Foto: MX1 - Cairolli quer decidir no Brasil - Bitenca

Motocross GP – Cairoli e Musquin prevalecem em Loket na República Tcheca nesse fim de semana.

Foto: MX1 - Cairolli quer decidir no Brasil - Bitenca

Foto: MX1 - Cairolli quer decidir no Brasil - Bitenca

Depois da chuva no dia anterior o sol veio agraciar a prova, no GP de Motocross da República Tcheca. Acabou por se tornar uma grande batalha do Mundial FIM de Motocross que deu a vitória a Tony Cairoli na MX1 e Marvin Musquin na MX2. Os dois lideram seu respectivo campeonato e há grandes chances de terminarem por definir o certame na próxima prova aqui no Brasil.
Cairoli ficou no topo do podium, acima de Clement Desalle e Tanel Leok, o último tomando a vitória na primeira moto de Cairoli que reagiu vencendo a bateria final. Steve Ramon e Max Nagl completam os cinco melhores, à frente de David Philippaerts.
Musquin e Ken Roczen travaram grande batalha pela vitória no GP Tcheco mas foi Musquin quem terminou em primeiro, graças à sua vitória na moto final. Roczen, que venceu na moto 1, não conseguiu ser melhor que o segundo colocado na segunda bateria e assim terminou no podium enquanto Gautier Paulin ficou em terceiro na geral. Poleman Steven Frossard se acidentou na moto 1 e terminou em sétimo na geral.
Nas dois tempos, EMX 125 Jordi Tixier ganhou a etapa Tcheca e levou o seu primeiro título na EMX 125 já no final da primeira bateria. Completaram o pódium Sulivan Jaulin e Jason Clermont.

Foto: MX2: Musquin trava grande batalha - Divulgação RedBull

Foto: MX2: Musquin trava grande batalha - Divulgação RedBull

MX1
Levando o Grand Prix da República Tcheca ontem, Cairoli, da Red Bull KTM Factory Racing estendeu suas vitórias para três consecutivas – seis nesse ano. O Italiano foi derrotado na primeira moto pelo Tanel Leok mas reagiu bem na segunda, liderando toda bateria e registrando 222 voltas como líder – exatamente o número da sua moto. Cairoli está a caminho do seu segundo título no MX1 garantindo 84 pontos de vantagem com três rodadas ainda no calendário.
MX1 Geral, os 10 primeiros: 1. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 47 pontos; 2. Clement Desalle (BEL, Suzuki), 42 p.; 3. Tanel Leok (EST, Honda), 41 p.; 4. Steve Ramon (BEL, Suzuki), 35 p.; 5. Maximilian Nagl (GER, KTM), 34 p.; 6. David Philippaerts (ITA, Yamaha), 30 p.; 7. Evgeny Bobryshev (RUS, Honda), 26 p.; 8. Rui Goncalves (POR, KTM), 24 p.; 9. Kevin Strijbos (BEL, Suzuki), 20 p.; 10. Joshua Coppins (NZL, Aprilia), 19 p.;
Posição no campeonato MX1: 1. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 531 points; 2. Clement Desalle (BEL, Suzuki), 447 p.; 3. David Philippaerts (ITA, Yamaha), 394 p.; 4. Maximilian Nagl (GER, KTM), 382 p.; 5. Steve Ramon (BEL, Suzuki), 376 p.; 6. Ken de Dycker (BEL, Yamaha), 309 p.; 7. Tanel Leok (EST, Honda), 290 p.; 8. Xavier Boog (FRA, Kawasaki), 276 p.; 9. Evgeny Bobryshev (RUS, Honda), 270 p.; 10. Davide Guarneri (ITA, Honda), 213 p.;
Fabricantes 1. KTM, 560 points; 2. Suzuki, 497 p.; 3. Yamaha, 448 p.; 4. Honda, 399 p.; 5. Kawasaki, 332 p.; 6. Aprilia, 192 p.; 7. TM, 145 p.; 8. CCM, 25 p.; 9. Husqvarna, 4 p.;

MX2
Da equipe Red Bull KTM Factory Racing MX2, Musquin finalmente quebrou sua maré de má sorte em Loket -Lá ele quebrou o pé em 2008 e o motor em 2009- Mas liderou o GP da República Tcheca depois de uma grande batalha com seu rival Roczen. Ao recuperar o segundo lugar na primeira moto Roczen ia rápido demais para ser superado, mas na segunda moto a dupla guerreou mais ainda pela vitória. Musquin ia em primeiro, mas Roczen ultrapassou e caiu em seguida, passando para segundo novamente, atrás de Musquin, que cruzou a linha de chegada e foi direto para o podium. A vantagem de 78 pontos de Roczen permanece inalterada, na forma que a dupla terminou a corrida nesse fim de semana e antecipando o GP no Brasil em Campo Grande, Musquin pode obter o título – O Francês foi vitorioso no ano passado em Canelinha.
Roczen, da Teka Suzuki Europe World MX2 estava pronto para mais uma vitória no GP depois de quebrar o gelo em Lommel no último dia 2 com sua primeira vitória do ano. O Alemão dominou a primeira moto mas uma queda na segunda enquanto tentava abrir uma distância de Musquin, fez com que mudasse de estratégia, aceitando o segundo lugar. Roczen agora espera vencer a etapa do Brasil.

MX2 Geral, os 10 primeiros: 1. Marvin Musquin (FRA, KTM), 47 pontos; 2. Ken Roczen (GER, Suzuki), 47 p.; 3. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), 35 p.; 4. Jeremy van Horebeek (BEL, Kawasaki), 34 p.; 5. Shaun Simpson (GBR, KTM), 31 p.; 6. Arnaud Tonus (SUI, Suzuki), 27 p.; 7. Steven Frossard (FRA, Kawasaki), 25 p.; 8. Joel Roelants (BEL, KTM), 24 p.; 9. Zach Osborne (USA, Yamaha), 23 p.; 10. Harri Kullas (FIN, Yamaha), 21 p.

Posição no campeonato MX2: 1. Marvin Musquin (FRA, KTM), 527 points; 2. Ken Roczen (GER, Suzuki), 449 p.; 3. Steven Frossard (FRA, Kawasaki), 404 p.; 4. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 391 p.; 5. Shaun Simpson (GBR, KTM), 329 p.; 6. Zach Osborne (USA, Yamaha), 313 p.; 7. Jeremy van Horebeek (BEL, Kawasaki), 302 p.; 8. Joel Roelants (BEL, KTM), 298 p.; 9. Arnaud Tonus (SUI, Suzuki), 293 p.; 10. Harri Kullas (FIN, Yamaha), 254 p.;

Fabricantes:1. KTM, 576 pontos; 2. Suzuki, 473 p.; 3. Kawasaki, 424 p.; 4. Yamaha, 414 p.; 5. Honda, 97 p.; 6. TM, 34 p.;