Horário de verão ajuda na economia de energia

Além de proporcionar dias mais longos, o horário de verão, que passa a vigorar a partir do próximo domingo (16) nas regiões Sul, Sudeste e do Centro-Oeste, além da Bahia, também possibilita a economia de energia, com a redução dos gastos na conta mensal. E o segredo não está apenas em aproveitar o maior tempo de luminosidade, abrindo janelas e cortinas. O engenheiro eletricista da Assessoria de Estudos e Programas de Conservação de Energia de Furnas, Alexandre Reis, dá dicas e mostra como pequenas atitudes podem ajudar a economizar energia.

“Na hora de estudar, por exemplo, uma boa opção é o uso da iluminação dirigida (spots), que torna o ambiente mais agradável e consome menos do que a tradicional luz central”, recomenda Alexandre. “Na cozinha, geladeira e freezer não devem ficar perto de fogão nem de outras fontes de calor, pois isso faz com que eles consumam mais energia para compensar o ganho de temperatura. Além disso, mantenha-os afastados pelo menos 15 centímetros das paredes para evitar o superaquecimento”, complementa.
Furnas, empresa geradora e transmissora de energia, já adotou medidas importantes para a redução de energia no seu Escritório Central, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. Com ações de otimização do consumo implantadas a partir de 1999, a empresa conseguiu reduzir em R$ 925 mil por ano o gasto com eletricidade, o equivalente a 38,6%. O sucesso da ação está na troca de alguns itens como luminárias e centrífugas de ar-condicionado.

No site da empresa (www.furnas.com.br) é possível encontrar um programa gratuito que simula a energia consumida em uma residência, apontando as substituições de lâmpadas e equipamentos que otimizam o consumo.

Dicas de economia
Um dos grandes vilões do consumo de energia é o chuveiro elétrico. Segundo dados da Eletrobras Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia), o aparelho responde por 24% da conta de luz de uma residência. Com as temperaturas mais altas, a dica é colocar a chave na posição verão. Além disso, evite usá-lo no horário de pico, entre 18h e 21h.

Alguns eletrodomésticos, como geladeiras, freezers, aparelhos de ar-condicionado, motores, coletores solares e lâmpadas têm consumo medido por centros de pesquisas do Governo Federal. Os mais eficientes ganham o Selo Procel. Na hora da compra, o consumidor deve priorizar esses modelos.

1. Economia coletiva
Quando se fala em uso racional da energia, o principal item a ser considerado é a iluminação. Elevadores e bombas d’água também contribuem muito para o consumo, mas exigem investimentos altos para a introdução de sistemas mais econômicos. É no uso adequado do sistema de iluminação que se pode obter uma economia considerável.

Confira a seguir algumas dicas de economia para aplicação nos condomínios:

Lâmpadas: As lâmpadas fluorescentes consomem bem menos energia do que as incandescentes. Um exemplo é a lâmpada fluorescente de 40 Watts, que ilumina mais do que uma incandescente de 100 Watts, com consumo inferior, e ainda possui vida útil 10 vezes maior. Quando o ambiente não permitir a instalação das fluorescentes comuns, é aconselhável a troca das lâmpadas incandescentes por “fluorescentes compactas”, que são projetadas para utilização no próprio soquete comum, sem a necessidade de modificar a luminária.

Minuterias e sensores de presença: Existem dois tipos básicos de minuterias: as coletivas (para vários andares) e as individuais (para cada andar). Para maior economia, o ideal é substituir o sistema coletivo pelo individual, instalando sensores de presença. Os sensores de presença proporcionam o acendimento automático das luzes quando ocorrer movimento no ambiente, desligando-se automaticamente quando o local for desocupado. Em geral, podem ser usados em corredores, escadarias e áreas comuns do edifício. Por já se tratar de sistemas bastante econômicos, não é recomendável o uso de minuterias e sensores de presença com lâmpadas fluorescentes. O constante “acende e apaga” reduz muito a vida útil desse tipo de lâmpada.

Garagem e hall de entrada: Em alguns casos, a garagem concentra o maior gasto de energia elétrica do condomínio. Recomenda-se o uso de lâmpadas fluorescentes neste local, desligando-se parte da iluminação durante o período de menor uso e, se possível, aproveitando a iluminação natural. Se o disjuntor da garagem for único, deve-se efetuar uma redistribuição desta ligação, adaptando-se vários disjuntores para acendimento parcial das luminárias. No hall de entrada, onde as luzes ficam acesas durante toda a noite, basta desenroscar ligeiramente as lâmpadas, para se conseguir a redução da iluminação, sem prejudicar a estética do ambiente. Pintar as paredes com cores claras também reduz a necessidade de muitas lâmpadas acesas.

Fuga de energia: É um fenômeno causado por emendas na fiação, fios desencapados e aparelhos defeituosos, que pode causar desperdício de energia elétrica. É recomendável a procura de um eletricista de confiança para a verificação da existência do problema no condomínio.

Elevadores: Em edifícios de até 30 apartamentos, deve-se deixar um dos elevadores desligado permanentemente. Isto proporciona uma economia de 50% da energia consumida na oferta deste serviço. Nos prédios com mais de 30 unidades, a recomendação é o desligamento de um dos elevadores nos seguintes horários: das 10 às 18 horas e das 22 às 6 horas. Nesse caso, a economia cai para aproximadamente 25%. Existem sistemas do tipo “agrupado”, possuindo apenas uma botoeira de chamada para dois elevadores. Nesse caso, o sistema já é econômico, não sendo aconselhável o desligamento do elevador. Outra boa opção é o “sinalizador de elevador preso”, que aciona um sinal sonoro se alguém estiver retendo o elevador com a porta aberta. Deve-se estimular também a maior utilização das escadarias, para subir ou descer poucos andares. Esta prática, além de economizar energia, faz bem à saúde.

2. Economia doméstica
• Roupas e tênis não devem ser colocados atrás da geladeira, pois isso aumenta o consumo de energia;
• Se você desligar o chuveiro enquanto ensaboa o corpo e o cabelo, isso reduzirá o consumo de energia (no caso de chuveiro elétrico) ou de gás (quando o sistema for a gás) e também de água;
• Ao utilizar o ferro, passe de uma só vez o maior número de peças possível e deixe o aparelho na temperatura indicada pelo fabricante para cada tipo de tecido;
• Quando for jantar ou fazer um lanche, retire todos os ingredientes de uma única vez da geladeira. O abre-e-fecha faz com que o aparelho trabalhe mais para manter a temperatura e aumente o consumo de energia;
• Troque as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes, as quais gastam 60% menos energia;
• Utilizar monitor e TV do tipo LCD também ajuda bastante na economia;
• O standby também é um vilão da conta de luz, pois ele utiliza entre 15% a 40% de energia. Por isso, a dica é desligar diretamente nos aparelhos ou na tomada quando não estiverem em uso;
• Por fim, antes de comprar um equipamento, escolha eletrodomésticos de baixo consumo energético, que possuam preferencialmente o Selo Procel de Economia de Energia.