Honda Magna 750, Segurança e Motonline

Honda Magna 750, Segurança e Motonline

Honda Magna 750, Segurança e Motonline

Caro amigo ,tu que não és muito chegado a moto custom ou estradeira, gostaria de saber se já andaste na Honda Magna 750 ,é uma maquina incrivel ,com um otimo motor de 4cilindros ,em v ,quatro escapamento ,gostaria se possivel experimentase um ,e fizesse o teste. AFRANIO DE SOUZA, Bagé-RS

R: Afrânio, vamos responder a 6 mãos: “Afranio, Eu particularmente conheço bem essa moto, fiz longos passeios com uma delas e posso dizer que é muito boa. O motorzão derivado da tecnologia da NS500 de pistões ovais era um V4 740cc e tinha muito torque e um ronco fantástico. A ciclística não era tão custom assim, tinha boa dirigibilidade e maneabilidade. Sua eletrônica era complicada para a época e dava bastante trabalho. Ainda conheço o dono dela que apanha com a recuperação do motor que sofreu avaria no cabeçote traseiro, típico em motores em V. Se tem duas rodas e um motor, pode acreditar que me atrai. Preconceito, não tenho. Andei e recuperei o motor da primeira Indian 48 Chopper feita no Brasil. O que não me atrai são motos feitas para apresentar em salão com pouca ou nenhuma utilidade. Deviam expor em galerias de arte pois mais se parecem com esculturas. Abraços, Bitenca”.

“Ola Afranio … sou do tempo que moto era somente moto, e não tinha outras classificações, portanto sou chegado em moto, seja ela qual for!
Quanto a MAGNA, eu acredito que a mesma foi uma referencia, e hoje somente uma página do motociclismo. Posto isso, fica muito dificil se fazer um teste haja vista a ciumeira de seus donos. Um forte abraço, e vida longa …Muito obrigado João Tadeu Boccoli”

E a minha: Caro Afrânio, realmente, custom não é minha praia. Mas a Magna 750 é um dos poucos modelos que teria, certamente, na minha garagem. Quanto o teste, fica difícil, salvo se algum motonliner nos emprestar, pois a Magna teve sua produção suspensa em 1998. Grande abraço

Eu acho sensacional a preocupação do motonline com a segurança e estou vendo no mercado um aumento muito grande de oferta de produtos nacionais de boa qualidade com um preço mais acessivel, mas infelizmente, ainda sai muito caro equipar-se para andar de moto.
Eu uso a moto todos os dias para ir e voltar do trabalho e algumas viagens em finais de semana. Mesmo na cidade, ando de luvas, botas e jaqueta, tudo isto à um custo de mais de 2 mil reais, mesmo não comprando os equipamentos top de linha. Quando paro a moto no estacionamento, tiro a bota, coloco meu sapato social e guardo os esquipamentos no bau. Perco uns 5 minutos nesse processo. A sensação de segurança compensa todo o desconforto de utilizar toda essa parafernalia debaixo de um calor de mais de 30 graus. Agora, acho que o governo deveria atuar mais nessa área. Primeiro com conscientização. Segundo, poderia haver algum tipo de incentivo aos profissionais das duas rodas para que eles se equipassem. Outra coisa que acho um absurdo é o fato de o motociclista não precisar ter uma habilitação especial para usar a moto como instrumento de trabalho. Taxistas, caminhoneiros, motoristas de vans, todos precisam, por que o motoboy não? Mas não apenas para criar burocracia ou aumentar as despesas dos profissionais e sim com cursos especificos para estes profissionais. A regulamentação total da profissão é uma medida que deve ser tomada com urgencia, pois o que ocorre hoje é uma verdadeira carnificina. E aos motociclistas, me conselho é simples. Gaste uma graninha, mas ande equipado.Recentemente um amigo sofreu um acidente idiota, em baixa velocidade, colidindo com um carro que estava na contramão. Resultado, perna quebrada, dois meses de molho, mais de seis meses de fisioterapia e, como ele já tinha fraturado essa mesma perna, o aconselhamento medico de nunca mais andar de moto, pois se quebrar essa mesma perna mais uma vez, adeus. Se ele estivesse com uma bota apropriada, muito provavelmente nada teria ocorrido. Rogerio Tofoli, São Paulo – SP

R: Rogério que ótimo que você anda equipado, passe seu exemplo para outros motociclistas, informando os benefícios. No entanto, dado a concorrência os preços têm caído ou tem se tornado mais acessível. Hoje você consegue andar equipado por um valor menor do que você está dizendo e exemplifico: Jaqueta SBK R$ 350,00, Luvas (com proteções em kevlar) R$165,00, botina modelo para Moto R$165,00,Capacete CMS a partir de R$ 350,00 e calça um bom jeans R$ 120,00. Pronto o motociclista tem o básico por R$ 1.150,00 (um mil cento e cinqüenta reais) podendo ainda, variar para baixo, se pegar promoções ou para cima a gosto do consumidor. Se o motociclista for consciente e focado no seu objetivo, consegue comprar o básico.

grande abraço e lembrem-se: equipamento não é só capacete.