vulcan1

Kawasaki Vulcan 900 Classic LT

Esse é o tamanho da liberdade. A Kawasaki Vulcan 900 Classic LT é grande no tamanho, mas bastante ágil na pilotagem. Tem grande presença pelo grande para-brisa, tanque largo, banco e bolsas com rebites cromados. Ela é longa e seus pneus são grandes, faz bem a imagem da motocicleta clássica dos anos 60.

O desenho dela lembra o da moto no primeiro seriado brasileiro, “O Vigilante Rodoviário”. Era uma motocicleta com esse mesmo para-brisa na frente e até as bolsas laterais em couro adicionadas no modelo atual também seguem o mesmo padrão da época.

Vigilante da estrada - A moto do seriado "O Vigilante Rodoviário" era assim; visual retrô mas nessa o desempenho é atual

Vigilante da estrada – A moto do seriado “O Vigilante Rodoviário” era assim; visual retrô mas nessa o desempenho é atual

)

O motor tem dois cilindros em V e oferece muito torque e potência suficiente para acelerar com firmeza e sair de qualquer situação. As plataformas para os pés oferecem o máximo de conforto e já de saída se percebe que não é uma moto para fazer curvas inclinadas. O limitador sob as plataformas raspam “avisando” cedo que o limite já chegou. Mas mesmo assim ela é divertida nas curvas e contorna-as muito bem e com o máximo de segurança porque elas são dobráveis e providas de mola. Trazem a moto de volta, para uma menor inclinação, sem sustos.

Posição confortável deixa os pés descansar sobre as plataformas e o guidão tem bastante firmeza para funcionar como referência nas manobras do corpo do piloto

Posição confortável deixa os pés descansarem sobre as plataformas e o guidão, tem bastante firmeza para funcionar como referência nas manobras do corpo do piloto

Pintura em duas cores e filete entre elas são acompanhados por detalhes cromados - Como a maioria das custom não há tacômetro

Pintura em duas cores e filete entre elas são acompanhados por detalhes cromados – Como a maioria das custom não há tacômetro

A posição do piloto é natural. O banco é baixo e o grande guidão dá muita firmeza para conduzir. É largo e tem uma fixação rígida sobre a mesa da suspensão. E porque não há vibração nesse motor que se faça sentir, essa posição, bem sentado e com grande dependência na firmeza do guidão acaba por ser vantajosa. As pernas ficam em posição de descanso e todo posicionamento do corpo, para a pilotagem, se traduz em movimentos em que se usa o guidão como apoio, enquanto os pés descansam nas confortáveis plataformas. Muitas horas você consegue acumular nessa posição e vai parar apenas para abastecer, com mais de 300Km.

Parabrisa alto é o máximo de proteção

Parabrisa alto é o máximo em proteção – controles leves e bem posicionados facilitam a pilotagem

O grande para-brisa – é ele quem faz toda diferença também nas estradas. Desvia bem o vento, mas principalmente a chuva e pedriscos vindo dos veículos à frente. A exposição às intempéries fica restrita às mãos e pés do piloto e para um garupa, o banco em dois níveis com encosto se torna extremamente confortável e a extensiva proteção do para-brisa favorece também a ele (a).

Equipamento original - Bolsas laterais em couro e encosto para o garupa

Equipamento original: Bolsas laterais em couro e encosto para o garupa. Painel completo sobre o tanque e muito cromo, a bela pintura em duas cores e o filete entre elas mostra como há atenção aos detalhes

Como equipamento original, além do encosto no banco ela traz ainda as bolsas laterais que não aumentam demais a largura da moto e se torna muito conveniente nas viagens ou curtas idas às compras. É em couro grosso e fecha bem, sendo ainda impermeável.

Motor extremamente suave, potência e torque suficientes para levar a moto a boas velocidades com economia e conforto

Motor extremamente suave, potência e torque suficientes para levar a moto a boas velocidades com economia e conforto. É arrefecido a líquido e não irradia muito calor

A propulsão do motor V2 é muito adequada. Oferece boa velocidade de cruzeiro e o câmbio de cinco marchas dá a amplitude de velocidades ideais para uma custom. A sexta não lhe faz falta, por conta do torque excepcional que leva a moto  em qualquer marcha por toda gama de rotações disponíveis ao motor. Desde a marcha lenta em qualquer marcha você pode acelerar até a rotação máxima, sem que o motor hesite ou surja de repente. Isso dá muita confiança na pilotagem.

Diferentes tocadas, o motor aceita bem em até velocidades relativamente altas e o consumo varia bem de acordo. Passou de 17 km/litro a até 24 km/litro num tranquilo passeio com garupa.

Freios na média, fazem bem o seu trabalho. O dianteiro precisa chama atenção quando se quer uma força maior de frenagem mas ele responde

Freios na média, fazem bem o seu trabalho. O dianteiro chama atenção quando se quer uma força maior de frenagem mas ele responde

Dirigindo a Vulcan Classic não parece que você está numa custom com tantos acessórios. Mesmo com os grandes pneus nas belas rodas raiadas, aro 16 na frente e 15 atrás, e o enorme para-brisa. Ela se mostra bastante leve na pilotagem, é fácil de manobrar e apenas a largura do guidão limita nas passagens mais estreitas. As bolsas laterais acompanham essa largura.
Ela é longa. Nos 1,65 m de distância entre eixos ela impressiona, além da sua leveza nas manobras, a capacidade de absorção das duas suspensões. São 150mm de curso na dianteira e 100mm na traseira, e parece que tem mais do que isso. Absorve os buracos como poucas custom e essa longa distância entre eixos isola bastante os impactos entre as duas rodas, como num obstáculo, por exemplo.

Transmissão por correia dentada, menos ruído, menos manutenção e menos sujeira

Transmissão por correia dentada. Menos ruído, menos manutenção e menos sujeira – Balança estilo “hard tail” adiciona estilo sem abrir mão do conforto

Na média estão os freios. Pinças de duplos pistões na dianteira e traseira fazem um bom trabalho e oferecem boa modulação. Especificamente no dianteiro você precisa aplicar um pouco de pressão adicional para ele responder com firmeza, e ele o faz. Para frenagens mais fortes, por causa da maior transferência de peso à frente, o freio dianteiro se torna prioritário.

No freio traseiro está disponível maior poder de frenagem, para uso corriqueiro e a distribuição de peso da custom não oferece problemas por causa disso. Ele pára bem e em muitas situações você pode depender mais dele do que do dianteiro, por conta do grande peso sobre a roda traseira, mas também, sobre a dianteira você encontra boa força de frenagem. Apenas aplicando um pouco de pressão a mais na alavanca, a esportividade estará lá também, quando precisar.

Essa é a Kawasaki Vulcan 900 LT. Pode ser sua moto de todo dia ou só para passeios em fim de semana. Tem agilidade suficiente para uso urbano, mas sua grande especialidade são as estradas, de preferência longas e sem necessidade de piso muito bom. Sua grande diferença está na qualidade do equipamento com um custo que se destaca entre as outras da mesma categoria. Pelo preço, fica difícil encontrar coisa melhor, principalmente com os equipamentos instalados.

Se você tem uma Kawasaki Vulcan 900 LT, opine sobre ela!
Acesse agora mesmo: Guia de Motos – Motonline