Moto1000GP_Enerson_1_17_05

Moto 1000 GP: morre o piloto Emerson Hidalgo

Morreu na manhã deste sábado (17) o paranaense Emerson Hidalgo, piloto da equipe Paulinho Superbike no Moto 1000 GP, aos 41 anos. Ele estava internado desde 3 de maio no Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre (RS), como consequência do acidente que sofreu durante a tomada de tempo classificatória da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade no Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul.

Emerson Hidalgo tinha 41 anos e competia na categoria GP Light

Emerson Hidalgo tinha 41 anos e competia na categoria GP Light

Hidalgo sofreu uma queda durante o treino de duas semanas atrás e, ao bater com a cabeça no asfalto, sofrendo traumatismo craniano. Atendido na pista pela equipe médica chefiada pelo doutor Marcos Korukian, foi encaminhado ao Hospital Cristo Redentor, considerado um centro de referência nacional em neurocirurgia. Permaneceu sob tratamento na UTI até a manhã deste sábado.

No socorro prestado em pista, Korukian constatou que Emerson Hidalgo sofreu traumatismo craniano e uma lesão na base do crânio. Sua remoção ao Hospital Cristo Redentor deu-se instantes depois. Ele resistiu a uma cirurgia e a vários outros procedimentos.

Emerson Hidalgo competia na categoria GP Light e pilotava a moto número 70 da Paulinho Superbikes.

A organização do Moto 1000 GP, através de Gilson Scudeler, manifestou seu voto de pesar aos familiares e amigos do piloto. Veja a seguir a íntegra do comunicado:

” A perda de Emerson aflora o sentimento de dor e de tristeza em todos que integramos a família do motociclismo brasileiro.

Apesar de toda preocupação e do investimento do evento em segurança, há coisas superiores para entender uma fatalidade como essa. Por mais que seja um esporte ao qual o risco é inerente, uma queda a pouco mais de 80 km/h resulta numa tragédia como essa, numa pista das mais seguras do país. É inexplicável.

Gilson Scudeler
Moto 1000 GP “