Motociclismo conquistando seu espaço

Motociclismo brasileiro volta a ganhar seu espaço

Motociclismo conquistando seu espaço

Motociclismo conquistando seu espaço

O motociclismo esportivo brasileiro tem visto na motovelocidade uma evolução sem precedente, além dos campeonatos regionais – estaduais – vimos o surgimento do SuperBike Series Brasil, exatamente igual ao Mundial de SuperBikes (WSBK) nas categorias, modelos e tipos de motos e com certa semelhança com o MotoGP.

O SuperBike Series é composto da junção de dois campeonatos. Mas parece que ainda não é bem entendido pelo grande público. Mas, como funciona a estrutura deste campeonato?

O Pirelli Mobil SuperBike é composto de sete categorias, com participação exclusivamente de motos, contendo seis etapas, que acontecem no Autódromo de Interlagos em São Paulo, os quais definirão o campeão paulista.

Já o TNT SuperBike é composto por duas categorias de motos, e ao todo tem oito etapas que ocontecem simultaneamente com o Itaipava GT Brasil e consagra o campeão do TNT SuperBike. O piloto que somar mais pontos nas 13 etapas, isto é, a soma dos dois campeonatos, é o campeão do SuperBike Series Brasil.

A característica deste campeonato é que as motos são as chamadas “motos de asfalto”, ou seja, a categoria chamada de motovelocidade. Pra quem não sabe o mundial de motovelocidade, tem como categoria principal – também conhecida como categoria rainha – a MotoGP, (www.motogp.com) formada por equipes que utilizam motos protótipos. Ou seja, motos que não são comercializadas, funcionado na equivalência da Fórmula -1 como laboratório de desenvolvimento tecnológico.

Fica divertido ver a mesma moto que tem na rua, correndo a 300 km em um no autódromo onde podemos observar em pegas alucinantes.

Fica divertido ver a mesma moto que tem na rua, correndo a 300 km em um no autódromo onde podemos observar em pegas alucinantes.

Por outro lado, o Mundial de SuperBikes, é o campeonato que utiliza motos fabricadas em serie. Exatamente as mesmas motos que saem de fabrica e são encontradas em lojas, ou seja, as mesmas que nos chama tanto a atenção nas ruas. Mas a verdade é que embora elas já saiam fortes de fabrica, as de corrida recebem um tratamento especial: mais potencia, e assessórios que aumentam, e muito sua já impressionante performance.

Isto vem demonstrando nitidamente que os Campeonatos de SuperBike mundo a fora, são os que mais crescem, atraem mídia, publico e fãs. Por isso, fica mais divertido ver a mesma moto que muito tem na rua, correndo a 300 km em um no autódromo onde podemos observar em pegas alucinantes. Há ainda o Moto 1000 GP, um novo campeonato da motovelocidade, que também mantém características semelhantes em sua estrutura e que já mostrou por veio e que tem em seu objetivo a formação de novos pilotos.

Engrossando a lista de opções, ainda contamos com o Racing Festival, onde participam motos nas categorias Hornet/600cc e também a das 300cc. Enfim, temos vários campeonatos importantes na motovelocidade brasileira e precisamos levar o grande público aos autódromos para prestigiarem esses novos talentos do motociclismo esportivo brasileiro.