Na_Pista_equipamentos

Motocicleta e equipamentos: faça a escolha certa

Enviado por Motonline, dom, 25/07/2010 – 18:18

Condição vital para acelerar na pista é utilizar todos os equipamentos de segurança. Eles protegem o piloto em caso de acidente, diminuindo riscos de ferimentos graves: capacete, macacão, botas, luvas e protetor de coluna. A FIM (Federação Internacional de Motociclismo), entidade que regulamenta a prática deste esporte, torna obrigatória a utilização destes equipamentos, exceção feita ao protetor de coluna, cujo uso é fortemente recomendado.

A Barros Shop, empresa especializada em equipamentos e acessórios para o motociclista, e a FOUR, marca desenvolvida por Alex Barros, apóiam o Motonline para a série NA PISTA e forneceram todos os equipamentos necessários.

Veja no vídeo os equipamentos de segurança mais importantes.

Capacete AGV Stealth Catalyst Blue

Capacete AGV Stealth Catalyst Blue

Comece pelo capacete. Como regra básica, o capacete deve ser fechado e possuir o selo de certificação do Inmetro, o que garante que ele atenda às especificações mínimas em caso de impacto. Para o uso em pistas são mais recomendados os capacetes com casco de fibra de vidro ou carbono, pois tendem a absorver melhor o impacto. Duas recomendações importantes relativas à escolha do capacete:
– O fecho com sistema de duplo “D” é mais seguro pois reduz o risco do capacete se soltar em um acidente;
– Os modelos de capacete escamoteáveis, que abrem a parte frontal da queixeira e viseira, não são recomendados porque podem abrir em caso de acidente.

Bruno, piloto Motonline que protagoniza a séria NA PISTA, utiliza capacete AGV, modelo Stealth, com casco em fibra de vidro e Kevlar, disponível por R$1.100,00 na Barros Shop.

Macacão AB LS1-7350

Macacão AB LS1-7350

O macacão proteje tronco e membros. Apesar de também serem permitidos os macacões de duas peças, o mais indicado é o de peça única, pois não existe o risco do zíper que une as duas partes se romper em caso de uma queda e deixar alguma parte do corpo do piloto exposta. Os de couro são os mais indicados. Um bom macacão possui proteções para ombros, braços, tronco e pernas; o “cupim”, uma proteção para a parte superior da coluna que também melhora a aerodinâmica; e o raspador para o joelho nas curvas.

Bruno veste macacão de couro de uma peça desenvolvido pelo piloto Alex Barros, marca FOUR, modelo AB LS1-7350, disponível sob encomenda na Barros Shop por R$1.950,00.

As botas para motovelocidade possuem características diferentes das usadas nas ruas. Ela é mais rígida e possui proteções específicas para os ossos que ficam mais expostos no tornozelo, para a ponta do pé e para o calcanhar, além de um raspador na parte frontal, para o caso de um toque na pista em uma curva. O formato é feito para envolver o macacão, que é colocado por dentro. O piloto Bruno utiliza botas Sidi, modelo Vertigo, disponíveis por R$1.130,00.

Botas Sidi Vertigo

Botas Sidi Vertigo

Luvas Sidi Power

Luvas Sidi Power

Botas Sidi VertigoLuvas Sidi Power

As luvas apropriadas são de couro com proteções rígidas para os ossos mais expostos das mãos e punho. Devem possuir fechos para evitar que saiam das mãos em uma eventual queda. Assim como as botas, as luvas devem envolver o macacão. A Barros shop forneceu luvas da marca Sidi, modelo Power, disponíveis por R$675,00.

O protetor de coluna evita que, em caso de acidente, essa região sofra impactos diretos e restringe o movimento da coluna para trás, reduzindo a possibilidade de lesões. A Barros Shop oferece protetores de coluna a partir de R$380,00.Outro item recomendado é a segunda pele, roupa que deve ser vestida por baixo do macacão e que proporciona conforto, pois, apesar de parecer supérfluo, o piloto pode ter sua concentração reduzida em função de algum incômodo.
Estes são os equipamentos que aumentam a segurança para o piloto NA PISTA. Não eliminam os riscos do esporte, mas reduzem as chances de ferimentos. Cada um deve escolher os que melhor se adaptem ao próprio corpo.

Atenção na escolha da moto

A opção pela motocicleta adequada à experiência do piloto é fundamental. Não é necessária uma superbike para quem está começando. Motos de pequeno e médio porte (abaixo de 600 cc) são ideais para quem não tem experiência com pistas.

Kawasaki Ninja 250R (foto: Claudinei Cordiolli)

Kawasaki Ninja 250R

Na medida em que o piloto adquire prática e experiência na pista, o caminho natural é evoluir para motocicletas maiores até que se encontre o modelo de moto no nível ideal para cada um. Os estilos mais adequados para a prática na pista são as Super Esportivas, Sport Touring, Naked e Super Motard.
Kawasaki Ninja 250R (foto: Claudinei Cordiolli)A escolha da moto deve considerar que o piloto “veste” a motocicleta e precisa sentir-se absolutamente seguro e confortável com ela em qualquer condição. Conhecer os próprios limites e os da motocicleta evita uma escolha errada que pode colocar em risco a segurança. Nunca ultrapasse o seu limite ou o da moto.

A Kawasaki é apoiadora do projeto NA PISTA e fornece a Ninja 250R para o piloto Motonline. É uma moto esportiva, com 33 cv de potência máxima que pode ser adquirida nas concessionárias Kawasaki por aproximadamente R$16.000,00. Clique aqui para ver o test-ride da “ninjinha”, como é carinhosamente conhecida.

No vídeo abaixo a Kawasaki apresenta a moto.

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, além da área de comentários abaixo, criamos um tópico no fórum para os motonliners que preferem este formato. Clique aqui para acessar o tópico.

Veja também os outros capítulos:

Capítulo 1 – Lugar de acelerar é NA PISTA

Capítulo 2 – Conheça o ambiente da pista

Capítulo 4 – Primeiro contato com a pista

Capítulo 5 – A evolução ocorre com o treino

Capítulo 6 – Preparação da Ninja 250R para a pista

Capítulo 7 – Copa Ninja