Gilsom Scudeler

Moto 1000 GP é a atração do calendário nacional no segundo semestre

Gilsom Scudeler

Gilsom Scudeler

O segundo semestre de 2011 promete mudar a história da motovelocidade nacional. Isso em razão da chegada de uma nova competição para o calendário brasileiro, que tem como objetivos, entre outros, o desenvolvimento e profissionalização dos pilotos brasileiros. Trata-se da Moto 1000 GP,  comandada pelos campeões Alexandre Barros e Gilson Scudeler, que terá seis etapas em seu ano de estreia, percorrendo três estados – São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro. Inicialmente, o projeto prevê três categorias, todas com motos de 1000cc, divididas de acordo com o nível dos pilotos, sendo uma profissional, a GP 1000; e duas para iniciantes ou com pouca experiência, a BMW S1000RR Cup e a GP Light.

Com o pensamento em diminuir custos para os participantes, a temporada foi centralizada em três estados, com seis rodadas duplas. A prova de abertura será entre os dias 8 e 10 de julho, em São Paulo. Depois seguem-se Londrina, dias 20 e 21 de agosto; São Paulo, 3 e 4 de setembro; Londrina, 24 e 25 de setembro; Curitiba, dias 15 e 16 de outubro; e Rio de Janeiro, nos dias 19 e 20 de novembro.

A união de dois vencedores foi o primeiro passo para o nascimento da Moto 1000 GP. Alexandre Barros criou o projeto Copa Brasil de Velocidade, que despertou o interesse de novos investidores e, por conseqüência, a ampliação dos objetivos iniciais, com um campeonato que, a médio e longo prazo, correspondesse à realidade brasileira e  ainda gerasse frutos para o setor. A evolução levou ao Moto 1000 GP.

“Esperamos que com nossa experiência, dentro e fora das pistas, possamos ajudar a reestruturar a motovelocidade brasileira, com foco na formação, evolução e profissionalização dos pilotos e da modalidade. Queremos ainda ajudar o pilotos, para que motivemos o crescimento da base para o esporte. Para isso, contamos com parceiros como a Petrobras,  Lubrax, BMW e a Michelin “, explica Gilson Scudeler, heptacampeão brasileiro. “É um evento democrático, que busca a conquista do devido lugar da motovelocidade no cenário do esporte a motor brasileiro”, completa.

Alex Barros

Alex Barros

Entre os diferenciais da Moto 1000 GP estão o fornecimento de Gasolina Podium e lubrificantes Lubrax Tecno Moto 10W-40 a custo zero; Pneus, motocicletas e peças com valores subsidiados para todas as categorias;transmissão e divulgação de qualidade; trabalho de promoção e imagem; profissionalização dos pilotos e equipes; premiações jamais oferecidas no país; priorizar a evolução do esporte e implantar custos compatíveis com o setor.

A visibilidade do evento estará garantida com a exibição  ao vivo para todo o país pela Record News, quarta tevê aberta em audiência,  para o exterior pela Record News Internacional e Record Internacional, atingindo mais de 150 países, e na Rede Mundial de Computadores pelo Portal R7.

A Moto 1000 GP terá três categorias em princípio. As categorias serão destinadas a motocicletas de até 1000cc, divididas de acordo com o nível de pilotagem dos pilotos, sendo uma profissional e duas para pilotos iniciantes ou com pouca experiência.

GP1000 – máximo de 40 participantes  e aberta a pilotos profissionais ou não, que tenham participado de campeonatos nacionais ou internacionais, ou realizado curso de pilotagem com índice Titânio Gold (Alex Barros Riding School) ou similar. Motos multimarcas de até 1200cc. Regulamento compatível com os campeonatos em andamento no país.

BMW S1000RR – aberta a pilotos iniciando no esporte ou em fase de evolução técnica, que possuam histórico de participações anteriores em competições e que não tenham conquistado posições entre os 5 (cinco) primeiros colocados, na classificação geral de uma categoria de 1000cc, de qualquer evento relacionado a motovelocidade, desde 2005. Participarão também, pilotos de categorias com motos de cilindrada inferiores e ou que tenham realizado curso de pilotagem com índice Alumínio (Alex Barros Riding School) ou similar. A moto utilizada será a BMW S1000RR

GP LIGHT – máximo de 40 vagas e aberta a pilotos iniciando no esporte ou em fase de evolução técnica, que possuam histórico de participações anteriores e que não tenha ficado entre os cinco primeiros colocados na classificação geral de uma categoria 1000cc, de qualquer evento relacionado a motovelocidade desde 2005. Participarão também pilotos de categorias com motos de cilindradas inferiores ou que tenham realizado o curso de pilotagem com índice Alumínio (Alex Barros Riding School) ou similar.
Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.