Basta Márquez chegar em quarto para ser campeão de 2013

MotoGP™: notícias do padock

MÁRQUEZ & LORENZO
Apenas 13 pontos separam os dois líderes do Campeonato Mundial de MotoGP™

Basta Márquez chegar em quarto para ser campeão de 2013

Basta Márquez chegar em quarto para ser campeão de 2013

Passaram-se sete anos desde que Valência foi pela última vez o palco da decisão de um título de MotoGP™. Este ano os dois candidatos estão separados por apenas 13 pontos.

Trata-se do Campeão do Mundo contra um aspirante de 20 anos. É a Yamaha Factory Racing versus a Repsol Honda Team. Jorge Lorenzo e Marc Márquez.

E, é claro, o #99 contra o #93. Mas há mais que apenas seis números entre eles. Para começar, Márquez já domina claramente o desafio, tendo conseguido nada mais nada menos que oito pole positions, incluindo quatro entre Silvertstone e Sepang. Os pódios também não foram poucos, com 15 para o jovem de 20 anos em comparação com os 13 do pilotos de 26. Contudo, é Lorenzo quem soma mais vitórias (sete contra seis) e também liderou durante mais voltas.

No que toca a quedas há claramente um elemento de ironia envolvido. Lorenzo pode ter-se lesionado com gravidade na clavícula por duas vezes e não corrido a corrida da Alemanha em consequência disso, mas só foi ao chão três vezes este ano enquanto Márquez teve 15 contratempos. Contudo, o homem de Cervera tirou o máximo partido das suas corridas e só caiu em Mugello; sofreu lesões, mas nada que se compare com Lorenzo. Márquez também lidera no que toca a pontos… pontos de penalização. A sua licença de piloto conta três: apenas a um de ser penalizado com uma largadado final do grid. Com isto em mente, o piloto da Honda pode optar por usar de cautela para evitar problemas durante o fim-de-semana de corrida. E assim, passaram sete anos desde que o título da categoria rainha foi disputado até à última etapa.

Um quarto lugar é tudo o que Márquez necessita, independentemente do resultado de Lorenzo. Mas às vezes falar é fácil. Falta uma corrida e o título ainda está em aberto. Façam as vossas apostas…

FREIOS DE CRUTCHLOW E SMITH DÃO O QUE FALAR
Após a corrida em Montegi o britânico falou dos freios e de possíveis soluções para o futuro

Cal Crutchlow falou dos problemas com os freios em Montegi

Cal Crutchlow falou dos problemas com freios e pneus em Montegi

A Monster Yamaha Tech3 terminou o Grande Prêmio do Japão nas sétima e oitava posições, com Cal Crutchlow à frente de Bradley Smith. A qualificação foi complicada, com Smith em 13º no grid em Motegi e Crutchlow apenas duas posições à frente. Na corrida de domingo o estreante fez uma partida canhão e rodou à frente do mais experiente colega de equipe, que mais tarde o ultrapassou.

Depois, os dois foram superados por Valentino Rossi (Yamaha Factory Racing) que, como Crutchlow, teve dificuldades com os freios e cometeu dois erros no início da corrida. “Ao longo das primeiras voltas queimamos os nossos discos de freio”, explicou Crutchlow numa entrevista. “Tivemos um problema com os freios; superaqueceu e isso fez com que apenas metade do disco estivesse freando, e por isso tive de ficar atrás do Bradley durante várias voltas para os freios esfriassem; estava um pouco perigoso usar os freios com a pressão que as curvas exigiam – não queria provocar um grande acidente e tive que ser prudente”. “Também escolhemos o pneu traseiro errado. O Bradley e o Jorge (Lorenzo, Yamaha Factory Racing) fizeram a escolha certa com o macio. O Vale e eu não; usamos o duro, que é muito mais favorável à Honda. Precisávamos de aderência lateral e nunca a tivemos. Assim, com meio disco de freio e sem bons pneus, foi complicado. Uns apostaram de uma forma, outros noutra e dói isso, mas o Jorge está de parabéns pela fantástica corrida que fez”.

PRÓXIMA E ÚLTIMA PARADA DA MOTOGP™ SERÁ EM VALÊNCIA
Provas acontecem no próximo dia 10 de novembro

O Circuito da Comunidade Valenciana foi concluído em 99 e recebeu provas do MotoGP e do Campeonato de Espanha de Motociclismo nesse mesmo ano. A pista de Cheste tem várias configurações, sendo utilizada no circuito oposto ao dos ponteiros do relógio conta com perímetros variáveis. As provas de MotoGP utilizam a pista de 4km com cinco direitas, oito esquerdas e uma recta de 650m. Apesar de ser vista como uma pista pequena, a zona de boxes conta com 48 garagens enquanto as bancadas podem levar até 150.000 espectadores. O desenho do traçado ajuda a criar uma atmosfera única adorada por pilotos de todo o mundo e sendo o palco da última corrida da temporada é garantidamente o palco de uma grande festa de fim de campeonato. Foi eleito o “Melhor Grande Prémio” IRTA em 2005.

Detalhes do palco do Grande Prémio Generali da Comunidade Valenciana:

Circuito da Comunidade Valenciana

Circuito da Comunidade Valenciana