giggio6

Melhorar a sinalização de trânsito: faça a sua parte

Texto de Geovanni “Giggio” Di Bello


Motociclista é um dos agentes mais frágeis do trânsito depois do pedestre e do ciclista. Como se não bastasse a carga que esta fragilidade nos trás – estar atento a tudo e a todos, pilotar dentro das regras e das leis de trânsito e mesmo assim, saber que só isso não garante que vamos chegar a nosso destino – ainda dependemos de muitos fatores que fogem ao nosso controle,

Placa completamente encoberta em rodovia: descaso?

Placa completamente encoberta em rodovia: descaso?

Motoristas estressados, bêbados, falando ao celular ou distraídos em uma conversa com outros passageiros – isso quando todos esse fatores não aparecem juntos numa mesma ocasião e no mesmo individuo – possuem grande potencial para se transformarem em perigo e ameaça à paz no trânsito. Não há como o motociclista exercer controle nestas situações, por mais que se tenha experiência ou uma atenção fora do comum. São surpresas desagradáveis que podem acontecer, algumas até catastróficas.

Quebra-molas (lombada) com a placa de sinalização no chão

Quebra-molas (lombada) com a placa de sinalização no chão

No meio desse universo selvagem, onde o inimigo parece estar à espreita em cada arbusto ou em cada esquina, ainda temos que lidar com as condições precárias das vias urbanas, rurais e expressas, além da fraca ou inexistente sinalização de trânsito em muitos casos.

Algumas cidades no Brasil têm exemplos de encher os olhos. São Paulo é um bom exemplo onde existem placas em cada esquina, nas grandes avenidas, nas vias marginais, todas são bem visíveis. Dentro dos bairros elas são grandes e fáceis de encontrar. Porém, quando se vai saindo para a periferia, ou próximo da área rural, este quadro muda drasticamente.

Não é possível apontar uma única razão: descaso da prefeitura, vandalismo, motivo natural (tempestade, galhos de árvore, ferrugem e etc). O fato é que lé estão elas, as placas apagadas, encobertas por árvores ou pelo mato, caídas porque alguém achou legal derrubá-la ou porque um veículo a derrubou.

Sinalização urbana encoberta pela vegetação

Sinalização urbana encoberta pela vegetação

Em algumas cidades distantes de grandes centros urbanos, a sinalização de trânsito parece ser uma coisa “opcional”. Faixas de pedestres são tão raras quanto uma mosca branca. Semáforo, quando tem, é só em cruzamentos e locais realmente perigosos ou perto de órgãos públicos, como aqueles próximas a escolas. O argumento de que no interior não tem tantos carros assim nunca foi válido, muito menos nos dias de hoje.

Então qual é a desculpa? Do lado do poder público, as de sempre: falta de verba, falta de mão de obra, blablabla… aquele descaso. Mas e do lado de cá, de quem precisa daquela sinalização, motoristas, motociclistas, nós mesmos, alguém faz alguma coisa? Difícil.

Sinalização de piso apagada

Sinalização de piso apagada

É comum perceber que poucas pessoas estão atentas a esse tipo de coisa, seja perto de sua própria casa, na sua cidade ou mesmo noutras regiões. Só se dão conta e sentem falta quando algo acontece, uma curva perigosa, uma sinalização de solo que não estava lá, uma placa indicativa de direção inexistente que o levou para o caminho errado. Aí vem a reclamação clássica: “Que lugarzinho mal sinalizado esse!” Então mude de costume e reclame. Aqui deixo uma orientação muito útil.

Para solicitar uma placa de sinalização de trânsito, você deve fazer um pedido por escrito à companhia de trânsito de sua cidade solicitando a sinalização que julga ser necessária. Nesta carta, deverá constar o endereço do local a ser sinalizado. É importante também a especificação do motivo pelo qual a sinalização está sendo solicitada. A companhia de trânsito enviará para o reclamante o protocolo da solicitação. Guarde este número, pois é por meio dele que você poderá consultar o andamento do seu pedido.

Vandalismo é comum em estradas

Vandalismo é comum em estradas

Mas atenção: apenas o pedido não garante que a sinalização seja aprovada. Um engenheiro irá até o local a fim de estudar se a sinalização realmente é necessária. Assim que a verificação for feita, o reclamante receberá uma resposta da companhia de trânsito. Por isso, não se esqueça informar o seu nome e endereço completo.

Com esse tipo de atitude você pode ajudar o trânsito a ser mais simples e seguro. Lembre-se dos ensinamentos do CFC (Centro de Formação de Condutores) que você cursou quando foi se habilitar para pilotar moto. Muitas coisas foram mostradas lá e podem ter “escapado”. Agora é a hora de lembrar delas para prevenir acidentes.