A italiana TM desembarca no Brasil para disputar o mercado de motos off-road

Italiana TM chega ao Brasil de olho no mercado off-road

Devido à estabilidade econômica, o mundo off-road vive um momento especial. O número de campeonatos de off-road tem crescido, junto com o número de competidores, o que gera uma demanda crescente de motos específicas para a prática de motocross, supercross, velocross, enduro, cross-country, free-style, rally ou apenas para lazer, nas trilhas de final de semana.

Esse mercado em expansão tem atraído o interesse dos fabricantes dessa categoria de motocicletas ausentes em nosso país, que aqui chegam de olho no potencial desse segmento.

A italiana TM desembarca no Brasil para disputar o mercado de motos off-road

A italiana TM desembarca no Brasil para disputar o mercado de motos off-road

Na última terça-feira (28) foi a vez da tradicional fabricante italiana de motocicletas, a TM, que anunciou sua chegada no mercado brasileiro para disputar uma fatia desse bolo. O anuncio foi feito, em evento destinado à imprensa do setor e concessionárias da marca, realizado na Fazenda ASW Off-Road Park, em Mogi das Cruzes (SP).

e traz na bagagem, inicialmente, modelos de 250 e 450 cc

trazendo na bagagem, inicialmente, modelos de 250 e 450 cc

A operação teve início em junho, com a TM trazendo na bagagem, 16 unidades de quatro modelos (MX 250, EN 250, EN 250 FI  e EN 450 FI). O objetivo da empresa é comercializar outras 32 unidades até o fim deste ano.

Para atender às exigências do mercado nacional, as motocicletas sofreram um processo de “abrasileiramento”, recebendo pequenas alterações para se adaptar ao combustível nacional e ao público brasileiro.

Dentre as mudanças mais significativas estão a presença da partida elétrica em todos os modelos 4 tempos, câmbio de seis velocidades e tratamento especial das suspensões para aperfeiçoar ainda mais o funcionamento das bengalas Marzocchi de 50 mm de diâmetro.

Quanto maior a concorrência, melhor para o consumidor

Quanto maior a concorrência, melhor para o consumidor

Quem ganha com isso é o consumidor, já que quanto maior o número de fabricantes, maior é a briga pelo mercado, com a consequente redução de preços e aprimoramento do pós-venda.

As primeiras unidades estão sendo comercializadas com valores a partir de R$ 28.000,00.