Foto: Divulgação - Honda XRE 300

Moto pra que te quero

Foto: Divulgação - Honda XRE 300

Foto: Divulgação - Honda XRE 300

Em viagens que faço quinzenalmente, com cerca de 600km (ida e volta) no asfalto, qual a velocidade de cruzeiro ideal para a TORNADO e para a XRE300. A HONDA conseguiu eliminar neste novo motor da XRE300 o problema crônico que a Tornado tinha com o tensionador da corrente de comando? Obrigado e parabéns pelo MOTONLINE. Álvaro, 56, Eunápolis, BA

R: Alvaro, para cada motor considera-se segura para se manter um longo tempo aquela rotação que estiver a no máximo 2/3 da faixa vermelha do tacômetro.
Claro que um motor menor tem normalmente uma vida útil menor também e portanto essa proporção não se torna prática. Uma cinqüentinha, por exemplo, a 100 por hora, se é que chega a tanto, espera-se que esteja perto ou acima da faixa vermelha, então não se torna prático o seu uso nessa faixa de velocidade. Para as novas 300 da Honda, acredito que a faixa entre 100 e 120 Km/h encontra uma rotação segura para longos trajetos sem problemas.
Quanto ao caso da corrente de comando da Tornado, não concordo que seja crônico. Todo motor OHC ou DOHC tem que ter uma forma de transmissão do movimento circular ao(s) comandos e o de corrente tem se mostrado uma boa opção. Como estes se encontram num local de fácil super-aquecimento a lubrificação quando se torna deficiente, ataca essa área. Por falta de óleo ou por excesso de contaminação (muitos Km entre trocas) qualquer problema vai afetar essa área e o elo mais fraco da corrente, literalmente se quebra. As peças mais sensíveis das regiões onde a lubrificação é mais freqüentemente prejudicada é que sofrem. Então essa “fama” de que determinados motores têm problemas na corrente de comando ou nos mancais e balancins das válvulas na verdade muitas vezes decorrem de uma falha muito comum na manutenção, ou ocorrem na km normal de uso. Falta de lubrificação adequada e/ou excessos no uso normal para qual o motor foi projetado. Alguns casos, como na CBR1000 RR a fábrica reconhece um problema de lubrificação e nesses casos tem feito a troca das peças em garantia, quando é identificado um problema real. Na maioria dos casos a falha está na manutenção, pois em uso normal a durabilidade do sistema em geral se mostra adequado. Esse tipo de fama alguns carros também tem, injustamente. Uma falha da manutenção pode custar caro, e acho que é nisso que os usuários não se conformam. Abraços.

Foto: Divulgação - Suzuki Freewind 650

Foto: Divulgação - Suzuki Freewind 650

Caro Bitenca, Inicialmente quero agradecer a atenção por nos ter respondido. Com relação à Tornado faço a manutenção sempre na época certa de acordo com o manual, troco óleo de motor antecipadamente a cada 2.300km (recomendação da Honda é a cada 3.000) e o filtro de óleo uma vez sim outra não, enfim, sou “pentelho” com relação a manutenção e mesmo assim infelizmente tenho observado a reincidência do problema com o tensionador da corrente de comando, nas duas Tornados que utilizei. No seu entender, qual o intervalo ideal para a troca de óleo na Tornado segundo a utilização que faço (600km asfalto ida/volta, quinzenalmente), e qual a velocidade de cruzeiro (falta contagiros) que você me recomenda.
Às vezes me questiono se não estou utilizando a Tornado em viagens para as quais a mesma, talvez não tenha sido projetada. Mais uma vez obrigado. Um abraço Alvaro

R: Pelo que você diz seus percursos normais somam um total de 1.200Km/mês, ou 14.400Km/ano. Considere um momento normal para manutenção da sua moto, nas peças internas (corrente de comando medição e regulagem de válvulas) a cada dois anos. (25 a 30 mil Km). Considero o melhor uso do motor na faixa de maior torque e potência, não muito acima de 7.500 rpm. Na velocidade entre 85 a 100 km/h o contagiros estaria na faixa das 6.500 rpm (a faixa vermelha está nos 10.000 rpm, na twister). Acho que o intervalo entre trocas de óleo está perfeito. Não é o forte dela mas s sua moto serve para o uso intenso em estradas, então repare que a velocidade de cruzeiro necessita ser um pouco reservada para que haja uma durabilidade razoável. Manter a moto na faixa de 120 Km/h já provoca bastante esforço para o pequeno motor. Abraços,

Bitenca, Mais uma vez obrigado. Vou seguir sua orientação que com certeza vai me ajudar a utilizar a Tornado de forma mais racional na estrada. Com exceção da Falcon, Lander e da XRE300 (até $15.000,00), quais as motos nacionais on/off que serviriam para o tipo de uso que faço? Um abraço Alvaro

R: Agora você me complicou… Acho que sobram apenas as motos maiores e mais usadas, para chegar nesse preço. As de maior cilindrada como as DR650, XT600 ou XT660. Esta última não alcança esse valor, mesmo nas primeiras 2005. Se procurar bem pode encontrar uma com pouco uso e em bom estado que compense, por um pouco mais.

Caro Bitenca, dentre estas opções a XT660 acredito que seria a melhor opção para mim, caso não fosse tão cara. Vou aguardar que as XRE300 cheguem às lojas e observar (conto com você) como se comportam; por enquanto vou ter que continuar com a Tornado. Parabéns pelo MOTONLINE. Abraço Alvaro