CG150_mov3

Honda CG Titan 150

Sabe aquele surrado dito popular que diz: “Em time que está ganhando não se mexe”? Pois é, a Honda com sua nova linha CG 125/150 2014 prova que esta “sabedoria” popular não é assim tão sábia. Fora aqueles milhões de motonetas tipo “cub” que circulam nas ruas das cidades de diversos países da Ásia, a linha Honda CG é há muitos anos o veículo automotor mais vendido do Brasil e se não for a mais, é uma das motocicletas mais vendidas em todo o mundo!

CG 150 Titan EX: nova em todos os ângulos

CG 150 Titan EX: nova em todos os ângulos

Fazer um teste desta moto, sobretudo no Brasil, onde milhões de motociclistas que a usam para os mais variados fins já comprovaram suas qualidades, não é uma tarefa simples. Afinal, lá se vão 36 anos desde que a primeira Honda CG 125 foi lançada no Brasil e desde então é fabricada e vem recebendo mudanças e aprimoramentos. Será que ainda há o que melhorar na linha CG (City General)? Sim, há e muito!

Mudar para continuar ganhando; sinal do aperto da concorrência?

Mudar para continuar ganhando; sinal do aperto da concorrência?

E é exatamente isso que os engenheiros da Honda pensam todos os dias. Essa tarefa é facilitada pelos milhões de consumidores que estão fazendo isso diariamente nas ruas. Basta conversar com alguns destes motociclistas que utilizam uma Honda CG 150 e descobrir suas características positivas e negativas, o que no fim das contas, acabam por deixar claro porque é ela o sucesso de vendas reconhecido até internacionalmente.

No entanto, apesar desta condição invejável, a fábrica busca de forma permanente soluções para modificar a moto, o que nem sempre significa melhorá-la do ponto de vista dos consumidores. Mas na visão da fábrica, essas mudanças realizadas a cada tanto tempo levam o nome de aprimoramentos. Claro, nenhum fabricante muda seu produto para deixá-lo pior, mas sempre com o objetivo de deixá-lo melhor do ponto de vista técnico, seja em virtude de uma exigência do mercado ou do ponto de vista financeiro, para reduzir custos e manter a lucratividade para a fábrica e distribuidores, além de tentar manter o preço competitivo para o mercado.

Ciclística invejável e bom nível de conforto são destaques

Ciclística invejável e bom nível de conforto são destaques

De fato, a Honda CG 150 2014 recebeu diversas modificações para manter-se a mesma: robusta, econômica, ágil e confortável. Só que agora ela está mais bonita e de fato melhor. O modelo avaliado – CG 150 Titan EX – chama muito a atenção no meio das outras motos aparentemente “iguais” tecnicamente. As novidades estéticas são muitas na nova CG 150 Titan e deixaram a moto realmente diferente e com aspecto de uma moto maior. As tampas laterais agora acompanham a linha inferior do tanque de combustível e formam conjunto com a extensão na parte frontal.

Além disso , as novas cores – branco, preto e vermelho -, o novo grafismo e a nova carenagem do farol dianteiro na cor da moto combinado com o preto fosco tiram da moto o ar utilitário e lhe dão um aspecto requintado. As modificações estéticas seguem na nova rabeta que traz a lanterna assemelhando-se a LEDS e no novo farol que integra-se melhor ao conjunto, além de oferecer iluminação mais precisa e com menos dispersão da luz, o que de fato ajuda muito em todas as condições de uso urbano ou mesmo nas estradas.

Uso urbano: porte avantajado e vantagem se usar álcool

Uso urbano: porte avantajado e vantagem se usar álcool

O painel também mudou completamente e está encaixado na carenagem e parece formar um único conjunto com o farol dianteiro, mas na verdade são peças separadas. Totalmente digital e com um único mostrador, traz hodômetro total e parcial, relógio, marcador do nível de combustível e as luzes indicadoras de partida a frio, pisca, neutro e farol alto. Já que esta é a versão mais completa do modelo, seria bom se tivesse também o conta-giros, além de um requinte que se encontra em motos concorrentes, como o indicador de marcha engatada. Mas esse é um “aprimoramento” que a fábrica pode incorporar num nova futura mudança no modelo.

A grande alteração porém, está no chassi. Uma nova liga de chapa laminada em aço carbono é utilizada na sua fabricação e um batalhão de robôs fazem a soldagem das peças estampadas, de forma que o conjunto ficou mais leve e resistente, com a redução de 4 kg no peso total da moto. Essa modificação melhorou ainda mais a agilidade da moto e tornou-a mais amigável no trato, dando a sensação ao motociclista que ocupa pela primeira vez o assento de que aquela moto é uma velha conhecida. Soma-se a essa agradável sensação uma alteração no perfil do banco, com espuma de maior espessura e de ação progressiva, com efeito parecido com gel.

Titan perdeu o ar utilitário e busca semelhança com as naked

Titan perdeu o ar utilitário e busca semelhança com as naked

A suspensão da nova CG 150 Titan também foi modificada. A dianteira sofreu mudanças nas bengalas e ganhou 5 mm de curso e recebeu uma nova calibração. Na traseira os dois amortecedores tem molas com ação mais progressiva, o que implica em menor necessidade de ajuste na pré-carga das molas. Esse novo conjunto é decisivo para o excelente comportamento ciclístico e para o bom nível de conforto da CG 150 Titan EX, não apenas no uso urbano intenso, mas também para pilotagem por longos períodos em estradas, inclusive.

Vale a pena usar álcool com a CG 150 Titan EX

Vale a pena usar álcool com a CG 150 Titan EX

Ponto forte e que sempre mereceu destaque na linha CG, o motor também recebeu ajustes. O sistema de alimentação por injeção eletrônica PGM-FI foi recalibrado, segundo a fábrica, para otimizar o consumo e oferecer melhor rendimento nas retomadas de velocidade e melhorar o torque em baixas rotações. De fato a moto teve desempenho de consumo adequado à proposta, alcançando a média de 28,6 km/l com álcool e de 33,2 km/l na gasolina comum. Importante salientar que na avaliação o uso da moto seguiu o dia-a-dia de qualquer motociclista, com utilização na cidade que incluiu transito pesado, grandes avenidas e congestionamentos, e também uso rodoviário, com trechos de estradas de pista simples e grandes rodovias.

Tudo novo: amortecedores com molas redimensionadas, rabeta com lanterna que imita LED e painel totalmente digital, mas sem o conta-giros

Tudo novo: amortecedores com molas redimensionadas, rabeta com lanterna que imita LED e painel totalmente digital, mas sem o conta-giros

O mais interessante neste caso é que, ao contrário dos carros, a pequena diferença de consumo entre o álcool e a gasolina na CG 150 Titan EX compensa o uso do álcool (veja tabela). O custo do combustível para cada km rodado com álcool é 26,58% menor em relação à gasolina, considerando os preços de R$2,63 para o litro da gasolina e R$1,66 para o litro do álcool. Outro fator que deixa clara a vantagem é que durante toda a avaliação não foi percebida qualquer diferença de desempenho no moto, apesar da fábrica declarar potência e torque (no virabrequim) ligeiramente maiores para o álcool em relação à gasolina – 14,2 cv e 1,32 kgf.m para a gasolina contra 14,3 cv e 1,45 kgf.m para o álcool.

Na prática, a CG 150 Titan EX deixa a impressão que falta um pouco de torque em rotações mais baixas, pois percebe-se uma certa lerdeza nas retomadas de velocidade, exigindo redução de marcha para que o motor ganhe a força necessária para empurrar a moto mais rapidamente. A impressão que fica em determinadas situações é que as marchas estão um pouco alongadas demais, não tendo cavalos suficientes para encher o motor. Só que isso não é verdade, pois o motor grita e enche com vigor até a quinta marcha, levando a moto a velocidades próximas de uma imaginável faixa vermelha do conta-giros, onde o motor fica de fato bem esperto.

Cores disponíveis: preto, branco e vermelho

Cores disponíveis: preto, branco e vermelho

Um dado que deve ser revisto (e resolvido) pela fábrica é a grande margem de erro que marca o velocímetro da moto. Em velocidade real de 100 km/h, medida pelo GPS, o velocímetro da moto marca 112 km/h. Esse erro de 12% é excessivo e acaba iludindo os motociclistas, que acham que sua moto chega a mais de 130 km/h (no velocímetro), quando na realidade estão aquém dos 120 km/h. O lado positivo desse erro é o efeito psicológico que faz evitar o excesso de velocidade pois o velocímetro marca sempre 12% a mais do que a velocidade real.

No computo geral, a CG 150 Titan EX mostra que o time que já estava ganhando se renovou para a próxima temporada. Os 36 anos de aprimoramento justificam a posição de líder e a credenciam para continuar assim. Mas Sua Majestade, O Consumidor é quem vai continuar julgando e dizendo se o que a fábrica aprimorou na CG 150 Titan está válido e será suficiente para que ela continue sendo o veículo automotor mais vendido do Brasil.

Ficha técnica - CG 150 Titan EX

Ficha técnica – CG 150 Titan EX