tela1

Limites voluntários para telas de toque

Legisladores americanos estão pedindo aos fabricantes de veículos que imponham limites mais estreitos ao tempo em que motoristas podem ficar lidando com telas de toque enquanto dirigem.

Para isso publicaram terça-feira passada propostas que restringiriam o tempo necessário e suficiente para que uma pessoa comande sistemas audiovisuais no carro: dois segundos. Ao mesmo tempo, esta pessoa estaria limitada a seis toques a cada 12 segundos, reduzindo o tempo em que poderiam ficar sem olhar à frente.

Essas limitações evitariam a entrada manual de textos e mostras de sites, mídias sociais, livros e outras distrações de textos enquanto o veículo estivesse andando.

O secretário de transportes americano, Ray LaHood, ao anunciar as novas regras, disse aquilo que todo observador de trânsito já sabe: “Dirigir distraído é inseguro e irresponsável. Pode ter conseqüências devastadoras.” David Strickland, administrador da NHTSA, administração nacional de segurança rodoviária, lembrou que em 2011 mais de 3.000 pessoas foram mortas e mais de 387.000 feridas em acidentes provocados por distração à direção.

As regras atualmente existentes permitem que um motorista leia textos e toque telas de comando com o veículo andando a 8 km/h durante 20 segundos no máximo – um rodar total ‘cego’ de 44,4 metros, quase meio quarteirão. Estudos da NHTSA mostram que simplesmente olhar para uma tela ou para um aparelho manual qualquer aumenta o risco de um acidente por três vezes.