Foto: Rodolpho Mattheis,  foi a etapa mais difícil de sua vida

Moto da Equipe Petrobras Lubrax sobe posição na categoria no Rally Dakar 2009

Foto: Rodolpho Mattheis,  foi a etapa mais difícil de sua vida

Foto: Rodolpho Mattheis, foi a etapa mais difícil de sua vida

O piloto da Equipe Petrobras Lubrax, Rodolpho Mattheis, afirmou após terminar o dia de ontem do Rally Dakar 2009 que foi a etapa mais difícil de sua vida. Ele fez os 506 quilômetros de especial (trecho contra o relógio) em mais de oito horas em cima da moto, a KTM 450.

“Era areia o tempo todo e hoje não dava para poupar a moto. A pilotagem na areia faz com que a gente tenha que acelerar o tempo todo, para evitar inclusive um aquecimento no motor. Tanto a parte técnica quanto a física foram muito exigidas. No final da especial o percurso mudava para dunas com um pouco de vegetação, mas nada parecido com o Por Las Pampas (prova do calendário mundial que acontece na região)”, contou o brasileiro após chegar no acampamento em San Rafael, na Argentina. Com o resultado desta quarta-feira, Rodolpho subiu mais uma posição na classificação geral acumulada para a categoria Marathon até 450cc: a terceira posição.

O espanhol Marc Coma, de KTM, mais uma vez foi o mais rápido do dia e continua na liderança do Rally Dakar até o momento.

Caminhão – O caminhão da Equipe brasileira Petrobras Lubrax enfrentou diversos problemas na etapa de ontem do Rally Dakar 2009. “Primeiro foi um pneu furado, depois a embreagem. E diversas vezes tivemos que parar o Tatra para sanar mais outro problema. O estranho é que no início do trecho cronometrado eu percebia que quase ninguém nos ultrapassava e foi aí que notei que a etapa estava complicada para todos”, contou o piloto do caminhão André Azevedo.

Segundo ele, a quinta etapa foi uma prova de resistência física para o competidor e para a máquina. “Deu aquela saudade negativa da África. O trajeto inteiro tinha muita erosão, vários buracos. Foi terrível!”, concluiu Azevedo, que possui mais de 20 participações no Rally Dakar.

Mesmo enfrentando tantos desafios, o caminhão da Petrobras Lubrax terminou na 13ª posição do dia e está em 9º lugar na classificação geral acumulada. Apenas 15 dos 78 caminhões que largaram ontem terminaram a etapa. O trio russo Kabirov/Belyaev/Mokeev realizou o melhor tempo do dia.

Carro – Faltando apenas sete quilômetros para o final da especial (trecho contra o relógio) da etapa de ontem, o Mitsubishi Pajero Full da dupla Jean Azevedo/Youssef Haddad atolou em um brejo. O cenário do dia também não favoreceu os brasileiros, pois o carro estava em um local de baixa visibilidade para os outros competidores e caía uma forte chuva na região.

Somente nesta madrugada é que os brasileiros conseguiram retirar o carro do local e chegaram ao acampamento de San Rafael, na Argentina, por volta das 2h da manhã. Às 9h40 de hoje – quinta-feira – a dupla já se dirigia para a largada da especial desta sexta etapa.

Pior etapa até agora – Os números da etapa de ontem do Rally Dakar 2009 impressionam. Apenas cerca de 20% dos carros e caminhões conseguiram terminar a especial. Dos 160 carros que largaram para a quinta etapa, 33 é que atingiram a linha de chegada no tempo estipulado. Dessa maneira, a organização da prova anunciou que o trecho cronometrado de hoje terá apenas 178 quilômetros, ao invés dos 395 previstos. Além disso, a largada foi atrasada em duas horas, para dar tempo de mais veículos conseguirem atingir seu destino.