José Hélio sobrevive à maratona do Rally Dakar

Piloto brasileiro não se intimida com ritmo forte da prova em Copiapó, no Chile, a mais longa da edição 2009

O brasileiro José Hélio manteve o ritmo bastante forte na décima etapa do Rally Dakar. Entre os primeiros colocados o tempo todo, o piloto só perdeu posição ao final das especiais e terminou a prova em 17º lugar, com o tempo de 7h14min45s. A 12ª colocação geral foi mantida, assim como o terceiro lugar na categoria 450 Extreme. Quem se saiu melhor nas dunas do Deserto do Atacama foi o espanhol Jordi Viladoms. Esta foi a primeira vitória do piloto que agora aparece em quarto lugar na classificação geral, ainda liderada pelo companheiro de equipe Marc Coma. O primeiro colocado fez o sexto melhor tempo nesta terça-feira (13), após se perder nas trilhas. O francês Cyrill Despres também sofreu o mesmo problema e terminou em quinto.

O dia começou complicado para os competidores. Po r conta da forte neblina presente em Copiapó pela manhã, fator que atrapalhou o trabalho dos helicópteros da organização e da assistência médica, a largada da décima etapa foi adiada em mais de duas horas. Além disso, o trecho cronometrado sofreu um corte de 200 quilômetros, portanto, em vez de 670 km, os pilotos tiveram de percorrer 476 km nos arredores da cidade de Copiapó, no Chile.

As enormes dunas presentes no percurso causaram grandes transtornos aos competidores. O francês Cyrill Despres ocupou o primeiro posto por quase toda a disputa. No entanto, o trecho em que acabou se perdendo atrapalhou o desempenho do atual campeão do Dakar. José Hélio apareceu no primeiro pelotão quase toda a prova. Na penúltima parcial chegou a ficar em décimo lugar. Já Jordi Viladoms foi buscando posições gradualmente. O europeu completou a décima fase em 6h35min26s, 39min17s à frente de José Hélio.

O desafio para o piloto brasileiro patrocinado pela Honda do Brasil, ASW e Flash Power segue amanhã na 11ª etapa. A competição que parte para a reta final retorna a Argentina. Os competidores percorrerão o trecho entre Copiapó, no Chile, e Fiambalá, na Argentina. O obstáculo previsto é a grande altitude de 4700 metros.

A decisão da edição 2009 do Rally Dakar, que está sendo realizado pela primeira vez nas trilhas da Argentina e do Chile, está marcada para o próximo sábado (17). Até lá, os participantes terão enfrentado 14 duras etapas divididas entre 9500 quilômetros.

Classificação Geral – categoria motos
1 – Marc Coma – Espanha – 45h52min30s
2 – David Fretigne – França – 45h17min20s
3 – Cyrill Despres – F rança – 45h23min41s
4 – Jordi Villadoms – Espanha – 45h49min10s
5 – Helder Rodrigues – Portugal – 45h58min8s
6 – David Casteau – França – 46h00min15s
7 – Pall anders Ullevalseters – Noruega – 46h4min12s
8 – Francisco Lopez – Chile – 46h14min53s
9 – Frans Verhoeven – Holanda – 46h18min4s
10 – Henk Knuiman – Holanda – 46h56min55s
12 – José Hélio – Brasil – 47h57min28s

Resultados – 10ª etapa
1 – Jordi Viladoms
2 – Alain Duclos – Francês
3 – Pall anders Ullevalseters – Noruega
4 – Helder Rodrigues – Portugal
5 – David Casteu – França
6 – Cyril Despres – França
7 – Marc Coma – Espanha
8 – Henk Knuiman – Holanda
9 – Frans Verhoeven – Holanda
10 – Teus Visser – Holanda
17 – José Hélio – Brasil

Programação – Rally Dakar 2009
11ª etapa – quarta-feira – 14 de janeiro 2009
Copiapó / Fiambalá
Deslocamento 20 km / especial 215 km / deslocamento 445 km – total 680 km
Na etapa mais majestosa do rali, a dedicação dos navegadores será muito importante. Pela manhã, os veículos saem do Oceano Pacífico para seguir em direção à fronteira. O retorno a Argentina será em um marco encantador, no Passo São Francisco, a cerca de 4700 metros de altura. Existe a possibilidade do rali encontrar o inverno boliviano, um fenômeno raro que provoca as vezes nevada em pleno verão.

12ª etapa – quinta-feira – 15 de janeiro 2009
Fiambalá / La Rioja
Deslocamento 4 km / especial 253 km / deslocamento 261 km – total 518 km
A especial do dia é um concentrado de técnicas. Vários tipos de dunas estarão presentes, incluindo as temidas dunas brancas. A três dias da chegada, esta etapa pode mudar a hierarquia, especialmente pelos veículos de assistência não terem acesso. A regra absoluta é saber poupar o veículo.

13ª etapa – sexta-feira – 16 de janeiro 2009
La Rioja / Córdoba
Deslocamento 161 km / especial 545 km / deslocamento 47 km – total: 753 km
Depois dos milhares de quilômetros percorridos, esta penúltima etapa constitui um desafio físico de primeira ordem. Os pilotos de ponta deverão manter suas posições, enquanto os amadores deverão preservar o excesso de confiança. Os erros poderão deixar recordações amargas, já que será a jornada dos cactos.

14ª etapa – sábado – 17 de janeiro 2009
Córdoba / Buenos Aires
Deslocamento 224 km / especial 227 km / deslocamento 341 km – total: 792 km
Depois de explorarem os estados-continentes, os competidores encontrarão um tipo de paisagem familiar. Neste longo caminho a percorrer, a concentração é a ordem do dia. Aqueles que chegarem classificados a Buenos Aires terão terminado a competição mais impressionante realizada e seguirão sendo os primeiros para sempre.

Domingo – 18 de janeiro 2009
Premiação em Buenos Aires