Foto: Leandro venceu a segunda

Leandro Silva vence etapa do Brasileiro de Motocross em Canelinha(SC)

Foto: Leandro venceu a segunda

Foto: Leandro venceu a segunda

O piloto paranaense Leandro Silva, da equipe Honda/Mobil/Pirelli, venceu neste domingo, a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, disputado no motódromo Arthur Jachowicz, em Canelinha, Santa Catarina. Ele conseguiu a sua segunda vitória na temporada e confirmou o favoritismo ao seu primeiro título brasileiro na categoria MX-1 (motos 2 tempos de 100 a 250 cilindradas e 4 tempos de 175 a 450 cilindradas para pilotos de 15 a 50 anos). Absoluto, ele largou na frente, manteve o ritmo forte e se distanciou do catarinense João “Marronzinho”Paulino e do seu companheiro de equipe Wellington Garcia, de Goiás .

Cerca de 25 mil torcedores acompanharam o desempenho de Leandro em Canelinha que também assistiu no sábado, um feito inédito no motocross brasileiro: a primeira vitória de uma mulher no Campeonato Brasileiro de Motocross. A façanha foi alcançada pela mineira, Mariana Balbi, irmão do bicampeão brasileiro Jorge Balbi, que corre atualmente nos Estados Unidos, na categoria MX3. Ela superou a 38 adversários masculinos

Apesar de ter colocado 35 segundo em cima de Marronzinho, segundo colocado, Leandro assegurou que a vitória foi construída com muita dificuldade. “Larguei bem, mas tive fortes adversários. A diferença é que estou bem preparado técnica e fisicamente e consegui impor um ritmo forte do início ao fim”, acrescentou.

MUNDIAL DE MOTOCROSS – Leandro se negou a considerar-se um favorito ao título da temporada na categoria MX1. “Ainda é muito cedo para fazer previsões. O importante é somar pontos e se distanciar dos outros adversários. Hoje eu consegui fazer isto. Espero que nas próximas etapas isto se repita”, acrescentou.

Antes da disputa da bateria da MX-1, o governador de Santa Catarina, Luís Henrique da Silveira, que acompanhou a prova, anunciou ao lado dos presidentes da Confederação Brasileira de Motociclismo, Alexandre Caravana, e do presidente da Federação Catarinense de Motociclismo, Onílio Cidade, o Kiko, a realização da última etapa do Campeonato Mundial de Motocross, no dia 12 de setembro, em Canelinha. O mundial está de volta ao Brasil ,após oito anos de ausência.

MX2 – Largar na frente é assegurar possibilidade de vitória. O resto é acelerar forte, manter-se na ponta, não errar e comemorar após a bandeirada de chegada. Esta estratégia foi utilizada pelo piloto paranaense Jean Carlo Ramos (Honda/Mobil/Pirelli/ASW/Pirelli) que venceu a categoria MX2 (motos de 2 tempos de 100 a 150 cilindradas e 4 tempos de 175m a 250 cilindradas. Pilotos de 15 a 50 anos) , correndo contra 40 adversários. Desta forma, a briga ficou mesmo para as outras posições. Wellington Garcia , também piloto da equipe Honda, se deu bem e superou seus adversários , o mineiro Swian Zanoni e o catarinense Cristopher Castro.

“O importante foi que eu larguei bem na frente, impôs no início um ritmo forte e como vi que tinha desgarrado do pelotão que vinha atrás, preferi dosar energia e garantir a vitória”, explicou Jean.

85 CC – Boa briga na bateria 85cc (motos 2 tempos de 70 cc até 105 cc para pilotos homens de 11 a 15 anos e mulheres até 17 anos). O equilibrio permitiu que dois pilotos se revezassem na disputa pela primeira colocação. Na disputa pela liderança, Raul Faustino e Tiago Formehl caíram quando ocupavam a primeira e a terceira colocação, respectivamente, permitindo que o paranaense Endrews Armstrong disparasse na frente e vencesse a bateria.

“Larguei em segundo e acabei ultrapassando o primeiro colocado. Estava muito concentrado e administrei a minha corrida. Agradeço muito a Deus por esta vitória”, afirmou emocionado.

CRF 230 CC – Se na MX2 o vencedor não teve dificuldades, na CRF 230 CC um pega protagonizado pelos pilotos Marcos Roberto Moraes, de Sao Paulo e Richard Rezende, o Piaba, de Minas Gerais garantiu uma prova eletrizante. O preparo físico do paulista foi determinante para sua vitória. Piaba cansou no final, depois de liderar por bom tempo, e permitiu a ultrapassagem há duas voltas para o final.

“Foi uma vitória gratificante. Tomei um tombo no início, consegui me recuperar e correr atrás dos ponteiros. Cheguei no Richard e travamos um duelo interessante. Estava bem fisicamente e acho que foi isto o que contribuiu para que eu vencesse”, justificou Marcos.

RESULTADOS – MX1
1 – Leandro Silva (Honda/Mobil) Paraná
2 – Joáo “Marrozinho”Paulino (Pro-Tork) Santa Catarina
3 – Wellington Garcia (Honda/ASW/Oakley) – Goiás
4 – Cristopher Castro (2B Racing/Consórcio Realizar/Mart-Plus) – Santa Catarina
5 – Swian Zanoni (Honda/Mobil) Minas Gerais

MX2
1 – Jean Carlo Ramos – Paraná
2 – Wellington Garcia – Goiás
3 – Swian Zanoni (Honda/Mobil) – Minas Gerais
4 – Cristopher Castro (2B Racing/Consórcio Realizar/Mart-Plus) – Santa Catarina
5 – Rafael da Silva Faria (Brasil Racing/KTM) – Paraná

85 cc
1 – Endrews Armstrong (Dunas/General Motos) – Paraná
2 – Thiago Formehl – Mato Grosso
3 – Anderson Amaral (Irrigação Borborema) São Paulo
4 – Eduardo Rudnick (Honda/Irmãos Maach) Paraná
5 – Raul Faustino (Honda/Bia Motos) São Paulo

CRF 230CC
1 – Marcos Roberto Moraes (Novamoto/Multimaq) São Paulo
2 – Richard Bruno Rezende (2B Racing/Consórcio Realizar/Mart-Plus) Minas Gerais
3 – Nivaldo José Viana (Sammel Motos) São Paulo
4 – Rafael Silva Xavier (Prefeitura Santa Cruz) Pernambuco
5 – Alex Costa de Lucena (Trans União/César Motos) Pernambuco