C45F6279

Honda CB 600F Hornet 2012

 

A Honda Hornet: "Street Fighter Naked" é líder e quer continuar assim

A Honda Hornet: "Street Fighter Naked" é líder e quer continuar assim

Lançada em novembro de 2004, a Honda CB 600F Hornet é a naked de média cilindrada mais vendida do País. Aliás, é aqui no Brasil onde mais se vende Honda Hornet em todo o mundo. São 424 unidades em média todos os meses. Ela está na segunda geração e para não perder força de vendas e garantir a liderança, agora levemente ameaçada por vários outros modelos nacionais e importados, a Honda decidiu fazer um “face lift” em algumas partes da moto e conseguiu também “emagrecer” seu preço. O resultado é que ela continua bonita e desejada, só que agora custa aproximadamente 10% menos: R$ 30.800,00 (versão Standard) e R$ 33.800,00 (versão C-ABS).

Números da Abraciclo: a líder não quer perder espaço

Números da Abraciclo: a líder não quer perder espaço

A Honda assume que deseja transformar a Hornet no “sonho acessível para o mercado brasileiro e quer permitir o step-up (subir um degrau) para a categoria de média/alta cilindrada”. Abaixo da classe de 600 cc de cilindrada dentro do segmento estão as naked de 250 a 300 cc, todas não faixa de R$12 mil a R$15 mil reais. Ou seja, o cidadão que quiser subir de categoria precisa dobrar seu investimento. As concorrentes Yamaha XJ6-n, Kawasaki ER6-n e Suzuki Bandit 650 custam menos de R$ 30 mil.

A queda no preço da Hornet é para colocá-la mais próxima da base do que do topo da categoria, onde estão BMW F 800R e Kawasaki Z750 com preços superiores a R$ 38 mil. Com a redução no preço da Honda CB 600F Hornet, conseguida também pelo aumento da escala de produção (das atuais 470 unidades mensais para 580 unidades mensais), a Honda mostra que não está disposta a perder seu espaço. Os números de venda provam a vitalidade da Hornet nas lojas e atacado (Abraciclo) e varejo (Fenabrave) caminham juntos.

Antes (esq) e depois: novo farol integrado ao painel em peça única

Antes (esq) e depois: novo farol integrado ao painel em peça única

O novo design do conjunto frontal agora está mais compacto e é composto por farol e painel de instrumentos digital integrados à carenagem. A nova rabeta foi reposicionada para o alto para ressaltar o estilo “esportivo despojado”, característico das naked.  O assento recebeu alterações para melhor encaixe das pernas do piloto e agora traz alças do garupa embutidas nas laterais. Parece pouco, mas a traseira da moto mudou completamente, inclusive o sub-chassi, que colocou todos os elementos da traseira da Hornet numa única linha, deixando-a mais limpa e esportiva. A Honda classifica comercialmente a Hornet 2012 como uma “Street Fighter Naked” – combinação de forma robusta, linha aerodinâmica e estética agressiva. Parece um bom “slogan” para a líder do segmento.

O painel anterior (esq) e o atual: seguindo tendência

O painel anterior (esq) e o atual: seguindo tendência

O novo painel de instrumentos é totalmente digital e tem um grande display horizontal em LCD. O painel traz as informações do velocímetro, indicador do nível de combustível, conta-giros em gráfico de barras, temperatura do líquido de arrefecimento, relógio, leitura do hodômetro total e parcial e computador de bordo (consumo instantâneo e médio em km/litro e “range” (autonomia) em Km/litro e litro/100km), além de luzes indicadoras de direção, neutro, farol alto, injeção eletrônica, pressão do óleo, H.I.S.S. (Honda Ignition Security System) e sistema de freios C-ABS opcional. O conjunto ótico dianteiro é totalmente novo e recebe luz de posição em LED.

Na traseira a lanterna tem novo formato em LED e está integrada à rabeta, acompanhando as linhas do assento, que ficou mais ergonômico e teve as alças de apoio do garupa integradas ao design da rabeta. O escapamento, com configuração do tipo 4X2X1, é de aço inox e possui sensor de oxigênio, além de sistema de catalisadores internos. A capacidade do tanque é de 19 litros, com 3,5 litros de reserva.

Antes (esq) e depois: o "up" na traseira é evidente

Antes (esq) e depois: o "up" na traseira é evidente

Mecanicamente nada mudou na Hornet. Seu motor DOHC (duplo comando no cabeçote), de 16 válvulas, 4 cilindros em linha e 599,3 cm3, com arrefecimento a líquido, gera uma potência máxima de 102 cv a 12.000 rpm e torque de 6,5 kgf.m a 10.500 rpm. O peso seco é de 188 kg na versão Standard e 193 kg na opção com sistema de freios C-ABS. O sistema de injeção eletrônica de combustível PGM-FI (Programmed Fuel Injection) possui sensor de oxigênio e catalizadores. A distância entre eixos é de 1.435 mm e a suspensão dianteira é do tipo garfo telescópico invertido “upside down” de 120 mm de curso. Já a suspensão traseira é monoamortecida (monochoque), com sete regulagens de pré-carga da mola, e conta com 128 mm de curso.

 

A Hornet tem todos os ingredientes para continuar olhando as concorrentes de cima

A Hornet tem todos os ingredientes para continuar olhando as concorrentes de cima

Uma das versões da CB 600F Hornet vem equipada com sistema de freios ABS (Anti Lock Brake System) com CBS (Combined Brake System), como versão opcional. Enquanto o ABS evita o travamento e, consequentemente, deslizamento dos pneus em superfícies escorregadias, o CBS tem a capacidade de equilibrar e distribuir a frenagem das rodas traseira com dianteira no acionamento do pedal de freio. A versão Standard utiliza freio dianteiro a disco duplo flutuantes, com cáliper de pistão duplo e diâmetro de 296 mm. Já o traseiro dispõe de disco de 240 mm e é acionado por cáliper de pistão simples. Disponível nas cores preta e verde metálica, a CB 600F Hornet 2012 está na rede de concessionárias Honda a partir deste mês de agosto.

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.