Baterias seladas, mais conforto para o motociclista

Mais uma bateria selada para motos no mercado

Baterias seladas, mais conforto para o motociclista

Baterias seladas, mais conforto para o motociclista

Há muito tempo que os carros utilizam baterias seladas, que dispensam a adição de água e manutenção periódica, entretanto as motos estão começando agora a desfrutar desse conforto, com a crescente oferta no mercado de baterias com essas características, à base do tradicional ácido, à base de gel ou as de lítio.

Mais uma opção está chegando ao mercado, é a nova linha Naja de baterias para motocicletas, que, segundo o fabricante, sua fabricação está seguindo as mais rigorosas especificações que a colocam em conformidade com as necessidades de diversos fabricantes de motocicletas, tais como: Dafra, Honda, Kawasaki, Yamaha, Suzuki, Kasinski e Traxx, dentre outras, além de atender às normas ambientais brasileiras.

As novas baterias utilizam tecnologia AGM/VRLA de alto desempenho, são seladas e à prova de vazamento, o que também faz delas, “amigas” do meio ambiente. Em seu interior uma solução ácida fica integralmente absorvida em manta de microfibra de vidro, garantindo maior durabilidade, deixando o usuário livre das preocupações inerentes à manutenção.

Leves, compactas e resistentes às variações climáticas, as novas baterias podem ser utilizadas em motocicletas que que enfrentam o calor do Rio de Janeiro ou o frio de Campos do Jordão, isso sem perder a capacidade de gerar energia para a motocicleta.

Alguns conselhos úteis para prolongar a vida de qualquer bateria:

– realizar inspeções visuais regularmente, daquelas feitas em casa, enquanto se lava a moto, verificando a situação quanto à incidência de zinabre (oxidação formada ao redor dos terminais negativo e positivo);

– rode com a moto pelo menos uma vez por semana (ou pelo menos a deixe funcionar por alguns minutos)

– Se for deixar a moto parada por longos períodos, calce o apoio lateral e o descanso central com tiras de borracha ou pedaços de madeira, diminuindo as chances de uma descarga da bateria;

– respeitar as especificações de carga e a voltagem ao instalar acessórios como alarmes, rastreadores, faróis sobressalentes e outros. Além disso, isolar corretamente os pontos de conexão para não haver “fuga de energia”, afinal, do momento da partida até a faísca gerada pelas velas, a corrente elétrica enviada pela bateria é primordial, uma vez que ela é responsável por toda a energia consumida pelo veículo e isso pode ser a diferença entre pilotar e empurrar a moto.

Outras matérias sobre baterias publicadas no Motonline:

Moura lança bateria para motocicletas
Bateria “inteligente” à base de gel promete mais durabilidade
A bateria mais eficiente (baterias de lítio)