Foto: Gilson Scudeler inicia a caminhada rumo ao octacampeonato

Jacarepaguá abre a temporada 2009 do Novo Campeonato Brasileiro de Motovelocidade

Foto: Gilson Scudeler inicia a caminhada rumo ao octacampeonato

Foto: Gilson Scudeler inicia a caminhada rumo ao octacampeonato

Aguardado com muita ansiedade por parte de pilotos e dirigentes, o Novo Campeonato Brasileiro de Motovelocidade 2009 terá início nesse final de semana, no Autódromo Internacional de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Os motores voltam a roncar na Cidade Maravilhosa, após cinco anos sem uma prova da modalidade na capital carioca.

O campeonato 2009 chega repleto de novidades. Seis categorias participarão da disputa: a 125cc, a 250cc, a 600 SPORT (para motos carburadas), a 600 SPORTi(para motos com injeção eletrônica), a Superbike Light e a Superbike, considerada a elite do motociclismo nacional. Atualmente Gilson Scudeler é o grande nome da categoria, com sete títulos acumulados, incluindo o de 2008.

Todas as categorias serão multimarca e as motos poderão utilizar álcool como combustível. Seguindo a tendência mundial de uso de combustíveis vindos de fontes renováveis nas competições a motor, a Confederação abriu a possibilidade do uso do etanol nas motocicletas. “Com o álcool, o motor ganha potência, sem a necessidade de investir em peças especais”, explicou Carlos Senise, presidente da comissão de Motovelocidade da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM).

Como a disputa será entre várias marcas, a CBM precisou aprimorar o regulamento técnico da Motovelocidade, para dar igualdade de condições entre os participantes. O padrão europeu foi incorporado ao modelo da CBM e a inspeção das motos passa a ser limitada em peso e potência. As três primeiras colocadas tanto nos treinos, quanto nas corridas, serão aferidas na balança e no dinamômetro, dentro dos parâmetros exigidos no regulamento.

Categorias – O destaque entre as novas categorias é a Superbike Light, que terá apenas pilotos iniciantes com interesse em competir com motos de altas cilindradas. Os veículos têm de ser fabricados e possuírem assistência técnica no Brasil. Na última etapa do ano passado, a categoria foi testada e mais de 50 pilotos participaram da prova realizada no Autódromo Internacional de Interlagos/SP.

O retorno da 125cc também é bastante esperado. Devido à entrada de diversos fabricantes no mercado nacional, os pilotos têm a possibilidade de competirem com um equipamento de sua preferência. Ao todo 16 modelos, de 13 fabricantes diferentes, podem participar do campeonato da categoria.

Com essa mudança no regulamento, a modalidade se fortalece, já que mais pilotos, e de faixas etárias distintas, podem entrar na competição. A CBM analisa a possibilidade de dividir a 125 em Júnior e adulto, caso o interesse de pilotos de diversas idades seja grande. A idade mínima para participar do campeonato é de 16 anos. Menores de 18 anos correm somente com autorização dos responsáveis.

Retorno – O Autódromo de Jacarepaguá, inaugurado em 1978, teve seu auge entre as décadas de 1980 e 1990, com a realização de inúmeras provas, principalmente de F1 e Moto GP, antigo Mundial de velocidade. Na última prova do Mundial realizada em 2004, o vencedor foi o japonês Makoto Tamada. Após a construção do centro olímpico na região, o autódromo perdeu parte do traçado e tem atualmente pouco mais de 3Km de extensão.

O início do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade marca também o recomeço do Campeonato Carioca de Motovelocidade. Há 20 anos que o Estado do Rio de Janeiro não conta com um campeonato regional da modalidade. “Esse ano abriremos com chave de ouro o campeonato, já que a prova do Brasileiro vem para agregar muito mais em termos de público e de pilotos. Foi um passo importante a realização da prova em conjunto para os dois lados”, afirmou Cláudio Sarmento, diretor da Federação de Motociclismo do Rio de Janeiro.

As ações para deixar o Autódromo de Jacarepaguá pronto para receber as provas vêm desde o início de maio. Foram realizadas a capina das saídas de pista e as zebras foram repintadas.

Os treinos livres para a abertura do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade começam nessa sexta-feira. No sábado, a partir das 11h, acontecem os treinos classificatórios e que definirão a posição de largada. No domingo, as provas têm previsão de início para as 11h da manhã.

O Novo Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tem o apoio de Pirelli, Sevitec e Silmar. O Campeonato Carioca de Motovelocidade têm o patrocínio da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Magoo Motos, Moto Barra, Memorial Saúde, Motocar, Revistas Pro Moto, Moto School e Moto Adventure. Realização: Federação de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro. Supervisão: CBM.