Jornalistas aceitam proposta – vergonhosa – da Editora Globo

A proposta – indecente – da Editora Globo de nÆo pagar a 2a parcela da corre‡Æo salarial definida em dezembro do ano passado, foi aceita por seus jornalistas esta noite em assembl‚ia realizada em SÆo Paulo.

Aproximadamente 2/3 dos cerca de 100 profissionais presentes votaram a favor. Apenas os jornalistas com sal rios at‚ R$ 2,5 mil vÆo receber a 2a parte do reajuste. Em contrapartida, a empresa se comprometeu – verbalmente – a nÆo fazer novas demissäes. O presidente do Sindicato dos Jornalistas de SÆo Paulo, Fred Ghedini, qualifica o acordo como “ruim”.

Avalia que pessoal “abriu mÆo de um direito” e a empresa “nÆo vai formalizar a estabilidade” no documento. Disse esperar “que a empresa cumpra a promessa de nÆo demitir”. De acordo com Ghedini, as negocia‡äes entre a editora de um lado e os jornalistas e Sindicato de outro produziram, no entanto, algumas “salvaguardas”. A parcela do reajuste ser  paga a quem for demitido ou pedir demissÆo.

O acordo coletivo que ser  assinado nos pr¢ximos dias selando as decisäes prevˆ tamb‚m que uma vez encerradas as negocia‡äes da pr¢xima conven‡Æo coletiva, que vai vigorar em 2004, os percentuais nÆo pagos voltarÆo a mesa de discussÆo, embora sem aplica‡Æo retroativa. (Blue Bus)

Este ‚ o retrato de um aperto deprimente, indecente, vergonhoso. (JC)