Jornalista Ricardo Viveiros lança livro “Da Arte do Brasil”

Obra tra‡a um panorama da arte no Pa¡s, retratando a vida e a obra de alguns dos principais artistas pl sticos brasileiros, do imp‚rio aos dias atuais, e ainda traz os grandes museus do Brasil.

Lan‡amento ser  na segunda-feira, 18 de dezembro, …s 19 horas, no SalÆo Promocional da Fiesp, na Avenida Paulista, 1313 – 16ø andar.

Na pr¢xima segunda-feira, 18 de dezembro, ser  o lan‡amento do livro “Da arte do Brasil”, 15¦ obra do jornalista e escritor Ricardo Viveiros. O evento, promovido pela Federa‡Æo das Ind£strias de SÆo Paulo (Fiesp), dever  contar com a presen‡a de alguns dos artistas retratados na obra, herdeiros dos pintores j  falecidos, autoridades pol¡ticas, empres rios e l¡deres setoriais, dirigentes de ONGs, membros da sociedade paulistana, jornalistas, intelectuais, entre outras personalidades.

O livro “Da arte do Brasil” foi produzido pela Clemente & Gramani Editora, em edi‡Æo bil¡nge (portuguˆs/inglˆs), com acabamentos de luxo e capa dura. A obra ‚ resultado da compila‡Æo de inspirada s‚rie de textos sobre os principais pintores brasileiros, publicada h  mais de dez anos consecutivos pela Revista Abigraf (ve¡culo oficial da Associa‡Æo Brasileira da Ind£stria Gr fica, que circula nacionalmente h  mais de 30 anos). Por seu conte£do de valor hist¢rico e art¡stico, deve se tornar obra referencial para estudantes, pesquisadores e demais interessados na beleza e qualidade das artes pl sticas brasileiras.

Em 194 p ginas, o autor apresenta uma s¡ntese da trajet¢ria de vida de 22 artistas pl sticos de diversas regiäes brasileiras e suas principais obras, que estÆo destacadas pela riqueza de ilustra‡äes. A compila‡Æo re£ne nÆo apenas um grupo seleto de autores, como tamb‚m representa uma vitrine importante dos estilos art¡sticos adotados por estes, em um reflexo das principais tendˆncias mundiais em voga na ‚poca de florescimento da arte de cada um deles. Portanto, a hist¢ria do mundo, do Brasil e da arte, se misturam nos textos de Ricardo Viveiros e resultam em um belo retrato art¡stico.

Os 22 artistas que tˆm suas hist¢rias e obras decifradas sÆo: Aldemir Martins, Aldir Mendes de Souza, Anita Malfatti, Ant“nio Gomide, Antonio Henrique Amaral, Candido Portinari, Caryb‚, Djanira da Motta e Silva, Emiliano Di Cavalcanti, Fayga Ostrower, Fl vio de Carvalho, Francisco Brennand, Fulvio Pennacchi, Iberˆ Camargo, Milton Dacosta, Pancetti, Raimundo Cela, Rugendas, Samson Flexor, Tikashi Fukushima, Tomie Ohtake e Vicente do Rego Monteiro.

Em apˆndice especial, o livro “Da Arte do Brasil” traz, ainda, um retrato de seis dos mais importantes museus brasileiros, descrevendo a hist¢ria, curiosidades e os acervos de cada um deles. Foram inclu¡dos na obra, pela ordem em que aparecem os cap¡tulos, o Museu Nacional de Belas-Artes (RJ), a Pinacoteca do Estado de SÆo Paulo, o Museu Lasar Segall, o Museu de Arte Contemporƒnea da Universidade de SÆo Paulo (MAC/USP), o Museu de Arte Moderna (MAM/RJ) e o Museu de Arte de SÆo Paulo (MASP). “Espero que este trabalho seja uma oportunidade para o leitor conhecer boa parte do desenho e da pintura produzidos por este Pa¡s de artistas. Meu objetivo foi senÆo o de mostrar as trajet¢rias desses criadores, seus trabalhos e, principalmente, dar a conhecer o melhor de suas obras”, declara Viveiros.

NÆo h  melhor defini‡Æo para o novo livro de Ricardo Viveiros do que seu pref cio, de autoria do escritor e cr¡tico de arte Jacob Klintowitz: “Os personagens de Ricardo Viveiros sÆo obscuros her¢is brasileiros paradoxalmente famosos. E a saga do jornalista consiste em dar corpo e tornar palp veis estas luminosas sombras que se movimentam em pequenos e particulares cen rios e, no entanto, tornam visual a singularidade nacional. Viveiros trata da nossa arte e dos nossos artistas. E o faz com rara generosidade: o leitor ‚ introduzido no universo da sensibilidade e do pensamento do artista, situado no contexto cultural que identifica a sua maneira de ser, e passa a conhecer a suas motiva‡äes e o ambiente onde cresceu. E nesta panorƒmica esclarecedora, Ricardo Viveiros nÆo aparece senÆo de maneira indireta, pois s¢ sabemos dele pelo retrato que faz dos artistas e pelo conjunto de informa‡äes que nos enriquece. Uma raridade.”

Sobre o autor – Ricardo Viveiros ‚ conhecido e premiado jornalista com passagem por importantes ve¡culos de comunica‡Æo do Brasil e do Exterior. Viveiros atuou em prol da ‚tica no jornalismo, pela paz mundial, pela cidadania e pela educa‡Æo, atualmente, ‚ empres rio e diretor da Ricardo Viveiros – Oficina de Comunica‡Æo, uma das maiores empresas no ranking brasileiro do setor. Na literatura, Viveiros acumula a autoria de quatorze obras, sendo poeta em cinco delas, com destaque para “Tempo de Amor e Guerra” (6¦ edi‡Æo) e “Doces Beijos Amargos” (3¦ edi‡Æo), que mereceu inspirado pref cio do l¡der pacifista Dom Paulo Evaristo Arns. Ultimamente, o carioca Ricardo Viveiros, tem se dedicado ao of¡cio de historiador e bi¢grafo. Nesse segmento, escreveu a hist¢ria dos 30 anos de Alphaville, e dos munic¡pios de Vinhedo (“O Principado dos Paisanos”, em 3¦ edi‡Æo) e de Santana de Parna¡ba (“A Vila que Descobriu o Brasil”), ambos os munic¡pios no Estado de SÆo Paulo.

Outras obras do mesmo autor:
Poesia: Tempo de Amor e Guerra (6¦ edi‡Æo); Canto (quase) Sem Desencanto; Nas Asas do Vento (2¦ edi‡Æo); Doces Beijos Amargos (3¦ edi‡Æo); Por Vocˆ, Por Mim, Por Amor. Hist¢ria: Vinhedo, o Principado dos Paisanos (3¦ edi‡Æo); Santana de Parna¡ba, a Vila que Descobriu o Brasil; Alphaville – O Sonho, o Tempo, o Sucesso; Abigraf, 40 anos. Biografia: Edmundo Castilho – tica e Solidarismo na Sa£de; Papai Noel existe? MamÆe Noel eu tenho certeza! A hist¢ria de Concei‡Æo Cipolatti, um sonho de Natal que se tornou realidade; Did tico: O Signo da Verdade (com Marco Antonio Eid); Infantil: O Poeta e o Passarinho; Cr“nicas: Sem Censura.

Servi‡o: Lan‡amento do livro “Da arte do Brasil”, de Ricardo Viveiros.
Data: 18 de dezembro de 2006
Hor rio: 19 horas. Local: SalÆo Promocional do Edif¡cio-Sede da Fiesp Avenida Paulista, 1313 – 16ø andar. Estacionamento gratuito no local.