pcx_mov3

Honda PCX

Estará nas lojas na segunda quinzena de maio o scooter Honda PCX modelo 2014. O novo integrante do line up da Honda de fato traz algumas características realmente novas e chama a atenção pelo design diferenciado, pela inovação e pelo preço agressivo do lançamento – R$7.990,00.

Nova degrau entre os pequenos e os médios: PCX vai movimentar o mercado

Nova degrau entre os pequenos e os médios: PCX vai movimentar o mercado

Com a chegada do PCX (é este o nome oficial – PCX, apenas), a Honda segue mostrando sua disposição de não ceder nenhum espaço de sua gigantesca participação no mercado brasileiro e ataca nichos de mercado onde as marcas concorrentes não conseguem atuar. “Nosso objetivo é fortalecer nossa base de scooter dando a opção imediatamente acima do Lead”, explica Alfredo Guedes, supervisor de Relações Públicas da Honda.

Inovação: motor desliga após 3 segundos quando a moto pára e volta a funcionar com o movimento do acelerador

Inovação: motor desliga após 3 segundos quando a moto pára e volta a funcionar com o movimento do acelerador

De fato, quem gosta de scooter e tem um dos pequenos ou, aqueles que não tem moto, mas gostariam de ter um scooter, tinham até hoje, apenas a opção do Dafra Citycom 300i. Com a chegada do PCX, a Honda coloca um degrau entre os pequenos 100-125cc e o médio 300cc, sobretudo pelo preço anunciado de R$7.990,00, quase metade do preço do Citycom e 40% mais caro que um pequeno.

Com esta estratégia, preço atraente e uma produção preparada para distribuir mais de 1000 unidades todos os meses, não precisa ser profeta nem ter bola de cristal para dizer com segurança que a Honda acerta em cheio e o PCX tem tudo para fazer grande sucesso. “Nossos estudos mostram que há grande demanda para o PCX e mesmo entre os motociclistas que usam cub, que são muitos no Brasil todo, o PCX agrada e se configura numa excelente opção”, fala Guedes.

Entre seus atributos está o motor de 150 cm³, arrefecido a líquido, que tem como destaque o sistema inédito “Idling Stop System”, que permite que o motor desligue em marcha lenta após três segundos do scooter parado e volte a funcionar ao acionar o acelerador. A tecnologia, inédita no Brasil, permite uma redução no consumo de combustível e na emissão de poluentes próxima de 5%, segundo informa a Honda. Faz parte ainda da lista de conveniências do PCX a transmissão automática tipo CVT (V-Matic) – basta acelerar e frear.

Bom espaço sob o assento para um grande capacete e outros objetos

Bom espaço sob o assento para um grande capacete e outros objetos

Estilo

O design do PCX foge um pouco do tradicional. Suas linhas são modernas e lembram os scooter maiores, aqueles que são comumente chamados de “poltrona sobre rodas”. Mas não é este o caso do PCX. Aliás, bem ao contrário, o banco único em dois níveis tem um ressalto que serve de anteparo para o piloto não escorregar para trás e nem o garupa escorregar para frente. Mas este item incomoda um pouco e o banco é moldado em espuma muito dura. Por outro lado, o banco é largo e esse ressalto serve para forçar o piloto a manter a postura correta durante a pilotagem.

Botão para abrir o assento e o tanque de combustível no painel

Botão para abrir o assento e o tanque de combustível no painel

Na dianteira, o conjunto óptico tem um grande farol com fracas lâmpadas de 35/30W. Este aliás é um item que as fábricas precisam olhar com mais atenção pois envolve a segurança. Fazem um produto com a melhor tecnologia disponível e deixam de lado esse importante equipamento de segurança, o farol. Já está na hora das fábricas adotarem um padrão de lâmpada mais forte para as motos pequenas. Além de luzes de posição nas extremidades, o PCX traz na traseira uma alça que acompanha as linhas do scooter, ajuda na amarração de bagagens e serve de apoio ao garupa.

A exemplo dos outros, esse scooter também tem um grande compartimento sob o banco que de fato cabe um grande capacete fechado e ainda sobra espaço para outros objetos. Porém, ele não tem a plataforma lisa para apoio aos pés e eventual acomodação de um volume maior. São duas pequenas plataformas de apoio aos pés com o túnel bem no meio. Para abrir o compartimento sob o banco e a tampa para o tanque de combustível (5,9 litros) há um botão no painel, o que é uma vantagem pois o piloto não precisa sair do scooter nem tirar a chave para abastecer. Há ainda um bom porta-objetos localizado abaixo do painel.

Motor

Painel: destaque para a luz verde do lado esquerdo "stand by" do motor "adormecido"

Painel: destaque para a luz verde do lado esquerdo "stand by" do motor "adormecido"

O PCX é equipado com motor OHC (Over Head Camshaft), 153 cm³, quatro tempos e arrefecido a líquido. O modelo é alimentado por injeção eletrônica de combustível PGM-FI (Programmed Fuel Injection) e sua configuração segue o conceito ESP (Enhanced Power Smart), que visa reduzir ao máximo a emissão de poluentes e o consumo de combustível.

O motor gera potência máxima de 13,6 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 1,41 kgf.m a 5.250 rpm. De configuração “quadrada”, com o curso e diâmetro do pistão praticamente iguais (58,0 X 57,9), assegura torque equilibrado em todas as faixas de rotação. O sistema ESP ajuda na economia de combustível, pois reduz a rotação do motor quando percebe que a aceleração e a velocidade são constantes. “O sistema altera a relação das polias do CVT para baixar a rotação sem baixar a velocidade”, explica Alfredo Guedes.

Freios seguros com o sistema CBS

Freios seguros com o sistema CBS

O PCX traz o pioneiro sistema para motos denominado “Idling Stop System”, que desliga o motor do scooter quando ele estiver parado em marcha lenta após três segundos. Após o desligamento do motor, a luz indicadora de ativação do sistema pisca no painel informando ao piloto que o motor não está funcionando, mas esté em “stand by” (espera).

Neste momento, entra em ação o sistema ACG (Alternating Current Generator – Gerador de Corrente Alternada), que consiste em uma tecnologia que une motor de arranque e gerador de energia em uma mesma unidade. Com o ACG, o pistão é retornado para a posição ideal de partida (Swing Back), que é acionando no instante que o motor é desligado. Para religar, basta acionar o acelerador. Nesse instante da fase de compressão, a válvula de exaustão abre ligeiramente, reduz a força necessária para comprimir a mistura ar/combustível e permite a partida novamente de forma rápida e eficiente.

Apenas duas cores disponíveis

Apenas duas cores disponíveis

Esse sistema de liga desliga é meio estranho, pois lembra as antigas motos carburadas que perdem a marcha lenta e morrem no meio do trânsito. Mas isso é apenas uma questão de costume, pois a reação natural é dar a partida novamente, o que no PCX acontecerá normalmente. Assim, ao parar em um semáforo, por exemplo, após três segundos o motor desliga. Ao acelerar, automaticamente ele volta a funcionar e isso se dá quase que instantaneamente. Para quem acha isso desnecessário, o sistema pode ser desativado pelo piloto através de um botão localizado no punho direito, no lugar do corta-corrente.

Ciclística

Estável e seguro, o PCX vai bem até os 100 km/h no velocímetro

Estável e seguro, o PCX vai bem até os 100 km/h no velocímetro

O chassi é do tipo berço duplo em aço tubular e com distância entre eixos de 1.315 mm. O conjunto de suspensões apresenta na dianteira garfo telescópio com 100 mm de curso e na traseira conta com dois amortecedores com 85 mm de curso. As rodas maiores são outro diferencial favorável ao PCX, que enfrenta com tranquilidade todos os tipos de irregularidades das ruas brasileiras. Com 14 polegadas e pneus mais largos (90/90 na dianteira e 100/90 na traseira) o PCX oferece boa estabilidade, mas tem as limitações de todo scooter com velocidades maiores.

Estilo enxuto, o PCX traz um ar de modernidade para a categoria

Estilo enxuto, o PCX traz um ar de modernidade para a categoria

O motor acelera forte nas arrancadas e chega rápido aos 80 km/h. Em trechos de aclive ele mantém a velocidade e chega com tranquilidade aos 100 km/h. Mas nessa condição já começa a aparecer a limitação da ciclística do scooter, com movimentos estranhos e aquela característica oscilação ocasionada pelo tamanho menor das rodas. Os freios são muito bons e utilizam o sistema CBS (Combined Brake System) composto por disco com 220 mm de diâmetro na dianteira e tambor de 130 mm na traseira.

O CBS atua da seguinte forma: na roda dianteira há 3 pinças que mordem as pastilhas, mas apenas duas funcionam quando se aciona o manete do freio dianteiro. A terceira pinça é acionada junto com o tambor da roda traseira quando acionado o manete do freio traseiro. Na dianteira o freio é a disco com 220 mm de diâmetro e na traseira a tambor com 130 mm de diâmetro.

O PCX modelo 2014 estará disponível na rede de concessionárias Honda nas cores vermelha metálica e branca perolizada e a garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.