CBX 750 Vermelha - Bitenca

Honda CBX 750 e CBR 1000F – Motos de categoria

CBX 750 Vermelha - Bitenca

CBX 750 Vermelha - Bitenca

Oi, Tive 03 cbx750 adorei, quero comprar outra e ja estou cotando. Quero saber de peças no mercado se é facil achar. Gostaria que a Honda voltasse a fabricar cbx 750 iria ser sucesso. Obrigado João, 36, São Paulo, SP.

R: Olá João,
A Honda CBX 750 (E, F, G) foi produzida entre 1984 e 1988. A partir de 1986 foi importado pela Honda do Brasil que a partir de então iniciou o processo de nacionalização. Foi vendida principalmente para o mercado Europeu e Australiano além do da Africa do Sul e Brasil. A CBX 750 foi desenvolvida a partir da CB 750 juntamente com a VF 750 com um desenho totalmente novo.
A CBX 750 foi um modelo tampão, desenvolvido para manter as vendas até que a VFR 740 V4 pudesse ser lançada, porque o modelo VF750 assim como a própria CBX 750 tinham problemas com o tensionador de corrente de comando de válvulas. Duravam cerca de 75.000 Km apenas.
Até 1988 as rodas dianteiras tinham aro de 16 polegadas, o que restringe disponibilidade de pneus e embora esse modelo seja idolatrado pelos brasileiros, porque foi a primeira moto de grande cilindrada importada oficialmente pela fábrica ela na verdade estava em promoção na Inglaterra e foram os estoques excedentes que vieram para cá.
Abraços,


Vocês têm alguma reportagem da CBR 1000F?
Estou procurando para saber da historia da moto, pois tenho uma e estou restaurando. Leandro, 29, Volta Redonda, RJ

CBR 1000F Preta e branca - Bitenca

CBR 1000F Preta e branca - Bitenca

R: Olá Leandro,
Lançada em 1987 a Honda CBR 1000 F, tambem conhecida como Hurricane é uma motocicleta da categoria esporte turismo fabricada pela Honda de 1987 a 1999. O motor de 998 cm3 tem duplo comando de válvulas (DOHC) quatro cilindros, 16 válvulas e mais de 130 bhp, alcançando 260 Km/h.
O produto passou por três grandes revisões. Em 1989 recebeu novas carenagens com uma nova frente, suspensão reforçada e novos pneus radiais. Para dar conta do aumento de peso o motor recebeu mais alguns cavalos, passando para 135 bhp. Um novo sistema de guia de corrente de comando diminuiu o barulho no motor.
Em 1992 a moto sofreu mais outra modificação que melhorou a aerodinâmica. Nesse ano a Honda introduziu o DCBS ou Dual Combined Brake System. Esse sistema combina os freios dianteiro e traseiro automaticamente, quando se aplicava força no manete a frenagem também era acionada na roda traseira. Assim como se acionado o pedal, um pistão era acionado na roda dianteira, da mesma forma que o atual C-ABS. Esse sistema foi que evoluiu dessa aplicação inicial em 1992. Dai para frente o modelo não sofreu grandes modificações.
A moto tinha 235 Kg (depois de 1992) e o banco apenas 780 mm de altura, 1505 mm entre eixos e chassi perimetral em aço. Suspensão telescópica de 41 mm de diâmetro, assistido a ar e na traseira um mono amortecedor ajustável.
O motor desloca 998 cm3 e usava quatro carburadores Kei-Hin de 38 mm de velocidade constante (a vácuo). O diâmento e curso dos pistões é de 77 x 53,6 mm produzindo 130 bhp em 8600 rpm e 8,36 Kgf.m de torque em 6500 rpm nas primeiras versões.
O nome Hurricane deixou de ser usado em 1989 mas como não deram outro nome para o modelo ele continuou a ser chamado assim pelo mercado. Em 1994 a série Supersport foi introduzida e o modelo CBR 1100 XX Fireblade passou a substituir no mercado americano a partir de 1996. Mas na Ásia e Europa a Hurricane continuou até 1999.
Abraços