José Hélio encara dunas para ganhar posições no Dakar

Brasileiro aparece em 14º lugar na classificação geral, após sofrer penalização na terceira etapa

Depois de fechar a quarta etapa com o 14º lugar na classificação geral e na prova do dia, o piloto brasileiro José Hélio quer usar as dunas argentinas como trampolim para ganhar posições no Rally Dakar. Ele encara nesta quarta-feira (7) o trajeto entre Neuquén e San Rafael, onde além das montanhas de areia enfrenta longas distâncias como adversário extra.

A boa expectativa é resultado do desempenho desta terça-feira: ele encerrou a etapa em 14º lugar – uma posição melhor que a da fase anterior. Só não ficou melhor colocado no geral, por conta de uma penalização de 20 minutos na terceira etapa. José Hélio, que estava em 12º lugar, desceu para 14º.

A etapa desta quarta-feira – que promete ser a mais difícil da primeira semana – conta com 763 quilômetros, sendo 506 de especiais. Os pilotos terão de enfrentar grandes trechos de dunas e partes bastante técnicas na subida dos rios.

José Hélio, que utiliza a motocicleta Honda CRF 450X, completou as quatro etapas disputadas até aqui em 16h20min27s, com 1h39min6s de diferença para o líder da prova, que continua sendo o espanhol Marc Coma, vencedor da etapa de hoje também. Coma liderou três fases da competição e soma 42min57s à frente do segundo colocado, o norte-americano Jonah Street. Nesta terça-feira, o espanhol, campeão do Dakar em 2006, manteve a ponta durante toda a etapa. O atual campeão da prova, o francês Cyril Despress, foi o segundo c olocado.

Na quarta fase, os competidores percorreram o trecho entre as cidades de Jacobacci e Neuquén e tiveram de enfrentar muitas pedras pelo caminho, o que exigiu força e concentração. Eles passaram por 488 quilômetros, entre eles 459 cronometrados. José Hélio completou a prova com o tempo de 4h28min41s, com uma diferença de 19min9s de Marc Coma. O brasileiro conta com o patrocínio da Honda do Brasil, ASW e Flash Power disputará a categoria 450 Extreme.

Programação – Rally Dakar 2009
5ª etapa – quarta-feira – 7 de janeiro 2009
Neuquén / San Rafael

Deslocamento 173 km / especial 506 km / deslocamento 84 km – total: 763 km
O teste mais importante da primeira semana, talvez será o caminho para San Rafael. A grande quilometragem obrigará os competidores a manter um nível de concentração constante. Os pilotos também estarão confrontados a verdadeiros trechos de dunas. Grandes trechos fora da pista vão se alternar com partes muito mais técnicas, na subida dos rios. A Cordilheira ocupa o horizonte.

6ª etapa – quinta-feira – 8 de janeiro 2009
San Rafael / Mendoza
Deslocamento 76 km / especial 395 km / deslocamento: 154 km
O programa do dia está repleto de obstáculos, já que no começo da especial terão que passar por cerca de 60 quilômetros de dunas. O traçado é propício à velocidade na segunda parte. Ao chegar a Mendoza, o rali entra no maciço andino.

7ª etapa – sexta-feira – 9 de janeiro 2009
Mendoza / Valparaíso
Deslocamento 80 km / especial 419 km / deslocamento 317 km – total: 816 km
A variedade de terrenos e de paisagens, elementos constantes do Dakar 2009, se manifesta outra vez nesta etapa onde a maioria dos competidores conhecerão a Cordilheira dos Andes. Antes de enfrenta-la, deverão deixar para trás uma série de dunas e uma de fesh-fesh idêntica a do Saara. Na montanha, se tratará da única especial com mais de três mil metros de altitude em caminhos técnicos. Logo os competidores passarão a fronteira para chegar a Valparaíso.