Analisado por Cristiano e publicado na Comunidade Motonline. 38 pesssoas concordam com a análise mas dois discordam

Kawasaki Versys 650 – Análise prós e contras

Analisado por Cristiano e publicado na Comunidade Motonline

Essa eu rodei bem. Ela está com 32 mil km. Fiz São Paulo-Uruguai-Argentina, São Paulo-Santa Catarina fora outras viagens mais curtas. Mecânica super confiável, na categoria de um e dois cilindros posso chutar alto que é a mais forte – já andei na BMW 650, na Suzuki V-Strom, já tive a Yamaha XT660 e essa não vem junto.

Rotina de grandes e intensas viagens com a Versys 650

Rotina de grandes e intensas viagens com a Versys 650

Faz muita curva com a suspensão bem regulada para seu peso. A bengala invertida passa firmeza na pilotagem. Cheguei a rodar 1.000 km num dia só entre Uruguai e Argentina. Portanto, conforto é nota dez, fora a suavidade desse motor que é muito bom. Aguenta estrada de chão e praia (aquele trecho entre Cananeia e Ilha Comprida, coisa linda), mas lama e areia solta nem pensar. Já andei também para testar.

Apesar de tomar um prejuízo por pagar ágio (época da nacionalização dela) eu recomendo. No meu caso o calcanhar foi a relação. Não sei o preço hoje, mas no ano passado era R$1.300,00 e caso for fazer por conta é de difícil instalação pois a corrente passa no meio da balança, é um pé… Autonomia é a média e se tiver um punho pesado ela faz 16 km/l.
A bolha ajuda bastante contra vento no peito, mas sua regulagem de altura é chatinha de mexer (pode ate ser preciosismo meu). Farol ilumina muito bem, cumpre seu papel.

Prós
Painel fantástico, ciclística perfeita pois conta com regulagens de retorno e compressão na dianteira e traseira, tecnologia de ponta, o banco “veste” o piloto, motor liso a moto quase não trepida, escapamento não “ferve” o garupa e não deixa fedendo, torque excepcional para não dizer ignorante para uma 650cc e velocidade final razoável.

Contras
Preço de peças nas concessionárias (relação custa mais de R$1.000,00) e é complicado de trocar, câmbio duro, alguns plásticos da carenagem tendem a vibrar causando um ruído, pneus ON e os originais não duram muito (Dunlop), o traseiro foi com 8.500 km e o Michelin foi com 25 mil. Portanto já estou no segundo Michelin.

Condição de teste
Tempo de Uso: Mais de um ano
Ano de Fabricação: 2010
Tipo de uso: Lazer
Terreno testado: Urbano, terra e estrada
Quilometragem: 32.000 Km
Manutenção: Dentro do esperado
Custo de Manutenção: Alto

Veja também o teste do Motonline e o comparativo com Honda NC 700X