Foto: Netinho e Jacinto Sarachu em Daytona

Jorge Neto comemora 25 anos de sua vitória na 100 Milhas de DAYTONA

Foto: Netinho e Jacinto Sarachu em Daytona

Foto: Netinho e Jacinto Sarachu em Daytona

No dia 12 de mar‡o de 1983 o jovem brasileiro chegou em Daytona e surpreendeu os campeäes. SÆo Paulo, 12 de mar‡o de 2008 – Antonio Jorge Neto, um dos pilotos da equipe Eurofarma-RC de Stock Car, comemora hoje, dia 12, o 25§. anivers rio da vit¢ria que obteve na 100 Milhas de Daytona, £nica do Brasil na hist¢ria da competi‡Æo, disputada em 1983, nos Estados Unidos. Conhecido na motovelocidade como Netinho, na condu‡Æo de uma Yamaha TZ 250 derrotou os favoritos da competi‡Æo, Jim Filice, dos Estados Unidos, tamb‚m com Yamaha TZ 250, e Com Law, da Irlanda do Norte, com Ehrlich com motor Rotax 250.

Depois de conquistar diversos t¡tulos de campeÆo paulista, brasileiro e sul-americano e de obter o quarto lugar no Grande Prˆmio da It lia, Jorge Neto decidiu competir em Daytona pelo fasc¡nio que a pista norte-americana sempre exerceu sobre ele. Com a ajuda do pai e do mecƒnico, o uruguaio Jacinto Sarachu, Jorge Neto comprou poucos dias antes da prova a Yamaha TZ 250 na qual realizou alguns acertos previstos no regulamento e inscreveu-se na competi‡Æo.

Foto: Agora como piloto da Stock Cars

Foto: Agora como piloto da Stock Cars

Entre os mais de 300 pilotos inscritos, obteve o 12§ nas provas de classifica‡Æo, que selecionaram os 68 participantes. Na corrida, procurou manter uma atua‡Æo pautada pela cautela at‚ familiarizar-se com o ritmo imposto pelos advers rios, j  acostumados com o ambiente da pista norte-americana.

Ao longo da corrida, Jorge Neto ganhou posi‡äes at‚ aproximar-se dos principais l¡deres, os quais superou com ultrapassagens arrojadas. Al‚m da vit¢ria, Jorge Neto tamb‚m estabeleceu a volta mais r pida da prova, com o tempo de 2 m15 s e velocidade m‚dia de 163 km/h.

Ap¢s a conquista de Daytona, Jorge Neto nÆo aceitou convite para integrar uma equipe profissional, nos Estados Unidos, porque tinha o objetivo de disputar o campeonato mundial. Mas, de volta ao Brasil, sofreu acidente no aut¢dromo de Interlagos. Depois de se recuperar das fraturas, nÆo conseguiu o patroc¡nio necess rio para a temporada internacional e optou pelo automobilismo.

Em autom¢veis, estreou na F¢rmula Fiat em 1992, categoria em que ficou at‚ 1999, com a conquista de trˆs vice-campeonatos. A partir de 2000 participou da Stock Car e desde o in¡cio conquistou importantes resultados, mantendo-se entre os pilotos mais destacados.