Foto: Carro da equipe Piratas do Cerrado, da Universidade de Brasília (UnB)

Minas sediará em setembro a Baja SAE BRASIL-Etapa Sudeste

Foto: Carro da equipe Piratas do Cerrado, da Universidade de Brasília (UnB)

Foto: Carro da equipe Piratas do Cerrado, da Universidade de Brasília (UnB)

Nos dias 12 e 13 de setembro, as equipes de Baja SAE de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Brasília e de Minas Gerais participarão da Competição Baja SAE BRASIL Regional 2009-Etapa Sudeste.

Pela primeira vez, a competição regional de carros off-road, construídos pelos estudantes de engenharia, será realizada em Minas Gerais, no Distrito Industrial de Sarzedo. Estão inscritas na competição 29 equipes, compostas por cerca de 300 estudantes, de 24 instituições de ensino superior. As provas acontecem no Campo de Provas da CNH, região metropolitana de Belo Horizonte.

Das 29 equipes inscritas, 15 são de São Paulo, oito do Rio de Janeiro, quatro de Minas Gerais, uma do Espírito Santo e uma do Distrito Federal.
As provas terão início no sábado, dia 12, com apresentação oral dos projetos e avaliações de segurança, conforto e regulagem de motor. Dia 13, domingo, os carros serão submetidos a provas de subida de rampa, tração, desempenho de dirigibilidade e um enduro de resistência, com três horas de duração. Com exceção das apresentações orais, as demais provas são abertas ao público.

A competição tem como objetivo dar oportunidade para as equipes testarem os veículos para a Competição Baja SAE BRASIL-PETROBRAS, a ser realizada no primeiro semestre de 2010 em Piracicaba, SP. Cerca de 70 equipes do Brasil e do Exterior marcam presença todos os anos.

Além da Etapa Sudeste, a SAE BRASIL realiza mais duas competições regionais durante o ano: a Etapa Nordeste, nos dias 13 e 15 de novembro (local a definir); e a Etapa Sul, com data e local também a definir.

Veículos – Os veículos Baja SAE são protótipos de estrutura tubular em aço, monopostos, para uso fora-de-estrada, com quatro ou mais rodas e devem ser capazes de transportar pessoas com até 1,90m de altura, pesando até 113,4 kg e motor padrão de 10 HP. Os sistemas de suspensão, transmissão, freios e o próprio chassi são desenvolvidos pelas equipes, que têm, ainda, a tarefa de buscar patrocínio para viabilizar o projeto.

Besaliel Botelho, presidente da SAE BRASIL, conta que o Projeto Baja SAE é um dos programas de maior sucesso da SAE BRASIL para a capacitação dos futuros engenheiros, no qual cada equipe de estudantes se envolve em um caso real de desenvolvimento de um veículo, com todas as ações correlatas. “Além de praticarem os conceitos teóricos adquiridos em sala de aula, eles são submetidos às experiências da vida real, como trabalho em equipe, atendimento de prazos, busca de suporte financeiro para o projeto e atividades diversas, muitas delas em áreas não exploradas nos cursos regulares, mas que incentivam a criatividade e o surgimento de lideranças”, diz. Segundo Botelho, muitas empresas têm priorizado a contratação de ex-participantes do Projeto por terem a certeza de que eles estão bem preparados. “Isso comprova a importância da competição”, completa.

EQUIPES:
Distrito Federal / Universidade de Brasília (UNB) – equipe Piratas do Cerrado

Espírito Santo / Universidade Federal do Espírito Santo – equipe Vitória Baja

Minas Gerais – (4 equipes / 4 instituições)
Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) – equipe Cefast 03
Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS) – equipe Bicho Minero
Universidade Federal de Itajubá (Unifei) – equipe Saci Melpoejo
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – equipe Baja UFMG

Rio de Janeiro (8 equipes /6 instituições)
Associação Educacional D. Bosco (ex-Faculdade de Engª de Resende) – equipe Aedbaja
Centro Federal de Educação Tecnológica Rio de Janeiro (Cefet-RJ) – equipes Mude Runner Tico e MudRunner Teco
Escola Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda, da Universidade Federal Fluminense – equipe VR Baja.
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – equipes Mini-Baja Uerj e Poli Uerj Enquip.
Universidade Federal Fluminense – equipe Tuffão
Universidade Federal do Rio de Janeiro – equipe Minerva Baja

São Paulo – (15 equipes / 12 instituições)
Centro Universitário da FEI – equipes FEI Baja 1 e FEI Baja 2
Escola de Engenharia de São Carlos da USP – equipes EESC-USP 1 e EESC-USP 2
Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) – equipe Ecopoli
Faculdades Anhanguera – equipe Quadrilha B
Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens) – equipe Fase Racing VDN
Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec SP) – equipes Fatecnólogos 1 e Fatecnólogos 2
Faculdade de Tecnologia de Sorocaba (Fatec Sorocaba) – equipe Nitro Baja Racing
Instituto Mauá de Tecnologia – equipe Mauá
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – equipe Baja Unicamp
Universidade Estadual Paulista de Ilha Solteira (Unesp Ilha Solteira) – equipes Tec-Ilha
Universidade Estadual Paulista de Guaratinguetá – (Unesp Guaratinguetá) – equipe Piratas do Vale
Universidade de Taubaté – equipe Bajeca.