O argentino Sergio Fasci, 17º na pontuação, ainda tem chance de título na GP 1000

Moto 1000 GP: candidatos aos títulos serão definidos em Curitiba

Sexta das oito etapas previstas no calendário de 2014 do Moto 1000 GP, o GP Curitiba vai proporcionar no dia 26 de outubro uma estimativa precisa dos pilotos que vão protagonizar a disputa final pelos títulos das quatro categorias do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Consideradas as tabelas da GP 1000, da GP 600, da GP Light e da GPR 250, são 57 os participantes que ainda têm chances de conquistar os títulos que disputam.

O argentino Sergio Fasci, 17º na pontuação, ainda tem chance de título na GP 1000

O argentino Sergio Fasci, 17º na pontuação, ainda tem chance de título na GP 1000

Antes das provas do último domingo do mês no Autódromo Internacional de Curitiba o título é uma meta matematicamente viável a todos os pilotos que estejam a no máximo 81 pontos do líder de cada categoria – é o total possível a cada participante até o término do campeonato. Cada etapa tem em disputa 25 pontos pela vitória e as bonificações de um ponto pela pole position e outro ponto pela volta mais rápida na corrida.

A categoria com maior número de pilotos ainda com chance de levantar a taça reservada ao campeão é a GP Light. Do brasiliense Henrique Castro, da City Service BSB Motor Racing, líder com duas vitórias 89 pontos, ao gaúcho Carlos Barcelos, que defende equipe homônima e ocupar o 19º lugar na tabela de classificação, todos os participantes nutrem chances de ficar com o título, de acordo com a distribuição de pontos do Moto 1000 GP.

Na GP 1000, categoria principal do Brasileiro de Motovelocidade, a lista de participantes a que a matemática permite a conquista do título é composta por 17 nomes. Do líder francês Matthieu Lussiana, com 93 pontos, ao argentino Sergio Fasci, da MGBikes Yamaha Racing, que figura em 17º com 12, competidores que representam sete países sustentam, por igual critério, a possibilidade matemática de ser o campeão.

A categoria GP 600 mantém 12 pilotos com chance de título, do líder uruguaio Maximiliano Gerardo, piloto da MGBikes Yamaha Racing que soma 102 pontos, ao carioca Antonio Télvio, do Team De Grandi, 12º com 23. Na GPR 250 são nove os candidatos à taça, grupo que vai do líder paulista Meikon Kawakami, da Playstation-PRT, líder com 103 pontos, ao paranaense Suel Silva, da Paulinho Superbikes, nono com 27.