Seus construtores dizem que três deles cabem numa vaga comum só

Hiriko, o pequenino

Seus construtores dizem que três deles cabem numa vaga comum só

Seus construtores dizem que três deles cabem numa vaga comum só

Seus construtores dizem que três deles cabem numa vaga comum só – e é verdade. Como? Fácil, a parte de trás deste cupezinho de dois lugares passa por baixo do chassi, deixando o veículo de 2,54 m com o comprimento de 1,5 m, equivalente à largura de um carro popular.

Direcionado diretamente a mulheres citadinas (por que a empresa não diz), o carrinho ‘encolhe’ automaticamente, sem que a motorista tenha de deixar o conforto de seu assento ou sujar as mãos. Como os Romi Isetta de outrora, o Hiriko tem sua porta única na frente, com a diferença em relação ao Isetta de que a porta é na realidade seu parabrisa. O estacionamento é feito diretamente de frente para a calçada.

Talvez sua característica mais diferente são suas rodas ‘robóticas’, que giram quase 90 graus ao redor de seu centro. Há um motor elétrico dentro de cada uma das rodas dianteiras, além de sistema drive-by-wire, atuador de direção, suspensão e freio. A bateria, com carga máxima, consegue levar o carrinho a uma distância de 120 km.

Apesar de seu nome, o carrinho nada tem de japonês: começou a vida como um projeto de pesquisas do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) em colaboração com o Denokinn, Centro Basque de Inovação e um consórcio de empresas espanholas. O nome em si deriva das palavras bascas hiri (cidade) e kotxe (carro).

O preço previsto é de US$ 17,5 mil em 2013, de acordo com o presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso.