Histórias dos batedores e vira casaca

Gostaria de lembrar de algumas pessoas que vire e mexe estÆo pelas ruas de SÆo Paulo, discretos e an“nimos: sÆo os batedores da Pol¡cia do Ex‚rcito. Eu tive a chance de fazer parte desta equipe no ano de 1994 at‚ 1997. As motos utilizadas sÆo as Harley Davyson 1200 cc, uma m quina e tanto. J  fiz muita escolta do Itamar Franco, FHC e outras autoridades. J  passei apertos durante estas missäes, pois andar de moto em SP ‚ uma aventura e tanto, e nÆo sabemos se vamos voltar para casa salvos. At‚ a bandidagem gostava de atacar-nos. Uma vez na marginal do rio Pinheiros, eu estava numa Harley e era o primeiro batedor da fila, est vamos voltando para Osasco. Quando vi uma coisa impressionante, uma Honda Strada 200 cc estava vindo na contra-mÆo. Foi entÆo que percebi que aquele motoqueiro estava sendo amea‡ado por dois bandidos em uma CBR 450 cc, pelo acostamento. O £ltimo batedor logo sacou a arma e come‡ou entÆo a persegui‡Æo pela via. Os bandidos sÆo tÆo malucos que eles fugiram pela contra-mÆo mesmo, sem saber do perigo que corriam. Infelizmente meu amigo nÆo conseguiu peg -los mas pelo menos conseguimos evitar o roubo daquela moto, novinha por sinal. O motoqueiro salvo, nos agradeceu muito e assustado nÆo tinha condi‡äes psicol¢gicas para ir embora, entÆo n¢s o levamos para o nosso quartel junto com os batedores. Em Sampa nÆo se pode ter uma moto da hora, pois a bandidagem est  alerta e logo logo arruma um jeito de roubar-nos. Para se ter uma id‚ia, eu andava em DT-180 completamente depenada, somente assim nÆo chamaria aten‡Æo dos bandidos. Quando troquei a moto e comprei uma CB 450 DX fiquei esperto e logo levei para minha cidade natal Juiz de Fora, MG. Pelo menos aqui em Minas podemos andar mais tranqilos com nossos ve¡culos. Sinto saudades da ‚poca em SP, fiz muitas amizades por l  e andei muito de moto. Gostaria de pedir para vcs fazerem uma reportagem com os batedores da PE em SP. Vale apena mostrar o trabalho desempenhado nos dias de hoje. Com certeza o quartel vai deixar vcs fazerem o trabalho no pelotÆo de motos da PE. SÆo pessoas que desempenham um papel muito importante at‚ para seguran‡a de motoqueiros e a popula‡Æo precisa conhecˆ-los.
Jos‚ Geraldo Othoni
Juiz de Fora
Oi GeraldÆo (rapaz, como tem Geraldo em Minas!), obrigado pela dica. Eu j  fiz esta reportagem quando estava em outras revistas, mas vou atr s do pessoal e tentar novamente.

Vira casaca
Assim como o pessoal achou absurdo e uma piada ou uma com‚dia sobre a velocidade final da Tornado, eu tamb‚m achei, quem fez o teste e disse que a Tornado da 168 KM/h ‚ um bincalhÆo! Obs: velocidade m xima real da XT 600 = 158 KM/h
Robledo Ferreira da Silva
Frutal/MG
P“, Robledo, qual‚ a sua? Primeiro me elogia, agora me chama de doido.