Mitsubishi e Peugeot Citroën juntos nos elétricos

Mitsubishi e Peugeot Citroën juntos nos elétricos

Mitsubishi e Peugeot Citroën juntos nos elétricos

Osamu Masuko, principal executivo da Mitsubishi Motors Corporation, MMC, e Phillipe Varin, seu colega da PSA Peugeot Citroën, assinaram no último dia 4 um acordo de cooperação sobre veículos elétricos conjuntos.

O carro que eles desenvolverão, chamado -i-MiEV, é um kei (de keijidosha, minicarro) baseado no modelo i de motor de 660 cm³, transformado em carro elétrico.

O -i- foi mostrado pela primeira vez no salão de Frankfurt em setembro de 2003 e lançado 28 meses mais tarde, em janeiro de 2006. É um modelo incomum, um mini hatchback de cinco portas com motor entreeixos traseiro e tração nas quatro rodas, deixando toda a parte dianteira da carroçaria desenhada para o máximo de absorção de forças de impacto. O desenho é de Olivier Boulay, chefe de design da Daimler (que ao tempo tinha um acordo com a Mitsubishi) e foi um êxito de crítica e comercial, excedendo em 20% as expectativas da montadora, ganhando 13 prêmios em seu primeiro ano e o levando a ser exportado aos mercados de direção à direita na Ásia, Oceania e Europa.

O motor é um três cilindros de 12 válvulas e 659 cm³ de deslocamento, e a transmissão uma automática de quatro marchas. O entreeixos é de 2.550 mm, o comprimento total de 3.395 mm, a largura de 1.475 mm, a altura de 1.600 mm, o peso de 890 a 900 kg (dependendo equipamento) e o tanque de gasolina de 35 litros.

O i-MiEV (Mitsubishi Innovative Electric Vehicle) foi lançado no Japão em junho e ainda esse ano será exportado a mercados de direção à direita, um ano mais tarde a mercados de direção à esquerda em versões Peugeot e Citroën.

Um minicarro urbano japonês roda em média 10.000 km por ano e uma tonelada de CO2 é a quantidade absorvida por ano por 76 árvores de cedro. O i-MiEV é um veículo de emissões zero – e mesmo levando-se em consideração as emissões nas usinas de eletricidade que geram a energia que dão força ao carrinho, o pessoal da pesquisas da Mitsubishi garante que ele emite através de sua vida 70% menos CO2 que um carro semelhante a gasolina.

O custo por quilômetro, dependendo do custo local da eletricidade durante o dia, é um terço de um carro semelhante a gasolina – e pode chegar a um nono, se o proprietário sempre o recarregar à noite e fora dos horários de pico em casa. Se o fizer numa rede de 200 V e 15 A, a recarga total levará cerca de 7 horas; em rede de 100 V 15 A, metade do tempo; e em rede trifásica de 200 V e 50 kW, cerca de 30 minutos.

O carrinho é facílimo de dirigir, com painel de instrumentos simples e comandos da transmissão com posições Drive, Eco (economia, que limita a quantidade de energia passada ao motor elétrico) e B, de Brake, ou freios, que converte a energia cinética da frenagem em energia elétrica que volta à bateria.

Para a PSA Peugeot Citroën, o i-MiEV completará sua gama de carros de baixas emissões, composta em 2011 pelo Peugeot 3008 Hybrid4 e Citroën DS5 Hybrid4, e um Hybrid plug-in diesel em 2012.

Em testes de aceleração urbana (40 a 60 km/h), ele se demonstra ser 30% mais rápido do que o mesmo modelo com motor turbinado a gasolina. Outra enorme vantagem é seu silêncio operacional, sempre 5 dB a menos ruidoso.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.