motogp14

Maverick Viñales vence a segunda consecutiva na MotoGP

Monstruoso talvez seja o melhor adjetivo para o início de temporada que Maverick Viñales (25, Movistar Yamaha MotoGP) está fazendo. Depois de vencer todos os testes oficiais e de ser o mais rápido na primeira corrida, ele repetiu o feito neste domingo ao vencer – com folga – o grande prêmio de Termas de Rio Hondo, na Argentina. O resultado marcou também a dobradinha da equipe oficial Yamaha, com Valentino Rossi (46), comemorando sua corrida de número 350 pelo Mundial de Motovelocidade, no segundo lugar. Aliás, dos seis primeiros colocados, quatro estavam guiando motos da marca japonesa.

Aquelas motos borradas ao fundo são Cal Crutchlow e Valentino Rossi. Em destaque, o absoluto Maverick Viñales: assombrando a temporada 2017 da MotoGP

Aquelas motos borradas ao fundo são Cal Crutchlow e Valentino Rossi. Em destaque, o absoluto Maverick Viñales: assombrando a temporada 2017 da MotoGP

Marc Márquez (93, Repsol Honda Team) fez a pole e, com um excelente acerto na moto, já na segunda volta, abria dois segundos de vantagem para os adversários. Confiante e acelerando tudo o que podia, o espanhol abriu a terceira volta e, ao entrar na Curva 2, perdeu o controle da moto e passou reto na curva, indo parar somente nas britas da área de escape. Fim de prova para o campeão mundial. Neste momento o primeiro lugar caiu no colo de Viñales, que soube administrar com maestria o posto e não fora ameaçado pelos adversários em um momento sequer até receber a bandeirada final.

Márquez largou na frente e liderou com folga as primeiras voltas. Será que se ele não tivesse caído teríamos outro vencedor?

Márquez largou na frente e liderou com folga as primeiras voltas. Será que se ele não tivesse caído teríamos outro vencedor?

Enquanto Maverick passeava, duelos eram travados alguns metros atrás. Cal Crutchlow (3), LCR Honda) fez uma grande prova e defendeu com unhas e dentes seu segundo lugar, travando as inúmeras tentativas de ultrapassagens de Valentino Rossi. Depois de quinze voltas, enfim Rossi deu um golpe certeiro, tomando a vice-liderança e arrancando gritos nas arquibancadas. Cal até tentou buscar, mas depois de duas voltas se conformou com o terceiro lugar. Para alguém que corre com uma moto defasada, um terceiro lugar é infinitamente melhor do que uma queda na busca de um segundo. Assim esteve definido o pódio: Viñales, Rossi e Crutchlow.

Crutchlow andou na frente da dupla Yamaha por algumas voltas. Piloto foi o melhor representante da Honda na segunda etapa da MotoGP 2017, mesmo em uma equipe secundária

Crutchlow andou na frente da dupla Yamaha por algumas voltas. Piloto foi o melhor representante da Honda na segunda etapa da MotoGP 2017, mesmo em uma equipe secundária

Uma corrida com várias quedas acabou por possibilitar um top 5 curioso, com Alvaro Bautista (19, Pull&Bear Aspar Team) em quarto e Johann Zarco (5, Monster Yamaha Tech 3) em quinto. Por sinal, grande resultado para a dupla, especialmente para Zarco, que acaba de chegar à MotoGP após seu título na Moto2, no ano passado. Jorge Lorenzo (99, Ducati Team) faz um início de temporada complicado. O piloto teve de abandonar a prova logo na primeira volta, ao se chocar de forma estranha (e amadora) com a moto de Andrea Iannone (29, Team Suzuki Ecstar) e cair.

Recém-chegado da Moto2, Zarco fez grande prova e abocanhou o quinto lugar. Piloto não se intimidou na nova categoria

Recém-chegado da Moto2, Zarco fez grande prova e abocanhou o quinto lugar. Piloto não se intimidou na nova categoria

O incidente também vitimou o italiano, que com a moto danificada teve de ir aos boxes e retornar à corrida, ficando com a última colocação. Em um domingo para esquecer, a Honda (que teve o melhor resultado obtido por um piloto de uma equipe secundária) também assistiu o apagado Dani Pedrosa (26) cair sozinho e dizer adeus às chances de pontuar na prova. Também houve o strike involuntário de Aleix Espargaro (41, Aprilia Racing Team Gresini) que perdeu o controle da moto e derrubou Andrea Dovizioso (4, Ducati Team) no meio da prova. Pol Espargaro e Bradley Smith, que representam a Red Bull KTM Factory Team, amargaram a 14ª e 15ª colocações, respectivamente. Luz amarela acesa para a equipe cor de laranja.

Com o resultado, Maverick Viñales segue líder da temporada 2017 da MotoGP, com 50 pontos. Valentino Rossi é o segundo, com 36 pontos, seguido por Andrea Dovizioso, que possui 20. Na sequência vem Scott Redding (17), Cal Crutchlow (16), Jonas Folger (16) e Jack Miller (15). Só aí, em oitavo, aparece Marc Márquez, com 13 pontos. Com três títulos mundiais, Lorenzo é o 18º, com 5 pontos. A próxima prova acontecerá nos Estados Unidos, no circuito das Américas, no dia 23 de abril.

Resultado da segunda etapa da MotoGP 2017

1º – Maverick VIÑALES (#25), da Movistar Yamaha MotoGP
2º – Valentino ROSSI (#46), da Movistar Yamaha MotoGP
3º – Cal CRUTCHLOW (#35), da LCR Honda
4º – Alvaro BAUTISTA (#19), da Pull&Bear Aspar Team
5º – Johann ZARCO (#5), da Monster Yamaha Tech 3
6º – Jonas FOLGER (#94), da Monster Yamaha Tech 3
7º – Danilo PETRUCCI (#9), da OCTO Pramac Racing
8º – Scott REDDING (#45), da OCTO Pramac Racing
9º – Jack MILLER (#43), da EG 0,0 Marc VDS
10º – Karel ABRAHAM (#17), da Pull&Bear Aspar Team

Morbidelli vence na Moto2

A disputa na Moto2 também teve uma série de acidentes. Ainda na largada, Remy Gardner (#87, Tech 3 Racing) e Takaaki Nakagami (#30, IDEMITSU Honda Team Asia) acabaram se tocando e os dois foram parar no chão na Curva 1. Em seguida foi a vez dos pilotos Fabio Quartararo (#40, Pons HP40) e Axel Pons (#49, RW Racing GP)  se envolverem num acidente, marcando fim de prova para os dois. Mas a queda mais feia foi a de Xavier Simeon (#19, Tasca Racing Scuderia Moto2): o piloto saiu da pista em alta velocidade e precisou receber atendimento médico devido a uma pancada forte na cabeça. Ao final da prova, quem recebeu a bandeirada final em primeiro foi Franco Morbidelli (#21, EG 0,0 Marc VDS), com o português Miguel Oliveira (#44, Red Bull KTM Ajo) em segundo e Thomas Luthi (#12, CarXpert Interwetten), em terceiro.

Franco Morbidelli vence GP da Argentina pela categoria Moto2 (Foto: Gilmar Rose / VGCOM)

Franco Morbidelli vence GP da Argentina pela categoria Moto2 (Foto: Gilmar Rose / VGCOM)

Joan Mir é o melhor na Moto3

Louros para Joan Mir (#36, Leopard Racing) na Moto3. O piloto largou da 16ª colocação e restando 15 voltas para o encerramento já puxava o pelotão dos ponteiros no Circuito de Termas de Rio Hondo. E não foi fácil manter a posição até o final da prova, visto as incansáveis investidas dos adversários, pois um pelotão de cinco pilotos tomou distância dos demais e fez uma constante troca de posições. Ao final, vitória de Mir, seguido por John Mcphee (#17, British Talent Team) em segundo e Jorge Martin (#88, Del Conca Gresini Moto3), em terceiro.

Joan Mir sai da 16ª colocação e conquista a vitória na categoria Moto3 (Foto: Gilmar Rose / VGCOM)

Joan Mir sai da 16ª colocação e conquista a vitória na categoria Moto3 (Foto: Gilmar Rose / VGCOM)

Copyright by Dorna / Fonte: MotoGP; VGCOM

Separador_MotoGP



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.