Foto: Jean Azevedo, piloto brasileiro com o melhor resultado no Paris-Dakar, trocou as duas pelas quatro rodas.

Jean Azevedo, em busca de novos desafios

Foto: Jean Azevedo, piloto brasileiro com o melhor resultado no Paris-Dakar, trocou as duas pelas quatro rodas.

Foto: Jean Azevedo, piloto brasileiro com o melhor resultado no Paris-Dakar, trocou as duas pelas quatro rodas.

A partir de 1 de janeiro vai disputar o rali mais famoso do mundo pilotando um Mitsubishi Pajero Full

A lista de conquistas de Jean Azevedo no motociclismo off-road já seriam suficientes para lhe dar o título de um dos mais bem-sucedidos pilotos de moto do Brasil. Além do pentacampeonato no Rally Internacional dos Sertões, a maior competição da modalidade na América Latina, o piloto natural de São José dos Campos (SP) também tem no currículo a melhor colocação de um brasileiro na categoria motos no rali mais famoso e perigoso do mundo, o Paris-Dakar de 2003, quando terminou na 5ª colocação.

Mas esses resultados não foram suficientes para Jean Azevedo. Ele queria mais. Aos 34 anos, decidiu então buscar novos desafios. E só os encontrou nas quatro rodas. Em 2008, trocou o guidão das motos KTM pelo volante da Mitsubishi da equipe Petrobras-Lubrax. Já conseguiu bons resultados: na estréia, no Rally Cerapió, foi o vencedor. No Rally dos Sertões, em julho de 2008, terminou na 3ª colocação. Parte agora, em 1 de janeiro de 2009, para disputar seu primeiro Rally Dakar na categoria carros, com um Mitsubishi Pajero Full, depois de nove participações nas motos. Antes de embarcar para Buenos Aires, Argentina, local da largada do Dakar 2009, Jean Azevedo conversou com a INFOMOTO e falou sobre sua mudança de categoria e as perspectivas para o Dakar 2009.

INFOMOTO – Primeiramente, Jean, a pergunta que não quer calar: porque trocar as motos pelos carros?
Jean Azevedo – O principal motivo foi a busca por novos desafios. Nas motos, como eu não seria um piloto oficial de fábrica dificilmente conseguiria um resultado melhor do que já havia alcançado. Isso me desmotivava um pouco. Sabia que iria pro Dakar para lutar pelos mesmos objetivos. Além disso, a equipe precisava de um piloto para os carros. Achei que era o momento de mudar.
INFOMOTO – Quais são as suas chances nesse próximo Dakar, o primeiro disputado fora da África?
Jean Azevedo – Já competi em provas no Brasil, mas o Dakar é diferente. Estou indo para aprender. Vou pilotar uma Pajero Full a gasolina que tem um desempenho inferior aos carros de fábrica. Mas vou usar minha experiência na prova para aprender. Tenho que me adaptar à estratégia dos carros, porque é tudo diferente.
INFOMOTO – E o que você aproveitou da sua experiência nas motos?
Jean Azevedo – Quando pilotava uma moto tinha que me preocupar com a pilotagem e com a navegação. Agora tenho um navegador ao meu lado, o Youssef Haddad. A grande vantagem é que quando ele canta uma referência da planilha, como eu fazia isso na moto, consigo visualizar como é o terreno, a curva que vem pela frente.
INFOMOTO – A equipe Petrobras-Lubrax é a única a competir nas três categorias no Dakar: motos, carros e caminhões. Como fica a equipe nas motos?
Jean Azevedo – O Rodolpho Mattheis vai competir pela primeira vez no Dakar. Acabamos optando por uma KTM 450, uma moto de menor capacidade cúbica. A vantagem é que com essa moto, o Rodolpho pode competir na categoria Motos Marathon, onda as adaptações são restritas. Com isso tem mais chances de conseguir um bom resultado na categoria. Isso é motivador. Em seu primeiro ano, ele já pode ter bons resultados.