La più bella

La più bella

Conheça todos os detalhes da nova MV Agusta Brutale 1078RR. Eleita a moto mais bonita do Salão de Milão, a naked italiana chega a 267 km/h.

Apesar de já terem se passado alguns meses da realização da 65ª edição do Salão de Milão (EICMA), a maior mostra de motociclismo do planeta continua dando muito que falar. Isso porque depois de cinco dias de evento, o público que visitou a feira não poupou elogios a um modelo em especial: a nova MV Agusta Brutale 1078RR. Com uma série de novidades em seu conjunto ciclístico e mecânico, a nova integrante da família Brutale, uma evolução da 910R, ganhou destaque também por ter sido eleita a moto mais bonita em exposição, com 25,7% dos votos, seguida pela Ducati Monster 696 (15,2%) e pela BMW HP2 Sport (9,2%).

Também, pudera. Com visual moderno e linhas bastante ousadas, o resultado não podia ser diferente. Neste sentido, diga-se, vale destacar que boa parte das peças e acessórios dispostos na nova Brutale 1078RR são os mesmos da versão 910R. Por isso, neste caso, qualquer semelhança não é mera coincidência. Apenas itens como grafismos, calibração da suspensão, componentes mecânicos além da capacidade cúbica do motor diferem uma versão da outra. No restante praticamente tudo permanece o mesmo. Para os mais leigos chega a ser difícil distinguir as duas versões da Brutale (910R e 1078RR), tamanha a semelhança dos modelos. Até mesmo o peso (185 kg) e a capacidade do tanque de combustível (19 litros) permanecem os mesmos nas duas motos.

No entanto, com um pouco mais de atenção os detalhes começam a surgir, a começar pelo belo propulsor baseado no da esportiva F4 RR 312, um quatro cilindros em linha DOHC (Duplo Comando no Cabeçote) de 1078 cm³ totalmente à mostra, uma verdadeira obra-prima da engenharia para os fãs de modelos naked. Com potência declarada de 154 cv a 10.700 rpm e torque de 11,7 kgf.m a 8.100 rpm, a nova Brutale 1078RR tem desempenho 10% superior em relação a versão 910R, segundo a MV Agusta. Na medição final de velocidades, a diferença entre as duas motos é de 10km/h, com vantagem para a Brutale 1078RR, que é capaz de alcançar os 267 km/h de final.

Se na mecânica a 1078RR impressiona, na ciclística, a MV Agusta também não decepcionou. A suspensão dianteira é telescópica upside-down, com tubos de 50 mm de diâmetro e curso de 130 mm. A traseira usa um mono-amortecedor progressivo, com curso de 120 mm e possibilidade de ajustes na pré-carga da mola. Para parar esse “canhão”, os freios dianteiros são de disco duplo flutuantes, com 320 mm de diâmetro, da grife Brembo. Na traseira, o sistema usa um disco simples com 210 mm. A roda dianteira vem calçada com um pneu de medida 120/70 ZR 17 e a traseira na medida 190/55 ZR 17.

Na Europa a nova Brutale 1078RR tem preço médio de 18.000 Euros. As cores disponíveis por lá são branca e preta, vermelha e cinza e preta e cinza. No Brasil, segundo o representante oficial da marca, ainda não existem planos de comercialização do modelo.