Foto: José Hélio, piloto patrocinado pela Honda, representa o Brasil no Rally Dakar

José Hélio: “rei do sertão” desbrava o Rally Dakar 2009

Foto: José Hélio, piloto patrocinado pela Honda, representa o Brasil no Rally Dakar

Foto: José Hélio, piloto patrocinado pela Honda, representa o Brasil no Rally Dakar

Tetracampeão do Rally Internacional dos Sertões encara novo desafio nas trilhas da Argentina e do Chile

O “rei do sertão” vai a Argentina e ao Chile no início de 2009 com o objetivo de conquistar novos territórios. José Hélio representa o Brasil no tradicional Rally Dakar, que pela primeira vez desbrava as trilhas da América do Sul entre os dias 3 e 17 de janeiro. A batalha inclui 9500 quilômetros de extensão, sendo 5650 km de especiais, sendo que a principal arma do piloto será a mesma que rendeu o tetracampeonato do Rally Internacional dos Sertões em 2008: a Honda CRF 450X.

O Rally Dakar, cuja primeira edição foi em 1977, contará em 2009 com a participação de 530 competidores, sendo 230 motos, 30 quadriciclos, 188 carros e 82 caminhões de 49 países. O paulista José Hélio está inscrito na categoria 450cc Extreme e, antes de embarcar para a capital Buenos Aires, que será palco da largada e da chegada, bateu um papo sobre a estréia neste tradicional evento.

Qual é o seu objetivo no Rally Dakar 2009?
José Hélio – É o mesmo de todas as provas. Em primeiro lugar, chegar no final. E no desenrolar da corrida sempre espero pelo menos vencer a minha categoria.

Como você conseguiu viabilizar a sua ida para o Dakar?
José Hélio – Participar desta prova era um sonho antigo, que eu iria realizar este ano por meio da Honda Europa, mas infelizmente o evento foi cancelado. Depois da conquista do tetracampeonato do Sertões, a Honda do Brasil colocou os dois pés no rali e, junto com a ASW, viabilizou a minha ida.

Você entra na disputa com o mesmo modelo do tetra do Sertões, uma CRF 450X. Como você enxerga esta moto nas trilhas do Dakar?
José Hél io – Terei um equipamento semelhante – já que fizemos algumas alterações, como proporcionar mais autonomia e a instalação de uma suspensão ainda melhor -, mas totalmente novo. Certamente a grande vantagem da Honda é a resistência, por isso estou bem seguro de como a motocicleta irá se comportar. Com menos possibilidades de quebra, aumentam as chances de título. Além disso, considero o conjunto das 450cc melhor em vários aspectos, como motor, suspensão, chassi e ciclística.

Sobre o roteiro, quais serão as principais dificuldades?
José Hélio – O Dakar é uma prova que leva a máquina e o ser humano ao extremo. Certamente as longas quilometragens, que nos farão passar muitas horas em cima da moto, e as dunas do Atacama serão grandes desafios. Teremos muitas novidades, com certeza este será um dos ralis mais difíceis da história. Mesmo sendo deserto, o local é atípico por conta das gr andes variações de altitude. Iremos da altitude de mil metros acima do nível do mar até 4.500 metros em um mesmo dia, por exemplo. O equipamento sofre muito por conta disso.

Você participaria do Dakar 2008, que foi cancelado. Preferia competir na África ou está motivado por esta edição ser na América do Sul?
José Hélio – Gostaria muito de competir na África, pois tradicionalmente o Dakar tem esta característica, mas será uma vantagem correr na Argentina e no Chile. Eu falo bem a língua, já conheço um pouco da região, por ter corrido no Por Las Pampas, e certamente a prova terá uma estrutura melhor, já que não será realizada em locais tão inóspitos. Eu formei e minha equipe e estarei cercado de amigos, todo este clima será muito favorável.

Quem são os fortes candidatos ao título na geral?
José Hélio – O Marc Coma (da Espanha), o Cyril Despres e o David Casteu (ambos franceses).

Então são os mesmos pilotos que você venceu na última edição do Sertões que devem incomodá-lo?
José Hélio – Na verdade eu que os incomodo (risos). O fato do Dakar ser em um lugar que é muito pouco conhecido deixou todos os participantes “com a pulga atrás da orelha”.

Quais são seus outros planos para a temporada 2009?
José Hélio – Vou disputar o Rally dos Sertões e pretendo participar de algumas provas do Campeonato Mundial.