Impressões ao pilotar a F 800 GS

Impressões ao pilotar a F 800 GS

Impressões ao pilotar a F 800 GS

A F 800 GS combina o uso on e off-road de forma brilhante.

Construida para viagens a longas distancias não recusa um uso agressivo, tanto na estrada (de preferência sinuosa) quanto na terra. Mas por conta de sua ciclística orientada ao conforto para longos trechos compromete um pouco na posição de pilotagem estritamente off-road no que tange à movimentação do piloto. Tem uma cintura fina que permite ficar em pé facilmente mas não se consegue adiantar à frente do banco para curvas mais agressivas por causa da largura do “tanque” (o tanque verdadeiro fica sob o assento) que obriga o piloto a uma postura mais relaxada. Impossível a posição de ataque para off-road.

As suspensões são bem equilibradas e absorvem muito bem os impactos na terra, até pequenos saltos. Precisa de alguma alteração no ajuste original da suspensão dianteira para maior dirigibilidade pois fica um pouco incerta em algumas situações.

O motor se apresenta muito elástico e parece que tem mais que os 85Hp anunciados pela fábrica. Favorece uma tocada agressiva pois gosta de trabalhar em alto giro, como se fosse uma moto dois tempos, bastante tranqüila em baixa, para uso na cidade mas empurra muito em alta rotação.

No geral, essa moto apresenta um resultado excepcional em ambos os terrenos que somente é superado por motos com foco específico de rally ou street.

O novo modelo não apenas oferece as qualidades típicas de uma big trail. Ela é redefinida pelo fabricante como uma “enduro de viagem” porque oferece excelentes características de condução on e off-road. O resultado do projeto combina equilíbrio da ciclística, suspensões bem calibradas e boa relação peso/potência