Honda dá dicas para viajar sem problemas

Moto Honda dá dicas para viajar com segurança

Honda dá dicas para viajar sem problemas

Honda dá dicas para viajar sem problemas

Durante as férias, nada melhor que pegar a estrada. Nesta época, muita gente sai dos grandes centros para passar momentos com a família ou amigos no interior ou no litoral. Para que os bons momentos planejados não se tornem dor de cabeça, a Moto Honda da Amazônia, com o apoio do Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH), traz dicas importantes para que o motociclista possa curtir as férias com segurança e tranquilidade.

Check-up completo

Antes de qualquer coisa é preciso verificar se a mecânica está em dia. É indispensável que o motociclista leia atentamente o Manual do Proprietário e siga as orientações importantes que ele contém. A rede de concessionárias Honda, por meio do Serviço Expresso, presta serviço de check-up e inspeção de 21 itens em aproximadamente uma hora, como cabos de embreagem e de freio, folga de manetes, desgaste e pressão dos pneus, regulagem da corrente de transmissão, além de verificação do nível de óleo do motor, lâmpadas e o sistema elétrico da motocicleta. Os profissionais treinados pela fábrica e utilização de peças genuínas garantem que a motocicleta terá um funcionamento confiável. Para garantir o atendimento, é fundamental o cliente agendar um horário na concessionária de sua preferência.

Pneus requerem cuidados especiais

Pneus requerem cuidados especiais

Antes de pegar a estrada, também é importante analisar se os pneus estão calibrados com a pressão correta; verifique a pressão com os pneus frios, antes da pilotagem, para uma correta calibragem, lembrando que em alguns modelos o pneu traseiro deve estar com mais pressão caso o motociclista leve alguém na garupa, para compensar o peso extra. Observar se algum raio das rodas está quebrado ou solto e ainda verificar se há objetos presos que possam vir a danificar os pneus.

Outro detalhe que deve ser observado é o nível de óleo lubrificante do motor. Caso esteja baixo, deve ser completado até o nível recomendado. Em caso de dúvida, consulte o nível e o tipo de óleo recomendado bem como o intervalo de troca no Manual do Proprietário. Caso seja necessária a troca do óleo, certifique-se que o filtro de óleo foi limpo ou trocado, dependendo do tipo utilizado no motor de sua motocicleta.

A transmissão secundária – corrente coroa e pinhão, conhecida popularmente como “relação” – deve ser inspecionada periodicamente. Se a corrente estiver ressecada, enferrujada ou com elos engripados, lubrifique-a com óleo de transmissão SAE 80 ou 90. Se estiver muito suja, deve-se limpar antes da lubrificação. Não aplique lubrificante em excesso, pois pode favorecer o acúmulo de sujeira, areia ou terra e provocar o desgaste prematuro. O filtro de ar deve ser limpo periodicamente, lembrando que alguns modelos de filtros de ar não podem ser limpos, apenas substituídos.

Uma parte vital do conjunto mecânico é o sistema de freios que deve ser analisado com muito cuidado. Verifique sua regulagem e desgaste. Se estiverem desgastados, lonas e pastilhas de freio devem ser trocadas. Em caso de freios hidráulicos, é importante verificar o nível de fluido de freio. Caso esteja abaixo do mínimo, é recomendável que a motocicleta siga para um check-up, pois o sistema pode estar com vazamentos ou desgaste acima do limite de uso das pastilhas de freio.

Na parte elétrica, o motociclista deve se atentar ao funcionamento das luzes de sinalização (freios, pistas, lanterna, farol e painel), que além de comprometer a segurança da viagem, o mau funcionamento de um ou mais destes itens pode incorrer em multa e pontos na carteira.

Uma dica importante é realizar uma inspeção visual geral da motocicleta, atentando-se a vazamentos, itens quebrados ou soltos e ainda estado de mangueiras diversas. Itens ressecados, rachados ou com qualquer tipo de dano devem ser substituídos, independentemente de qual seja a função dessa mangueira (combustível, líquido de arrefecimento, fluido de freio, respiro de óleo, etc.).

Vestimenta em dia e pilotagem segura

Vestir-se adequadamente é um requisito importante em qualquer ocasião, principalmente pilotando uma motocicleta. Por isso, é necessário verificar se o capacete atende a resolução determinada e, no momento da viagem, ajuste a cinta jugular para que não fique nem folgada, nem apertada. A viseira deve estar em bom estado, limpa e sem riscos.

Principalmente na estrada, uma boa capa de chuva é indispensável

Principalmente na estrada, uma boa capa de chuva é indispensável

É importante utilizar roupas claras e faixas reflexivas, para facilitar a identificação por outros motociclistas e motoristas, principalmente à noite. Calças e jaquetas de couro ou algum tecido resistente também são desejáveis, sem esquecer-se das botas ou sapatos que protejam os pés, luvas e capas de chuva. Todo o cuidado dispensado a vestimenta do piloto deve ser estendido também ao garupa.

Na estrada, o motociclista deve ficar sempre atento aos outros motoristas, procurar evitar os pontos cegos (locais onde o motorista não enxerga a motocicleta no espelho retrovisor) e sempre sinalizar as suas manobras. É importante que o motociclista não tente exceder as suas habilidades, pois pode aumentar as chances de imprevistos, e sempre respeitar os limites de velocidade. Para minimizar os efeitos da fadiga e a ação do vento, é recomendável que o motociclista pare a cada 90 minutos para movimentar os músculos.

Mantendo a motocicleta em um bom estado de conservação e respeitando os seus próprios limites e os da estrada, o motociclista só precisará se preocupar com o vento no rosto e o prazer de pilotar.

Para ler mais sobre esse assunto clique nos links abaixo:

Pilotando no molhado

Equipamentos de segurança

Pneus: cuide dos seus