio (-18 graus) e a 25 graus indicado pelas siglas CCA ou CA, respectivamente, podem ser diferentes de marca para marca. É aconselhável que, em ambos os casos, o potencial seja igual ou superior ao impresso no modelo original. Se o veículo for equipado com muitos dispositivos eletroeletrônicos, como som, alarme, vidros elétricos, GPS, ar-condicionado e outros sistemas, é aconselhável recorrer à ajuda de profissionais especializados.

Randazzo explica que, com esse procedimento, o consumidor não enfrentará problemas futuros, especialmente com capacidade de armazenamento de energia, potencial de partida e durabilidade do produto.

Outra recomendação é sobre a preocupação ambiental. Ao substituir uma bateria esgotada, o consumidor deve entregá-la à loja em que adquirir um novo produto para que seja encaminhada ao processo de reciclagem, mantido pela Heliar.