Japão quer regularizar mão-de-obra

A dificuldade que as empresas multinacionais com unidade fabril no PIM (P¢lo Industrial de Manaus) tˆm em trazer pessoal especializado de suas matrizes no exterior (estrangeiros) para trabalhar em Manaus, por per¡odos variados de tempo, levou a Cƒmara de Com‚rcio e Ind£stria Nipo-Brasileira a realizar um semin rio com a presen‡a de autoridades do Minist‚rio do Trabalho, Minist‚rio da Justi‡a e Pol¡cia Federal.

Com o tema “O Trabalho do Estrangeiro no Brasil”, o evento acontece na pr¢xima sexta feira no audit¢rio da Suframa, no hor rio de 14h …s 18h.

A primeira palestra ser  sobre “Condi‡äes de admissibilidade do estrangeiro no Brasil”, proferida pelo delegado de Pol¡cia Federal e coordenador de Imigra‡Æo, cadastro e registro estrangeiros, Luciano Pestana Barbosa.

O segundo tema a ser tratado ser  “O Minist‚rio da Justi‡a e a mÆo-de-obra estrangeira” pela chefe de divisÆo de Permanˆncia de Estrangeiros do Minist‚rio da Justi‡a, Caroline Abreu Costa.

Tema da palestra
O tema da terceira palestra “O Minist‚rio do Trabalho e o emprego de mÆo-de-obra estrangeira”, ficar  a cargo da coordenadora-geral de Imigra‡Æo do Minist‚rio do Trabalho, Hebe Teixeira Romano da Silva.
O presidente da Cƒmara Nipo-Brasileira no Amazonas, Teruaki Yamagishi, informou que pela manhÆ os trˆs palestrantes irÆo visitar a Moto Honda da Amaz“nia e a Gillette do Brasil, para ver in loco a necessidade das empresas concernente a vistos tempor rios, geralmente por 90 dias. Atualmente em torno de 120 pessoas de matrizes japonesas estÆo trabalhando no p¢lo nessa condi‡Æo.