Motoboy Festival e contra esterço

Motoboy Festival e contra esterço

Motoboy Festival e contra esterço

Tite no editorial Surpresas no Motoboy Festival tem apenas uma foto da Amazonas 250. Vc teria mais fotos desta moto? Sabe qual o site deste fabricante? J  tem previsÆo de quando essa moto ser  comercializada aqui em lisarB?  realmente intrigante o fato das empresas nÆo fazerem marketing com esse gigantesco nicho dos motoboys. O preconceito ‚ tÆo grande, que alguns shoppings aqui em Goiania tiraram TODAS as motos do estacionamento coberto e colocaram longe da entrada, hoje nÆo temos mais nem sequer uma vaga coberta. Imagine que na  rea onde se estacionavam dezenas de motos (talvez mais de uma centena), virou vagas para alguns poucos carros (menos de 10). Isso ‚ um absurdo, um preconceito e uma falta de respeito. O £nico conforto que tenho ‚ saber que quem mais perde com isso nÆo somos n¢s motociclistas, mas esses est£pidos empres rios que nÆo enxergam um palmo a frente do nariz.
DALEN – GOIANIA/GO
Tite, gostaria de saber sobre a Amazonas que tu citou no artigo sobre o Motoby Festival. Que marca vai comercializ -la? Quando vai entrar no mercado? Onde posso conseguir mais informa‡äes? Aproveito tamb‚m para mais uma vez parabenizar o site que a cada dia fica melhor
Andre – Porto Alegre – RS
Tite, parab‚ns pelo editorial. Querer o dinheiro eles querem, mas sem expor a marca, que cambada, heim. Recebi seu livro ontem, muito bom. Quando minha esposa largar o livro eu termino a leitura e comento.
Anselmo – Contagem, MG
Tite Fiquei sensibilizado com o Editorial sobre os Motoboys, onde voce mostra a importƒncia destas pessoas na vida social e no mercado de trabalho.  uma forma digna de trabalho como qualquer outra. Mas infelizmente essas pessoas sÆo tratadas como cidadÆos de segunda classe em muitos seguimentos de nossa sociedade (veja o caso de algumas montadoras como exemplo). Penso que pela quantidade (250 mil so em SP) eles deveriam se unir em um sindicato ou associa‡Æo para reivindicarem seus direitos e para conhecerem seus deveres. Acredito que com isso poderÆo no futuro negociarem planos de sa£de, direitos trabalhistas, col“nia de f‚rias, apoio jur¡dico etc.
Amauri – Campinas-SP
Tite, ¢tima visÆo sobre o motoboy festival Quem diria que esse monte de 125 movimenta 1 bilhÆo de R$ por ano? ‚ grana q d  para comprar muita R1! 1% desse bolo d  um peda‡o de torta enorme, nÆo d  nÆo? rs – j  vou come‡ar a repensar minha empresa de inform tica, trocar o c¢digo de atividade para algo BEM relacionado … duas rodas, ainda mais depois da reportagem do Paulo Couto sobre sites de compras na Internet Eu tb vejo a categoria com outros olhos, segunda passada a mangueira estourou no meio da rua espirrando ¢leo de motor pra tudo quanto ‚ lado. Se nÆo fosse a boa vontade de 4 motoboys (todos com 125) – um me empurrou pelo pezinho at‚ um posto de gasolina em Alphaville, outro da sa¡da da Castelo Branco at‚ Carapicuiba pelo Rodoanel e mais 2 pelo Embu eu estaria at‚ hoje empurrando a moto pra chegar em casa, fora um trecho q empurrei os mais de 160 kg da moto por 2 km com subida, nÆo foi mole nÆo, esse seria um bom teste a fazer com aquelas pessoas que falam que o motor da moto ‚ fraco – isso mostra que o mercado das empresas voltados … motos tem que prestar aten‡Æo a este ponto, a categoria ‚ unida e formada uma opiniÆo, ‚ osso duro de roer pra desfazer. Depois perguntan porque Honda vende mais que Yamaha. Vc precisa escrever agora um livro com mais de 400 p ginas, pq eu tenho s¢ 3 marchas pra leitura (r pido, mais r pido e muito mais r pido ainda) e eu queria saber o que eu fiz pra vocˆ pq o meu veio sem aut¢grafo – mesmo assim o livro ‚ muito bom, parab‚ns, farei com que todos os donos de Fazer do f¢rum FAZEROL tamb‚m comprem, ou melhor, vou recomendar pq nÆo posso obrigar Abra‡o
Renato – Embu, SP
Tite, primeiro gostaria de parabeniza-lo pelo ¢timo site que vcs conseguiram criar, trabalho no ramo de motos h  5 anos e sempre tenho me atualiazado sobre o fant stico mundo das 2 Rodas atrav‚s vcs. diariamente, nÆo conseguir passar o dia de trabalho sem dar lida em seu site, tamb‚m gostaria de comentar seu artigo sobre o Festival dos Motoboys em que poucas empresas estÆo de olhando neste mercado que s¢ tem a crescer aqui na minha cidade este setor j  ‚ tÆo importante que muitas fam¡lias e comerciantes sobrevivem do trabalho ard£o destes profissionais das 2 rodas, desde de uma simples locadora at‚ uma grande rede de Supermercados. Acordem senhores empres rios pois os tempos mudaram!
Wagner – Campo Belo, MG
Impressionante mesmo a cegueira de certos “experts” em marketing de nÆo querer “associar sua marca aos motoboys”.  mesmo uma hipocrisia e estupidez sem tamanho. Ser  que esses “espertos” nunca ouviram falar que motoboys tamb‚m tˆm uma moto de passeio? E que motoboys tamb‚m tˆm amigos e parentes motociclistas? Tite, divulgue pra n¢s a marca desses “espertos” pra gente nunca mais comprar nem revista onde eles anunciarem!
Josu‚ – SÆo Leopoldo – RS
Demais, ragazzo. Simplesmente ¢tima a materia , que acabo de ler. At‚
ia escrever na se‡Æo de cartas do site, pr  dar mais repercussÆo, mas
achei que poderia parecer cabotino. Fui ao SalÆo na sexta. Mas ‚ isso, gostei pr  caramba do que vc disse com rela‡Æo … cegueira dos ” marketelheiros” e acho que a tua mat‚ria deveria estar nas paginas dos principais jornais de Sampa. Parab‚ns. abra‡os do orgulhoso fratello,
Renzo – SÆo Paulo – SP
A moto Amazonas 250 ‚ feita pela empresa chamada Amazonas! Por enquanto nÆo temos mais informa‡äes, mas em brve faremos a avalia‡Æo. Renato, o livro s¢ vai autografado quando o pedido ‚ feito pelo leitor. Se eu autografar todos os livros deixa de ser uma dedicat¢ria e vira um texto impresso! Josu‚, nÆo posso fazer isso porque a afirma‡Æo foi feita informalmente.

Contra-ester‡o
Caro Tite, o contra-ester‡o pode ser usado em terrenos off-road? Em alguns casos, como nas provas de rally, com curvas de alta, podemos perceber que em uma curva pra direita o piloto est  em p‚ com bra‡o direito pra baixo e o cotovelo esquerdo est  apontando pra cima, a traseira da moto est  derrapando pra fora da curva e a roda dianteira tamb‚m est  apontada pra fora (ou seja, a roda dianteira est  apostada pro lado oposto ao da curva). Em outros casos, como nas provas de motocross, o piloto est  sentado, com os bra‡os na mesma posi‡Æo do piloto de rally, mas a roda dianteira est  apontada pro mesmo lado da curva. Existem t‚cnicas diferentes nos dois casos? O contra ester‡o est  sendo usado em algum deles? J  comprei, l¡ e estou recomendando o seu livro, s¢ nÆo empresto porque ningu‚m devolve meus livros..
Marcelo – Santa B rbara doeste SP
No fora de estrada cada curva exige uma postura diferente. Mas o contra-ester‡o ‚ muito mais usado do que na velocidade! E nÆo empreste seu livro, nem sua moto, nem sua namorada, porque depois ningu‚m devolve. Bom, pelo menos no caso do livro e da moto ‚ muito mais grave!