Luciano Ribodino, 18 anos, é o terceiro colocado na classificação da GP 1000 - Foto: Sérgio Sanderson

Moto 1000 GP está descobrindo novos talentos da motovelocidade

Pautado na proposta de inovar a motovelocidade no Brasil, o Moto 1000 GP,  criado em 2011,  destaca entre seus propósitos a meta de renovação no esporte. Proporcionar condições favoráveis ao surgimento de novos talentos é uma das metas a que os organizadores mais dispendem atenção. Meta que tem sido atingida com gradativo êxito nos primeiros momentos da competição, que encaminha-se para a metade de sua segunda temporada.

“O Moto 1000 GP nasceu para fomentar a motovelocidade, e isso não quer dizer apenas termos um evento sólido e atrativo para o público brasileiro”, considera o piloto Gilson Scudeler, diretor do evento. “Acima disso, o que nós nos propusemos a fazer é criar um cenário interessante para que os pilotos da nova geração possam desenvolver sua pilotagem aqui e consigam chegar ao exterior com uma boa base para a sequência de suas carreiras”, complementa.

Ricieri Luvizotto, aos 19 anos, prepara-se para estrear no Espanhol de Motovelocidade

Ricieri Luvizotto, aos 19 anos, prepara-se para estrear no Espanhol de Motovelocidade

A aposta na próxima geração de pilotos que vão representar o Brasil na motovelocidade internacional tem em Ricieri Luvizotto um dos expoentes mais evidentes. O paulista de 19 anos atua na categoria GP 1000 com a Aprilia da Target Race e vai disputar neste ano duas etapas do Espanhol, pela categoria Moto2.

Luciano Ribodino, 18 anos, é o terceiro colocado na classificação da GP 1000

Luciano Ribodino, 18 anos, é o terceiro colocado na classificação da GP 1000

A próxima etapa do Moto 1000 GP tem suas provas confirmadas para o dia 23 de setembro em Santa Cruz do Sul (RS). Depois disso, a categoria terá etapas em Brasília (DF), Cascavel (PR) e Rio de Janeiro (RJ) – as duas últimas terão rodadas duplas para as categorias GP Light e GP 1000.