Honda com motor V2 de 250cc estréia na Europa

Honda com motor V2 de 250cc estréia na Europa

Honda com motor V2 de 250cc estréia na Europa

Sucesso de vendas no Japão, a naked VTR 250 é lançada na Espanha com injeção eletrônica e estilo renovado.

Por aqui os motociclistas brasileiros aguardam ansiosos pela substituta da aposentada CBX 250 Twister, a naked de 250cc da Honda. Enquanto isso, no continente europeu a marca japonesa apresentou nesta semana a nova VTR 250 versão 2009 para incrementar ainda mais o mix de produtos na categoria, tão popular além mar quanto cá no Brasil.

Isso porque em alguns países europeus a habilitação para motocicletas tem diversos níveis, restringindo o uso de determinada cilindrada. Uma dessas habilitações permite pilotos jovens e sem muita experiência guiarem motos de até 250 cm³.

Embora nova na Europa, a VTR 250 já tem uma bem-sucedida trajetória no Japão, onde seu desempenho esportivo, facilidade de condução e confiabilidade fazem dela a líder na categoria de um quarto de litro. O motor de dois cilindros em “V” nasceu na VT 250F de 1982. Depois de muitas atualizações, mantendo sempre a mesma arquitetura, foi montado na primeira VTR 250 em 1997.

O grande diferencial do modelo em sua primeira versão foi o quadro em treliça. Desde então a VTR 250 atraiu motociclistas jovens e iniciantes por sua facilidade de pilotagem. Reestilizada e atualizada para 2009, a VTR 250 faz sua estréia no continente europeu em um momento em que seus atributos são muito bem-vindos. Já que o transporte de duas rodas está ganhando cada vez mais espaço no velho continente como uma maneira prática e econômica de se locomover.

Honda com motor V2 de 250cc estréia na EuropaA proposta da VTR 250 é ser uma moto prazerosa e de fácil pilotagem. A pequena naked esbanja estilo e certo ar de exclusividade devido ao motor em V e o quadro treliçado.

Motor
A unidade motriz da renovada naked de 250 é um bicilíndrico em V a 90 graus com duplo comando no cabeçote e arrefecimento líquido. Ela ganhou o moderno sistema de injeção de combustível PGM-FI da Honda para um funcionamento suave e também para proporcionar torque desde as baixas rotações. O motor V2 oferece 29 cv de potência máxima a 10.500 rpm, além de torque máximo de 2,24 kgf.m a 8.500 rpm.

Em conjunto com o câmbio de cinco marchas, a VTR 250 promete conforto e economia de combustível. Fazendo dela uma moto ideal para o dia-a-dia e também para viagens no final de semana.

Ciclística
O estilo da pequena VTR é marcado pelo seu quadro de aço em treliça, que lembra muito as italianas Ducati. Facilitando a pilotagem dos inexperientes o banco está apenas a 77 centímetros do chão. Para agüentar os trancos das vias a suspensão dianteira é do tipo garfo telescópico com 117 mm de curso e a traseira conta com único amortecedor de 125 mm de curso. A suspensão traseira ainda traz ajuste da pré-carga da mola.
Estabilidade também não será problema para a VTR, ao menos na teoria. As rodas de liga-leve são calçadas com pneus sem câmara, nas medidas 110/70 – 17, na dianteira, e 140/70 – 17, na traseira.

Os freios da VTR 250 merecem destaque. O avantajado disco dianteiro tem 296 mm de diâmetro e é mordido por pinça de pistão duplo. Na traseira, a VTR também usa freio a disco de 220 mm acionado por pinça de pistão simples.

Preço competitivo
Recém lançada na Europa, a nova VTR 250 custa 4.699 Euros na Espanha e estará disponível a partir de maio nas revendas hispânicas. Só para comparar: a nossa aposentada Twister é vendida em Portugal com o nome de CBF 250 por 4.430 Euros. Pouca diferença se levarmos em conta o motor V2, o estilo mais moderno e o freio a disco na traseira da VTR. Bem que a VTR não seria uma má opção para os fãs de Twister no Brasil, ainda mais se o preço fosse semelhante.

Mas a assessoria de imprensa da Honda tratou de frustrar as esperanças dos órfãos da Twister e prontamente respondeu nossas indagações por e-mail: “não há previsão do modelo VTR 250 vir para o Brasil”.