Foto: Comet GTR - Bitenca

Kasinski que morre – Válvulas muito justas ou o que? – De novo, o mito do baixinho na moto.

Foto: Comet GTR - Bitenca

Foto: Comet GTR - Bitenca

Boa noite, acabei de ler a reportagem sobre a Comet GTR e a Mirage, ambas da Kasinski. Então vou direto ao assunto, estou quase comprando a GTR, só que a matéria de vocês foi a mais sincera que encontrei, pois abordaram o BUG do sistema de injeção deles.
Gostaria da verdadeira opinião sobre a GTR, será que é uma boa compra? Esse negócio de ficar morrendo sempre em reduzidas será uma dor de cabeça? A empresa e moto são confiáveis? Um abraço e obrigado.
Gustavo, 22, Rio de Janeiro, RJ.

R: Gustavo, o que poderia ser uma boa compra para mim pode não ser para você. A decisão tem que ser sua, com sua própria avaliação. Como você sabe a fábrica foi vendida e está sob nova administração.
Nas duas vezes que andamos nas GTR e Mirage, em duas motos de uma revenda e depois na GTR de teste, verificamos uma tendência do motor morrer em alguma situações. Em todas elas a moto pegou novamente e funcionou normalmente. Parece que há uma situação não muito bem administrada pela injeção quando entra na marcha lenta, depois de desacelerar. Na desaceleração a injeção corta o fluxo de combustível para maior economia mas no momento em que a rpm desce ao nível da marcha lenta a mistura deve recuperar o fluxo na mistura ideal, rapidamente. Há um pequeno atraso ou erro na mistura nesse momento e o motor eventualmente morre.
Isso ocorreu nas unidades testadas e temos informações de que já houve melhorias no sistema, que anida não foi verificado pelo Motonline.
Abraços.


Meu amigo mais do que nunca preciso da sua ajuda, eu fiz o motor completo da minha cg125 1986 cilindro pistão e comando de valvula completo troquei tudo tudo original balancim comando varetas braços oscilantes tudo, mas o detalhe é o seguinte, fui na autorizada para regular valvula ela saiu de la assoviando nao bate nada de valvulas, perfeita mas eu abri a tampa do cabeçote para conferir e eles nao deixam a folga que pede no manual 0,08mm e sim bem menos dae é claro que o moto nem faz barulho, e agora o que eu devo fazer? se eu deixar com 0,08mm ela bate valvulas, e se eu levar na autorizada da impreção que so encostão o balancim e nao deixam folga, isso nao traria algum problema??? o que devo fazer? ja que isso nao afetou o desempenho da motoca. obrigado meu amigo! Vinícius.

Foto: Desenvolver técnica é melhor que rebaixar a moto - Bitenca

Foto: Desenvolver técnica é melhor que rebaixar a moto - Bitenca

R: Certo Vinícius, porém há um pequeno detalhe. Se você não trocou as válvulas pode haver uma pequena depressão na cabeça das hastes causadas por desgaste anterior. O detalhe é que se isso ocorre a medição fica prejudicada porque a lâmina mede a folga entre as peças mas não acompanha a depressão da cebeça da haste da válvula.
O mecânico experiente “sente”essa folga e deixa o conjunto aparentemente apertado demais. Porém a folga está lá, entre o parafuso da regulagem e a cabeça da haste da válvula e a lâmina não passa por essa depressão, dando a impressão de que está apertada demais.
Então não se preocupe. Apenas se o desempenho diminuir é possível que tenham apertado demais e nesse caso pode queimar as beiradas das válvulas. Se ficar atento a isso não deve haver problemas.


Lendo em alguns fóruns sobre rebaixamento da XT66, encontrei informações que me reacenderam a dúvida eterna de uma pessoa desprovida de membros inferiores compatíveis com esta ótima trail (só pra lembrar tenho 1,64m). Além de posicionar as bengalas dianteiras acima da mesa (que vc já me havia explicado), trocam-se as bieletas do link traseiro, por outras de 13 cm(10mm a mais que as originais), o que segundo as informações, chega a reduzir 4cm(40mm) a altura do banco. Tem que se regular a pré-carga da mola com mais atenção com garupa(pra roda traseira não pegar no paralama), mas fora isto, dizem que fica bom. Será? Tenho dúvidas quanto a segurança da modificação(parece que a peça deve ser torneada, pois não existe no Brasil).
Como sempre conto com a sua experiência e conhecimento técnico, pois cada vez me inclino mais em trocar minha street por esta moto, sem ter que usá-la como motard(pra ficar mais baixa), coisa que vinha sendo a opção até aqui.
Em anexo vai em parte o que recolhi dos fóruns garimpados.
Obrigado mais uma vez. Luís, Niterói, RJ.

R: Luis, há poucos dias publiquei uma carta onde falo desse mito do baixinho na moto. Claro que reservadas as devidas proporções, não creio que se deva modificar a suspensão da moto para essa adaptação. Grandes pilotos do off-road são de baixa estatura e na verdade isso para eles aparece como uma vantagem. Menos peso permite uma melhor relação do conjunto (peso/potência) para aproveitar a potência do motor e força a aquisição de habilidades necessárias a uma boa condução. Experimente com sua moto atual andar evitando colocar os pés no chão. Apóie com um dos pés, apenas com a moto parada ou manobrando em estacionamento. Desca da moto para manobras mais radicais nesses casos mas enquanto em cima dela, atue nos comandos da embreagem e freio traseiro para se deslocar em baixa velocidade. Treine fazendo um oito, mais fechado possível, até encostar no batente da direção, apenas no equilíbrio da moto, colocando a embreagem no ponto em que o atrito desloca a moto mas segurando no freio traseiro para manter o deslocamento no controle.
Em todo caso essas adaptações que você cita são muito utilizadas mas eu, pessoalmente, que não sou tão alto assim, (1,73) procuro me superar na habilidade quando me deparo com uma moto muito alta, como nas especiais off-road.
Boa sorte,