Mototurismo_1_15_06

Inscrições para o Brasileiro de Moto-Turismo já estão abertas

Emoção, adrenalina, força de vontade e superação. Todos esses componentes foram necessários aos pilotos que participaram da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Moto-Turismo, a prova CBM – Hiperação de motociclismo de resistência, e com certeza também serão importantes para os participantes da segunda etapa.

Na etapa anterior, foram três modalidades: 1000 km em 24 horas – Prova calor, 1500 km em 24 horas – Prova chuva e 2000 km em 24 horas – Prova vento. Já na próxima etapa, que acontece nos dias 29, 30 e 31 de agosto, em São Paulo (SP), a competição contará com uma modalidade a mais: 3000 km em 48 horas – Prova noite.

As provas de resistência em motociclismo são propostas aos pilotos que buscam o desenvolvimento e aprimoramento em técnicas e bons procedimentos para a prática de Moto-Turismo de longas distâncias, onde o planejamento e a atenção com a segurança do competidor e da motocicleta estão entre as prioridades. As distâncias percorridas em uma competição podem variar de 1000 a 7000 km, com condições técnicas e tempo pré-determinados, mas sempre com respeito às regras e leis de trânsito. “A ideia dessas provas é superar os seus próprios limites e se autodescobrir nessas provas. Ao contrário do que pensam, atenção, segurança, condicionamento físico, gestão emocional, conservação da motocicleta, e atender as regras e leis de trânsito, são prioridades. Por isso, o planejamento é fundamental para a realização de provas, onde conscientização e atitude são fundamentais”, ressalta Oswaldo Fernandes Junior,  diretor de Moto-Turismo da CBM – Confederação Brasileira de Motociclismo. Por isso, os pilotos que tiverem melhor estratégia, controle físico e emocional, tem chances de obter melhor desempenho e superação nessas competições.

O piloto Gustavo Araújo que participou da Prova Vento, na primeira Etapa, aprovou a competição: “Foi uma experiência única, identificar e superar os limites do corpo. É mais um passo no autoconhecimento tanto da máquina quanto do piloto. Estamos um passo a frente, sabemos até aonde podemos ir”.

Na primeira etapa foi instalado um rastreador veicular em cada motocicleta, para que a organização de prova, familiares e amigos pudessem seguir e rastrear cada piloto, avaliando posicionamento real, velocidade de pista, rota realizada e condição técnica de cada piloto. Foi uma ferramenta importante para supervisão e acompanhamento geral da prova.

As inscrições para a segunda etapa já estão abertas. Para participar da competição, o piloto deve ser filiado ou filiar-se à CBM. Após fazer a filiação pelo site da CBM – solicitar a ficha de inscrição pelo e-mail: info@mototurismocbm.com.br.

Confira o resultado da primeira etapa:

Calor: 1000 km em 24 horas
Fernando Porto

Chuva: 1500 km em 24 horas
Alceu Yamauti
Pedro Luiz Gomez Cardoso
Hugo Eneas Salomone Filho
Rindley Silva
Daniel Fernando Martines
Claudinei De Paula Santos
Luiz Miguel Muñoz Faria

Vento: 2000 kms km em 24 horas
Gustavo Dias Araújo Dos Santos
Luis Antonio Arakaki
Antonio Marcos Lara Dias
Fausto Marcos Sampaio
Rodrigo Tonieti
Antonio Lopes
Cesar Peralta